Lomadee

terça-feira, 28 de setembro de 2010

sábado, 25 de setembro de 2010

The Alex Kidd Song

Todos amam Alex Kidd, isso é um FATO. A maioria o conhece por Alex Kidd in Miracle World, e sua musiquinha tornou-se eterna na mente de milhões de pessoas! Mas e se... ela tivesse letra? O Finamore me passou essa faixa bônus do álbum "Alex Kidd Complete Album"



Cantada acima por "Bo" (música e letra), Hiro, Tarnya, XOR, com Takenobu Mitsuyoshi nos vocais.

Tokuhiko "Bo" Uwabo (上保徳彦) foi o compositor da sagrada música de Alex Kidd e de muitos outros jogos da SEGA, entre eles QuackShot, Castle of Illusion, Revenge of Shinobi, Phantasy Star, Fantasy Zone, Zillion, Zillion II: Tri Formation, Space Harrier, Chopfliter!, etc.

Mas sempre houve uma aura de mistério em torno de Tokuhiko e seu destino hoje em dia é incerto. A entrada da música chegou a ser usada em Sonic & SEGA All-Star Racing no All-Star Move do Alex Kidd, então ao menos a SEGA parece saber onde ele está.

Só pra você não perder a viagem se estava esperando outro Alex Kidd, ou simplesmente odiou o japa cantando, aqui vão as originais





TU-DU-TU-DU-TU-DU-TU-DU-TU-DU-DU-DU-DU-TU-TU-TU

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Eu joguei: The Elder Scrolls IV: Oblivion


Joguei e não estou feliz. =/

Pra começar nunca fui fã da série The Elder Scrolls (TES), pra ser honesto, eu nunca tinha ouvido falar da série até jogar Oblivion, que pra mim sempre foi apenas Oblivion, me assustei quando vi que era o quarto de um série.

Mas porque você não está feliz Zilla, você me pergunta. E essa é umas questão um tanto quando longa para se responder, mas eu tenho tempo. XD

O fato é, antes de Oblivion, eu joguei Fallout 3. E apesar de ser uma franquia diferente, Fallout 3 é meio que um sucessor espiritual do TES IV e como todo o bom sucessor que se preze, ele melhorou tudo que havia de ruim ao seu predecessor, além é claro de ter um cenário mais carismático e ser mais leve graficamente, porém falemos de Fallout em outra ocasião.

Enfim, Oblivion me tomou umas 4 tentativas para eu começar a jogar. As três primeiras foram bem frustradas, aonde a terceira conseguiu me levar a até fechar, com muito custo, um dos portais do Oblivion, mas não tinha me cativado e desinstalei o jogo.

Um dia desses me deu a louca de instalar o jogo mais uma vez, desta vez eu estava mais preparado e baixei alguns mods básicos apenas para me animar com o jogo.

Na verdade eu acho que é isso que está errado com o jogo, não que modificações sejam algo errado, mas quando um jogo só se torna jogável quando você o enche de modificação é sinal de que tem algo errado.

Enfim, estou jogando e... bom... o jogo é bonito, mas ele é muito punitivo. Eu só consegui começar a jogar mesmo quando baixei a dificuldade para 25%, pois descobrir que o desafio está apenas na quantidade de HP que os oponentes possuem e cá entre nós, o sistema de combate já é demasiado longo sem esse HP extra.

Falando em combate, este é um saco. Não há estratégia e nem gameplay é simplesmente "bloqueio-ataque-repete" e nem mesmo as "skills" que você aprende com o passar dos níveis mudam muito o combate. E essa mesmice é durante o jogo inteiro, não há bosses, só inimigos um pouco mais "fortes", mas nada que sequer tente dar um tom épico à batalha. É pedir demais um pouco de inteligencia aos inimigos? Formas diferentes de combate ou pelo menos situações que te impossibilite de usar as mesmas táticas de sempre? Vamos lá, até Zelda I no NES tinha mais variedade que TES IV.

Que a propósito isso é algo que me irrita com muitos jogos recentes. São lindo graficamente, possuem física realista e o escambau, mas a jogabilidade é bem... como dizer... desinteressante. Sabe, eles tacam o Havoc ali e pensam que já basta pro jogo ser jogável. Até é, mas num mundo tão bonito eu sinto falta de pulos mais precisos, de resposta mais rápida nos comando, de variedade de táticas que podem ser aplicadas com a jogabilidade que lhe é dada.

A musica é bem esquecível, não é ruim, mas se estiver tocando ou não, não faz diferença. Ela não cria clima e nem te dá aquela felicidade de ir para um lugar só pra ouvir a musica... Ah! Saudades da Vila Kakariko.

A atuação das vozes não é ruim também, mas é bem monótona e repetitiva. Se você não ouvir a mesma voz por vezes seguidas, provavelmente vai ouvir o mesmo texto por vezes seguidas.

Mas não só isso, os textos são em si pouco interessantes. Nada é visto com profundidade é tudo superficial e muitas quests acabam virando um mero vá do ponto A ao B e faça coisa X, onde X pode ser matar, falar e/ou pegar um objeto, e depois é só voltar pro ponto A.

Não que eu ache que dê pra fugir muito disso, mas ao menos dá para tornar mais interessante, criar mais roteiro, mais conteúdo para cada quest. Tudo bem que ia ser demorado e cara botar os atores pra todo esse conteúdo, mas quem precisa de voz para cada linha de texto? Eu posso ler e se for interessante eu leio mesmo, se não fosse assim não teria zerado nenhum RPG até hoje. O esquema é só fazer um texto leve e interessante, que tá resolvido, não precisa ser falado.

Enfim... O jogo deixa muito a desejar. A jogabilidade é cansativa, os texto são cansativos e a história não é interessante, o que pra um RPG é mais do que motivos suficientes para não jogá-lo.

Provavelmente, eu estou perdendo algo por não conhecer a série. Mas se for só esse o motivo eu não vou me forçar a jogar os anteriores.

Porém se vocês conseguirem jogar aqui vai algumas dicas de seu lagarto favorito:

- Ao criar um personagem, evite signos que possuam apenas poderes que só podem ser usados uma vez por dia (entenda dia como "o período entre uma cochilada e outra em jogo"), ou seja, passe longe do The Lover, o poder de paralisia aparenta ser muito bom, mas o limite de um por dia e a falta de qualquer outro bônus para o signo o torna bem inútil, você ficará melhor com The Aprentice ou The Warrior.

- Faça uma classe customizada. Basicamente você precisa de praticamente todas as skills do jogo para poder avançar e explorar o mundo livremente. Então é bom você ter um personagem mais adaptado ao seu estilo de jogo do que "tentar o desafio de se jogar com a classe X". Em suma, as Major Skills são mais fáceis de upar e são atraves delas que você passa de nível, apenas lembre-se que isso não reduz a funcionalidade das Minor Skills que apenas progridem mais lentamente e não influenciam no seu nível.

- Falando em classe customizada, as skills mais importantes do jogo serão:

A) Restoration, para te poupar de comprar ou fazer poções de cura, liberá espaço no seu inventory e te poupa de no meio de uma dungeon ter que sair só porque você acabou de usar a ultima poção. Além do mais, diferente do HP, MP recupera com o tempo;

B) Security, porque sempre há uma porta fechada e sem chave no seu caminho ou você pode substituir a skill por Alteration, que possui magias que abrem trancas (o que eu recomendo, já que o minigame de abrir fechaduras é um saco), porém Alteration te limita ao nível de dificuldade das trancas enquanto Security te permite tentar abri as fechaduras mesmo a níveis baixos da skill;

C) Sneak, porque é sempre bom ter a chance de matar alguem sem que ele possa reagir, além de te dar vantagem estratégica e evita de que todos o goblins da dungeon caiam em cima de você de uma vez; e

D) Marksmanship, porque diferente das armas de fogo em Fallout, arcos não fazem barulho, ou seja, se você tiver uma mira boa e estiver em Sneak, será capaz de matar os oponentes antes mesmo que eles entendam que aquelas flechadas doem (o que a propósito é um bug muito chato do jogo, com uma boa distancia, você consegue ficar atirando flechas nos inimigos constantemente sem que eles sequer descubram a sua presença, mesmo que tenha uns 5 outros inimigos ao lado do alvo).

- E falando em skills importantes, vamos às que você não precisará sequer olhar para elas:

A) Speachcraft, totalmente inútil até aonde eu consegui chegar com a skill. Não é necessário valores altos para o minigame e os NPC normalmente vão te dar a informação que você quer sem precisar chegar muito longe com a "reação" dele. Tirando que mesmo assim, são poucas as vezes que você vai precisar realmente usar essa skill e mesmo assim você pode subornar o NPC caso qualquer coisa;

B) Merchantile, não vi utilidade, tirando a possibilidade de barganhar por preços mais baixos, porem, depois de um certo ponto, você raramente vai precisar comprar algo das lojas já que os inimigos e as dungeons irão te prover da maioria dos itens que você irá precisar durante o jogo. Infelizmente, magias só comprando mesmo. Há também a possibilidade de se investir nas lojas em níveis mais altos da skill, porém não sei dizer o quanto isso é bom ou não; e

C) Light Armor, nada haver você diz? Eu discordo. Todas as vantagens por ter níveis mais altos com essa skill ou Heavy Armor são praticamente as mesmo, com a diferença de que as Heavy dão muito mais proteção logo de início. Mas e a diferença de peso, você deve estar perguntando. Simples, a um certo nivel de skill, todo o peso da armadura que você está usando é ignorado. Em uma light armor isso já ajuda, mas em uma heavy é a melhor coisa que poderia te acontecer. Então desista de ser um elfo alegre, serelepe que usa armaduras leves e seja um elfo alegre, serelepe que usa armaduras pesadas, pois no fim do jogo é tudo a mesma coisa.

- De resto, todas as skills têm a sua utilidade, mas poucas são as que precisam ser postas como Major, a grande maioria você irá viver muito bem sem sequer tocar nelas. Eu mesmo levei sneak a 100 antes mesmo de qualquer major skill que eu tinha.

- Magias importantes são as de cura, visão noturna e detect life. Abuse delas e nunca mais se preocupe em usar uma tocha novamente na sua vida.

- Carregue sempre martelos. Mesmo que armorer não seja uma major skill sua. Seu equipamento vai sempre precisar de manutenção e tudo que você precisa é de um martelo (ou muitos caso a skill seja muito baixa), mesmo que seja pra concertar um vestido. Além de que, em níveis altos, você vai poder "concertar" o seu equipamento além dos 100% o que aumenta a eficiência deles, tirando que você também vai pode concertar itens mágicos.

- Entre para guilda de magos o mais rápido possível, mesmo que você não seja um mago, pois assim que você conseguir acesso a academia arcana, onde você poderá encantar os seus itens usando soul gems. E acredite, ter um regenzinho na armadura ajuda muito.

- Ajuste a dificuldade para 25% ou até menos. Não existe diferença real entre as dificuldades tirando a quantidade de HP dos inimigos, ou seja, mais difícil significa que o inimigos são mais resistentes, mas isso só alonga o combate e o combate é muito chato.

E para que suas aventuras seja um pouco mais agradáveis, eis uma lista de mods que eu recomendo que vocês peguem antes mesmo de começarem a jogar:

Adrenaline Oblivion: O jogo funciona em um sistema no qual o mundo ganha níveis junto com você, porém o desafio continua o mesmo. Com esse mod não só os inimigo evoluem com você como também crescem em números. Ou seja em um lugar que você acharia 2 inimigos independente do seu nível, você corre o risco de encontrar 6 ou mais dependendo do seu nível. Esse mod deixou o jogo mais desafiante e interessante depois que eu o instalei. Como uma vez em que eu usei o fast travel para ir a um lugar e como sempre o cavalo veio junto estava chuvendo forte pacas e eu tava me amarrando no cenário e quando eu percebo uma matilha de lobos aparece para atacar o meu cavalo. Foi sofrivel matar quase 8 lobos sem ferir o cavalo. Coisas assim não rolam com o jogo normal.

Less Annoying Magic Experience (LAME): Muda um pouco da mecânica das magias, torna as magias de quest mais uteis, cria mais algumas e as subdivide por escolas no seu tomo. Um must have pra que usa magias e pra que não as usa tanto assim. (PS: O link está certo, mas quando eu testei tava dando erro =/)

Oblivion PolyGone Overhaul [OPO]: Reduz o numero de polignos de certos elementos do cenário, sem a perda de qualidade e com um certo ganho de FPS.

Modificação de corpos como o HG EyeCandy Body: Sério, os personagem parecem macacos anorexos e aidéticos nesse jogo e essa modificações, apesar de pesarem um pouco no jogo, são bem vindas, afinal o mundo é do jogo é muito bonito, por que o seu personagem não pode ser?

KSTN Stylized Stance e KSTN Heavy Blade Stance: O melhor animation replacer que eu vi até agora. As animações são muito boas, possuem o peso certo e não deixam o combate parecido com uma briga de macacos com paus, como no default e nem como um balé de quinta como muitos outros replacers que têm por ai.

Existem muitos outros por ai que você podem gostar ou achar indispensáveis. Esses não são todos que eu uso, mas são os que eu acredito que deixaram o jogo bem mais interessante de se jogar.

Qualquer coisa entrem no www.TESNEXUS.com, se registrem, gratuitamente, e procurem por outros mods. Tem muita coisa boa por lá.

Oblivion não é um jogo de todo ruim eu só o acho totalmente desinteressante, ele poderia ser bem melhor se a Bethesda tivesse posto um pouco mais de esforço nele. É jogável do jeito que está, melhora com algumas modificações, mas ainda assim, ficou muito aquém para um jogo que poderia ser muito mais.

Agora tenho que voltar para Cyrodil, tenho mais de 100 horas de jogo e sequer cheguei perto de um portão do Oblivion. Só os deuses sabem como é que esse mundo não acabou ainda.

sábado, 18 de setembro de 2010

Eu vs Velox

Era um dia comum, eu havia acabado de acordar, o computador à minha frente, mas algo não estava certo... o Velox não estava conectando. Desliga modem, liga modem, desliga cabo, liga cabo, tentando de novo... nada... Nesse momento somente uma entidade pode me ajudar! A minha vida está nas mãos do 0800 565658! ... Eu tou ferrado.

Velox: "Oi. Boa Tarde. Se você ligou para falar de sua conta ou pagamentos, digite 2. Pra conserto ou algum tipo de reparo, digite 3."
Eu: *Teclo 3*
Velox: "Se você está com problemas na conexão do seu Oi Velox, digite 2."
Eu: *Teclo 2*

Vladimir: "Oi Velox, Vladimir, em que posso ajudá-lo?"
Eu: "Olá Vladimir, meu Velox não está conectando"
Vladimir: "Por favor DDD e Telefone vinculados ao Velox que o sistema não pode detectar"
Eu: "(21) 22XX-3X3X"
Vladimir: "2X?"
Eu: "3X."
*Telefone fica mudo*
Vladimir: "Obrigado por aguardar, qual é o problema?"
Eu: "O Velox não conecta"
Vladimir: "As luzes do modem estão acesas?"
Eu: "Estão"
Vladimir: "LAN? DSL? Power?"
Eu: "Sim"
Vladimir: "A luz DSL está piscando ou fixa?"
Eu: "Fixa"
Vladimir: "A luz do quarto está acesa?"
Eu: "Sim. ... Peraí, o que?"
Vladimir: "O senhor pode desconectar os cabos do modem?"
Eu: "... Tá..."
Vladimir: "Agora religue e tente novamente"
Eu: "Nada"
Vladimir: "O senhor pode tocar a ponta do seu nariz e recitar o alfabeto?"
Eu: "O que? Não, não vou fazer isso"
Vladimir: "Senhor, preciso pedir que realize o procedimento para poder ajudá-lo"
Eu: "... A, b, c, d..."
Vladimir: "Está tocando seu nariz?"
Eu: "Sim, estou"
Vladimir: "Não parece, não estou ouvindo o som anasalado"
Eu: "... ê, êfê, gê, âgâ..."
Vladimir: "Senhor, poderia verificar nas suas configurações de sistema se sua placa de rede está funcionando corretamente ou se há uma interrogação ou exclamação nela?"
Eu: "Ok... está tudo funcionando"
Vladimir: "Vou verificar o seu sinal aqui senhor, pode me dizer se luz DSL apagou?"
Eu: "Apagou"
Vladimir: "E agora?"
Eu: "Acendeu"
Vladimir: "E agora?"
Eu: "... Apagou?"
Vladimir: "E agora?"
Eu: "Acendeu de novo"
Vladimir: "E agora?"
Eu: "Isso é relevante?"
Vladimir: "Aparentemente o problema está na placa de rede ou no seu modem, senhor".
Eu: "Como assim? Estava tudo funcionando dez minutos atrás!"
Vladimir: "Coisas acontecem"
Eu: "..."
Vladmir: "..."
Eu: "..." (Leia-se: "Eu queria que acontecessem algumas com você")
Vladimir: "Mais alguma coisa em que eu possa ajudar?"
Eu: "Não, só isso"
Vladimir: "A Oi Velox agradece o seu contato, tenha uma boa tarde."

Próximo passo, ter certeza de que Vladimir merecia a morte antes de contratar assassinos profissionais. Peguei outro computador e conectei-o no Velox. Mesmo erro. Ok, eu não ia comprar outro modem só para ter certeza, a essa altura já estava começando a desconfiar que o problema não era aqui, pois o modem funcionava normalmente. Era assustador, mas após escapar desse mundo de pesadelos... eu tinha que ligar novamente...

Velox: "Oi. Boa Tarde. Se você ligou para falar de sua conta ou pagamentos, digite 2. Pra conserto ou algum tipo de reparo, digite 3."
Eu: *Teclo 3*
Velox: "Se você está com problemas na conexão do seu Oi Velox, digite 2."
Eu: *Teclo 2*

Robson: "Oi Velox, Robson, em que posso ajudá-lo?"
Eu: "Oi Robson, eu liguei mais cedo por um problema no meu Velox. Sugeriram que era a placa de rede ou modem, mas eu já testei outro computador, deu o mesmo erro e Não tenho outro modem para testar."
Robson: "Sem problemas senhor. Por favor DDD e Telefone vinculados ao Velox, o sistema não conseguiu detectar"
Eu: "... (21) 22XX-3X3X"
Robson: "2X?"
Eu: "3X..."
*Telefone fica mudo*
Robson: "Obrigado por aguardar, qual é o seu o problema, senhor?"
Eu: "Meu Velox não está conectando."
Robson: "As luzes do modem estão acesas?"
Eu: "Sim, estão..."
Robson: "A luz DSL está fixa?"
Eu: "Sim..."
Robson: "O senhor poderia desconectar os cabos do seu modem?"
Eu: "Eu já fiz isso antes..."
Robson: "Ok, eu vou testar o seu sinal. Pode dizer se a luz DSL apagou?"
Eu: "Apagou..."
Robson: "E agora?"
Eu: "... acendeu"
Robson: "E agora?"
Eu: "Apagou, acendeu, apagou, dá pra ir em frente?"
Robson: "O seu sinal parece normal senhor, o problema deve estar no seu modem."
Eu: "..."
Robson: "O senhor vai ter que chamar um técnico particular"
Eu: "Tá bom..."
Robson: "Algo mais senhor?"
Eu: "Não, é melhor parar enquanto ainda tenho minhas calças"
Robson: "A Oi Velox agradece o seu contato, tenha uma boa tarde."

Quando minha mãe viu que eu havia trocado a vaca da família por feijões mágicos, resolveu ligar no meu lugar, dizendo que não iam conseguir enrolar ela! Até porque além de ser mais esperta, ela não teria problema nenhum em brigar com o atendente até que o problema estivesse resolvido da forma que ela queria. Ligou. Teclou 3. Teclou 2.

Atendente: "~~~~~~~~ ~~~~ ~~~~~~"
Mãe: "O meu Velox não está funcionando"
Atendente: "~~~~~~~ ~~~~~~~~~ ~~~~~~~~~~~ ~~~~~~~~~ ~~~~~~~~ ~~~~~~ ~~~~~~~ ~~~~~~~~~"
Mãe: "(21) 22XX-3X3X"
Atendente: "~~?"
Mãe: "3X"
Atendente: "~~~~~~ ~~~~~~~~ ~~~~~~~~ ~~~~~ ~~~~~"
Mãe: "Não está funcionando!"
Atendente: "~~~~~~~ ~~~~~ ~~~~~ ~~~~ ~~?"
Mãe: "Não quero saber! Quero uma solução!"
Atendente: "~~~~~~~~~~~~ ~~~~~~~~~~ ~~~~~~~~~~"
Mãe: "Hum... Ok, peraí..."

Nessa hora minha mãe me entrega o telefone e diz: "Ela quer falar com você".

Eu: "Alô?"
Josiana: "Obrigada por aguardar, aqui é Josiana, qual é o seu problema, senhor?"
Eu: "Vocês! Vocês são o meu problema!"
Josiana: "Eu estou vendo no meu sistema que o seu Velox não está conectando"
Eu: "É... quer que eu veja as luzes? Eu estou vendo muitas luzes! Olha elas acendendo e apagando! Acendendo e apagando!" *mexendo no interruptor freneticamente*
Josiana: "Senhor, está havendo uma manutenção na sua área, o serviço deve normalizar em uma hora."
Eu: "Quer que eu desconecte os... Hã? Manutenção? Desde quando?"
Josiana: "Desde 1:00"
Eu: "E por que os outros atendentes não me informaram isso?"
Josiana: "Não saberia informar senhor"
Eu: "Então é só esperar uma hora?"
Josiana: "Exatamente. Mais alguma coisa?"
Eu: "Puxa... Não, obrigado..."
Josiana: "A Oi Velox agradece o seu contato, tenha uma boa tarde."

Volto-me para a minha mãe.

Eu: "É só uma manutenção... vai normalizar em uma hora"
Mãe: "Viu? Resolvido"
Eu: "Ou eles chamaram o Dr Brown"

Minha mãe fica confusa e pensa que eu enlouqueci. Provavelmente vocês pensam também. Mas eu explico. Quando um paciente resolve tomar medidas violentas em um hospital para ser atentido, a equipe deve dizer a ele que chamarão o Dr Brown. O paciente se acalma que conseguiu o que quer, vai finalmente ser atendido.

Dr Brown no entanto é um homem de dois metros, segurança do hospital, que irá escoltar nosso amigo para fora. Chamar o Dr Brown é um código para ganhar tempo sem que o envolvido perceba. Com certeza eles notaram que eu havia ligado três vezes nos últimos minutos, eles mencionaram a manutenção, a qual me manteria longe do telefone por pelo menos uma hora.

Paranóia? Talvez fosse... se uma hora tivesse se passado e a internet ainda não tivesse voltado. Meu telefone sem fio se suicidou depois dessa. A bateria se foi. Eu tinha que vingá-lo... Para tanto, tive que colocar um antigo telefone que faz um ruído horrível, mas serviria para ligar de novo pro Velox.

Velox: "Oi. Boa Tarde. Se você ligou..."
Eu: *Teclo 3*
Velox: "Se você está..."
Eu: *Teclo 2*

Patrícia: "Oi Velox, Patrícia, em que posso ajudá-lo?"
Eu: "Oi. Meu Velox não estava conectando, me disseram que era uma manutenção, mas já passou o prazo do conserto e não voltou"
Patrícia: "Vou pedir que o senhor fale um pouco mais alto, a ligação está ruim, há um chiado horrível. Qual o DDD e Telefone vinculados ao Velox? O sistema não pôde detectar"
Eu: "(21) 22XX-3X3X... 3X! 3X!"
Patrícia: "Quantos algarismos tem seu número, senhor?"
Eu: "Esquece... meu telefone é (21) 22XX-3X2X..."
Patrícia: "3X? A sua ligação está com muito chiado"
Eu: "Exatamente"

*Telefone NÃO fica mudo*
Som de mulher ao fundo: "AÍ MARCELO! TÁ GOSTOSO PRA CARAMBA, HEIN!"

Patrícia: "Obrigada por aguardar, qual o seu problema senhor?"
Eu: "Acho que o Marcelo pega mais mulher que eu"
Patrícia: "Sobre o Velox, senhor"
Eu: "Ah sim... não conecta"
Patrícia: "Com certeza é esse chiado atrapalhando a linha"
Eu: "É do aparelho, o problema é anterior ao chiado"
Patrícia: "Pode desligar seu modem?"
Eu: "Ok... e agora?"
Patrícia: "O chiado continua?"
Eu: "Sim, continua, é do aparelho, não tem nada a ver com o problema do Velox"
Patrícia: "Como desejar... Consta aqui que o senhor já fez todos os procedimentos"
Eu: "Tantas vezes que irei sonhar com eles essa noite"
Patrícia: "Então com certeza é esse chiado na sua linha"
Eu: "É do aparelho!"
Patrícia: "Posso agendar a visita de um técnico, mas caso seja considerado que o defeito não é de responsabilidade do Velox será cobrada uma taxa extra"
Eu: "Tá no inferno, abraça o capeta..."
Patrícia: "Senhor? Não consigo ouvir, está com muito chiado"
Eu: "Manda o técnico!"
Patrícia: "Ok, a visita está agendada para as próximas 24 horas"
Eu: "Então ele vem hoje?" (eram 8 da manhã)
Patrícia: "24 horas senhor"
Eu: "Então eu vou esperar o dia todo e ele pode vir amanhã entre as 6 e 8 da manhã?"
Patrícia: "24 horas"
Eu: "Ok! Obrigado, Jack Bauer!"
Patrícia: "Mais alguma coisa além do problema do chiado atrapalhando seu Velox senhor?"
Eu: "Não!"
Patrícia: "A Oi Velox agradece, tenha uma boa tarde."

Um conserto rápido foi pro espaço no exato momento em que o Vladimir atendeu aquele telefone, então eu já não estava ligando nem um pouco. Agora um técnico ia vir aqui e independente se ia cobrar ou não, se ia demorar ou não, ia ter que dar um jeito. Finalmente, era só esperar e relaxar!

Passaram-se dez horas e nada do técnico. Às seis da tarde, uma ligação é feita aqui pra casa. Minha avó atende o telefone e me chama, queriam falar comigo... era o Velox! Eles estavam se vingando! Eles iam teclar 3 e teclar 2 em mim! Eles sabiam onde eu morava! Peraí, sem pânico, não devia ser isso.

Eu: "Alô"
Anderson: "Alô senhor, aqui é Anderson da Oi Velox, nós estamos ligando porque há uma visita agendada de um técnico à sua residência"
Eu: "Correto"
Anderson: "Acontece que foi identificado que o problema estava ocorrendo em uma das nossas centrais e seria desnecessária a visita do técnico, então estamos ligando para saber se podemos cancelar"
Eu: "O problema era aí?"
Anderson: "Exatamente senhor, um grupo de clientes relatou problemas semelhantes aos seus"
Eu: "E vocês já sabem o que aconteceu? Estava tudo funcionando bem antes"
Anderson: "Ainda não sabemos o que aconteceu senhor"
Eu: "Eu sei. Coisas acontecem"
Anderson: "Senhor?"
Eu: "Como está o meu sinal, Anderson?"
Anderson: "O sinal está perfeito senhor, o problema é na central"
Eu: "Veja se a luz DSL está fixa"
Anderson: "Sim senhor, o sinal está funcionando perfeitamente"
Eu: "E agora?"
Anderson: "O que?"
Eu: "E agora?"
Anderson: "E agora o que senhor?"
Eu: "Apagou?"
Anderson: "Não, continua funcionando"
Eu: "Pode tocar o seu nariz e recitar o alfabeto?"
Anderson: "Senhor?"
Eu: "Poderia desligar os cabos do seu modem?"
Anderson: "Senhor, eu compreendo a sua..."
Eu: "Um minuto"
Anderson: "..."
Eu: "Obrigado por aguardar, qual é o seu problema, Anderson?"
Anderson: "Senhor, eu preciso que o senhor autorize o cancelamento da visita do técnico"
Eu: "Pode cancelar"
Anderson: "Ok, obrigado por realizar o procedimento senhor. A Oi Velox agradece..."
Eu: "Mas tem uma coisa"
Anderson: "Senhor?"
Eu: "Diga pro Vladimir que o Marcelo tá pegando a mulher dele. Agradeço o seu contato, tenha uma boa noite."

Nas próximas quatro horas o Velox voltou a funcionar.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Birdies!!!

Eu sou muito besta! XD

Enquanto as pessoas se metem na Disney para tirar fotos com o Mickey, Donald e Pateta, eu tiro fotos de pardais. =D


BTW, o bacana dessa foto é que minha intensão era de tirar a foto apenas no pardal que está sentado, porem no ultimo momento o outro apareceu do nada e pousou no poste também. XD

Agora eu vou ali pro cantinho fazer compania ao Pac-Man. ._.

sábado, 4 de setembro de 2010

Review de Metroid: Other M

Hey guys. Faz um tempo que não escrevo reviews e só posso adicionar essa na CasaDosJogos quando terminar com um monte de outras que estão na lista de prioridades, então por ora aproveitem a exclusividade.

Para Metroid: Other M, eu dou um decepcionante 7.5 =(

Após a saga em primeira pessoa de Samus com Metroid Prime pelas mãos da Retro Studios, a tocha é passada para o Team Ninja em parceria com a Nintendo. Com jeito de Super Metroid mas promessas de foco na história de Samus Aran, Other M acaba cometendo gafes que o distanciam tanto do clássico quanto da releitura.

O conceito principal do jogo está em misturar partes em terceira pessoa que parecem a evolução de Super Metroid com partes em primeira pessoa que parecem um retrocesso de Metroid Prime. O jogador se move e luta a maior parte do tempo em terceira pessoa e vez ou outra observa melhor o ambiente ou desfere um tiro mais certeiro em primeira pessoa.

ESsa transição rapidamente afastará os jogadores menos experientes. É confusa, pouco prática e constantemente punitiva. Normalmente o jogador utiliza o Wii Remote de lado, como se fosse um controle do NES, movendo-se no direcional digital e atirando e pulando nos botões. O botão A fica para a transformação da Morph Ball.

Quando quer mudar para primeira pessoa, o jogador simplesmente aponta para a tela e a visão muda automaticamente. Nesse modo não é possível se mover, somente apontar, olhar em volta e atirar. Não é difícil imaginar como alguns problemas surgem.

Inicialmente a equipe escolheu o controle no estilo NES para não intimidar jogadores, mas parecem ter esquecido isso logo depois ao optar pela mudança de visão, que costuma causar desorientação por si só.

A empunhadura não é lógica. Quando se segura o controle de lado, utiliza-se o movimento de pinça com o dedão e o indicador somente na ponta do controle, mas ao apontar pra tela, segura-se com toda a mão, como um controle remoto. Isso significa que ao mudar rapidamente de uma visão para a outra, você não conseguirá acessar os botões.

Para não dizer que é sempre negativo, em alguns momentos é interessante alternar entre as duas visões, mudando rapidamente a cara da luta entre mobilidade e precisão nos tiros, mas a falta da extensão Nunchuk para se mover também em primeira pessoa é notável. No resto do tempo, mover-se no direcional digital não cansa muito, a não ser que você realmente empregue muitas horas por sessão, mas teria sido melhor ter a opção. Other M poderia ter sido um jogo muito mais inovador se pudesse ser jogado do início ao fim, tanto em primeira quanto em terceira pessoa.

O mapa é realmente péssimo, um gigantesco passo para trás em relação à Metroid Prime. Enquanto o jogo da Retro possuía um belo e útil sistema com mapas em 3D, Other M não só traz um mapa 2D, sem qualquer discernimento da altura dos elementos listados, como ainda por cima mal apresentado, de forma que é facílimo se confundir e não saber se está indo ou vindo pois o mapa não se alinha com a sua posição atual.

É até difícil saber o que veio primeiro, o péssimo sistema de mapa ou a terrível linearidade do jogo. Apesar de sair pra um console, a comparação mais próxima é com um jogo de portátil. Lembra bastante Metroid Fusion do GameBoy Advance, mas consegue ser ainda mais linear do que este.

Mas não só de linearidade a lá Fusion vive Other M. A parte providenciada pelo Team Ninja da Tecmo neste filho bastardo é a jogabilidade herdada de Ninja Gaiden. Realmente traduzindo muito bem uma Samus mais ágil, que até víamos nas cenas de Metroid Prime, mas não jogávamos realmente com ela.

Essa tradução traz parte da experiência de Ninja Gaiden para Metroid. Ao atirar, seus tiros são automaticamente direcionados para o inimigo mais próximo e apesar disso não ter uma precisão de 100% em relação a quem você queria acertar, funciona muito bem.

Há muitas formas de se lidar com inimigos. Você pode pular em cima (o que falha às vezes) e colar uma estrela de bom menino na testa deles com um tiro. Pode lutar normalmente até ficarem fracos e então realizar movimentos de finalização, os quais felizmente não envolvem chacoalhar o controle nem nada parecido. Parte do design no entanto, favorece que você também os ignore às vezes.

Particularmente eu não achei o jogo difícil, mas também não achei Ninja Gaiden 2 difícil, então acho que vou ter que me fixar na opinião de jogadores menos habilidosos e dizer que Other M está na média.

Sempre que você ficar com pouca energia ou mísseis, pode apontar o controle pro alto e segurar o botão A, ativando a Concentration. Sempre que sua energia estiver abaixo de um quarto é possível usar esse artifício para recuperá-la, assim como mísseis. No entanto, é necessário ficar parado, sem ser atingido, durante esse período para recuperar uma barra de energia, ou mais, dependendo dos upgrades que você conseguir.

Essa parte Ninja Gaiden de Other M me manteve entretido por bastante tempo. Os inimigos reagiam de maneiras muito diferentes às estratégias que você tentava. Descobrir a melhor forma de matar um inimigo era bem interessante, mas em algum momento parece que o jogo termina antes de acabar e páram de surgir novos inimigos. Nesse momento eu comecei a ficar mais entediado.

Os chefes são razoáveis. No início parecia que eles seriam muito interrompidos com cenas interativas, mas a transição entre elas e a ação funciona bem. Eles não impressionam realmente, nese ponto a Retro fazia um trabalho melhor, mas conhecendo Ninja Gaiden, eu confesso que dá pra ver o esforço do Team Ninja em melhorar.

Se você já jogou qualquer outro Metroid antes, sabe que há a questão da evolução. Normalmente você começa bem fraco e vai adquirindo seus poderes, ou os perde com alguma desculpa ridícula nos primeiros minutos de jogo.

Dessa vez, Samus está excepcionalmente sob o comando de Adam Malkovich, seu antigo comandante da Federação Galáctica, e o mesmo é quem autoriza se Samus pode ou não usar seu equipamento. É uma forma controversa, de certa forma inteligente, não posso negar, mas que não parece certa muitas vezes. Se você fosse um bombeiro e tivesse que entrar em um incêndio, não iria colocar uma roupa a prova de fogo?

Há ainda alguns upgrades que você encontra pelo cenário, mas eles realmente não casam com a proposta do jogo. Expansões para mísseis se provam bastante inúteis. Tanques de enrgia extra são sempre úteis, claro, mas agora há partes de tanques de energia, os quais você precisa juntar quatro para criar um tanque inteiro. Ouvi dizer que os advogados de The Legend of Zelda já estão no caso.

Para coroar com uma cereja de chuchu este bolo, a história é bem chata, mal contada e em outros momentos simplesmente não faz sentido. É um enredo bastante sexista, que faz questão de mostrar Samus como uma garotinha indefesa, imatura e com problemas de paternidade, algo que nunca foi sua imagem nos outros jogos. No meio da história até há um lampejo de interesse, pelo mistério de um possível traidor na equipe, mas se desfaz facilmente.

Other M tem simplesmente momentos chatos. Às vezes tentando criar tensão, a câmera irá se aproximar bastante e Samus andará lentamente por longos caminhos, esgotando a paciência de qualquer bom samaritano.

Por outras vezes surge o momento Onde Está o Wally, no qual o jogo todo pára, a câmera fica em primeira pessoa e você tem que descobrir o que está errado na cena. Muitas pessoas pensaram que seu jogo travou quando chegavam nessas partes. É o tipo de quebra-cabeça de Professor Layton que ninguém espera encontrar em um jogo de ação.

Há ainda cenas interativas que parecem ter sido feitas só para matar os jogadores algumas vezes. São fábricas de mortes artificiais. Você ficará preso na visão em primeira pessoa em minigames de acerto e erro, sem nem saber qual o seu objetivo direito.

O jogo tem poucas áreas e sempre se atendo aos clichés. Uma área de floresta, uma área de fogo e uma área de gelo. As paredes invisíveis limitam muitas vezes a imaginação do jogador. Às vezes elas são compreensíveis, mas em outras, fica difícil defendê-las. Isso prejudica um pouco a caçada pelos itens, mas novamente, essa já não era tão prazerosa mesmo.

Graficamente, Other M é muito bem feito, belos modelos, salas ricas de conteúdo, enquanto não tão ecléticas ou artísticas quanto Prime. A distância da câmera na maior parte do jogo, obrigando-o a ser bonito tanto de perto em primeira pessoa quanto de longe em terceira, desfavorece bastante, pois muitos detalhes passam despercebidos.

Há alguns belos efeitos, como a água, os tiros fielmente reproduzidos em 3D, as animações variadas de Samus, reflexos. A música não é tão climática quanto em Prime, na verdade ficando omissa na maior parte do jogo. A dublagem é tolerável, apesar das falas serem péssimas por si só.

Metroid: Other M leva entre dez a quinze horas para ser terminado e por sua linearidade, não oferece muito incentivo para ser rejogado. Coletar todos os itens não exige nenhuma habilidade, sendo só uma questão de paciência. O modo Hard desbloqueado ao se coletar 100% dos itens traz algum desafio, jogando sem upgrades, com só uma barra de energia e dez mísseis, mas ainda não é tão prazeroso quanto os níveis de dificuldade superiores dos Ninja Gaiden.

No fundo, não vejo como recomendar Metroid: Other M. Os hardcore pediram um jogo pra eles e é isso que Other M é, um espelho de tudo que está errado com a indústria e prova de porque hardcore não podem ficar no topo. Excessivo foco na história, linearidade, um jogo para terminar e encostar na estante para pegar poeira pro resto da vida. Você estaria melhor gastando seu dinheiro com Metroid Prime: Trilogy.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

É nóis que posta

Não temos topo, não temos fundo, mas temos UMA ALMA FLAMEJANTE queimando e... tá, se alguém quiser fazer um topo, é 780x180, vamos ficar gratos ._. o topo atual é do nosso amigo Godzilla o/

Bem-vindos à balada do Mario Bros onde muita coisa deve acontecer e nenhuma delas deve fazer muito sentido depois que ficarmos sóbrios

Aqui você vai ver um bando de gente postando pensamentos, arte, críticas, e pra resumir uma longa história, qualquer coisa que passar pela nossa cabeça ou HD

Então se acomodem e não bebam se forem menores de idade... sério, já fecharam a gente antes por isso