Lomadee

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

O Nintendo 3DS é um sucesso, só que ao contrário

Algumas coisas me incomodam sobre o comportamento das pessoas, como a falta de vontade que elas demonstram para ver além do óbvio ou aceitar que nem sempre um evento é motivado pela força que a lógica delas presume.


Não há nada demais em errar, como presumir que um objeto mais pesado cairia antes do mais leve, antes de Galileu provar que a força que atuava sobre eles era diferente da qual a lógica propunha, gravidade e não peso. Porém, até hoje é fácil surpreender as pessoas com isso e mesmo que você explique, algumas insistem no erro.

Em termos de disrupção, Christensen chama estas pessoas de homens-pássaro, pois acreditam que para voar, só precisam amarrar asas em seus braços e batê-las rapidamente. Se não der certo, só não as estão batendo rápido o suficiente. Não preciso dizer que o homem somente voou quando abandonou essa ideia e descobriu a aerodinâmica.

Nosso mundo está cheio de homens-pássaro, presumindo várias coisas que os fatos provam contrárias. Pirataria não diminui vendas, as aumenta; deixar um funcionário mais livre não o torna um vagabundo, mas sim mais dedicado e produtivo; competir ferozmente com um concorrente é menos proveitoso do que ignorá-lo; e a lista continua indo longe.

Então quando eu disse que o Nintendo 3DS iria falhar, pois não tinha aerodinâmica, a reação das pessoas foi basicamente: "Você não sabe de nada, olhe para aquelas asas majestosas, claro que vai voar".

Bom, o Nintendo 3DS foi lançado e foi um fracasso total. No Japão, suas vendas eram quase as piores de todos os tempos, apenas vencendo do WonderSwan, um portátil da Bandai, exclusivo do Japão.


As ações da Nintendo atingiram seu patamar mais baixo em décadas, pela primeira vez em sua história, a empresa previu um enorme prejuízo, o presidente da empresa, Satoru Iwata cortou seu próprio salário, junto com o de vários empregados. Um corte de preço drástico veio para o aparelho em agosto, antes de 6 meses no mercado, algo que a companhia nunca havia feito, desculpando-se em uma carta para seus consumidores.


Após o corte de preço e o lançamento de Super Mario 3D Land e Mario Kart 7, as vendas dispararam. E o que eu ouço? "Veja! O Nintendo3DS é um sucesso!". Bom, o que eu vejo é o mesmo homem-pássaro, jogando uma pedra com boias em um lago e dizendo: "Veja! Pedras não afundam!".


Até mesmo o GameCube teve um pico de vendas com Super Mario Sunshine e Mario Kart Double Dash, mas isso não impediu suas vendas totais medíocres. O Nintendo 3DS está com suas vendas infladas pelo corte de preço e pelo lançamento de títulos fortes. Mario Kart 7 é inclusive o tipo de "software certo" ao qual me referi neste artigo, mas depois vi que não bastava software certo, a filosofia do produto estava errada demais.

Agora, as vendas do 3DS tiveram este pico e muitos acreditam que ele é um sucesso. Porém, suas vendas são erráticas. A Nintendo, tentando construir confiança para o portátil, comenta como ele vendeu mais que o Nintendo DS em seu primeiro ano. Como isso pode ser uma coisa boa?


O Nintendo DS não vendeu mais do que o GameBoy Advance em seu primeiro ano. Poderíamos dizer até que "o Nintendo DS não vendeu mais que o Nintendo DS", pois ele não precisou vender mais do que vendeu para ser um sucesso e nem precisou desse tipo de afirmação, não precisou ser defendido. Na verdade, como todo produto disruptivo, o primeiro ano do Nintendo DS, foi o seu pior, enquanto tomava forma.

Enquanto o Nintendo DS foi ganhando volume aos poucos, conforme o fenômeno crescia, ganhando cada vez mais jogos, o Nintendo 3DS irá queimar toda a sua energia no início de sua vida. Já vimos isso com o GameCube que em seus primeiros anos ganhou exclusividade da série Resident Evil só para perdê-la no fim.


E você acha que nos próximos anos, quando o Nintendo 3DS vender menos que o Nintendo DS vendeu no mesmo período, a Nintendo irá comentar isso? Ou pior, acredita que o 3DS será um fenômeno maior que o DS? Eu não preciso convencer as pessoas de que o 3DS é um fracasso, em alguns anos a história mostrará.

Enquanto isso, o PS Vita foi lançado no Japão e suas vendas estão baixas. Curiosamente, de repente estão falando em fracasso, dois pesos e duas medidas? Porém, mesmo vendendo menos, ele está melhor que o Nintendo 3DS, pois está saudável, tem uma filosofia melhor e um objetivo mais modesto.

O PS Vita, herda mais do legado do Nintendo DS do que o próprio 3DS. Também já vimos isso antes, quando o primeiro PlayStation herdou mais do Super Nintendo que o Nintendo 64. Mas a principal diferença está em seus objetivos. O PS Vita só precisa vender para o mesmo público do PSP. Se ele alcançar 60 milhões, ou um pouco mais, já terá cumprido seu objetivo, perigando até a superá-lo. Esta é mais ou menos a realidade de vendas que eu espero para os portáteis:


Enquanto isso, o Nintendo 3DS tinha como objetivo superar o Nintendo DS, segundo o presidente da Nintendo, Satoru Iwata. Um aparelho que tem como objetivo vender mais de 150 milhões e está consumindo recursos como tal, falha miseravelmente se atingir apenas 80.

Uma analogia que já usei bastante, é que se o Nintendo 3DS e o PS Vita fossem trens, o 3DS estaria indo mais rápido, não por ser uma máquina mais eficiente, mas por estar consumindo mais carvão. Este carvão são os recursos que a Nintendo angariou durante o sucesso do Nintendo DS e Wii, sendo gastos no lugar errado.

Mas afinal, venda é venda, certo? Por que desprezar essas vendas do Nintendo 3DS? Primeiro porque a Nintendo está perdendo dinheiro. A empresa anunciou que o prejuízo que previu, será muito maior, porque está subsidiando o portátil, vendendo-o a um preço menor do que custa para produzir. (o que poderia ser mortal para a empresa)

Segundo porque não se pode ter sucesso em um mercado de competição, oceano vermelho, em encolhimento. O mercado de jogos do Japão tornou a encolher, após o crescimento com o DS e Wii. Não se pode ter real crescimento se seu produto não atingir as três camadas do mercado, os 3 tiers.


Pense que há um abismo com uma piscina do seu produto no fundo dele. Haverá aqueles na ponta, dizendo: "Uma piscina cheia de Nintendo 3DS, acho que vou mergulhar nela".Estes são os jogadores harcore. Eles estão perto e só precisam de um empurrãozinho.

Mas quem são os outros dois grupos? São pessoas mais distantes, que pensam: "Será que vale a pena ir ver esse abismo? Será que vale a pena mergulhar?", e um grupo ainda mais distante, que diz : "Que abismo?".


Cada grupo é mais numeroso que o anterior em proporções que desconhecemos. Para manter tudo relativamente simples, vamos atribuir fatias iguais de 50 milhões de pessoas para cada grupo, assim atribuindo um teto de 150 milhões, que são as maiores vendas de videogames já registradas.

O primeiro grupo, os hardcores, irão se mover em direção ao abismo. Independente da velocidade, eles irão. Cedo ou tarde um hardcore acaba comprando um videogame, os esforços da empresa só dizem quando.

O segundo e terceiro grupos no entanto, precisam ser conquistados. O Nintendo DS conquistou todos, chegando quase a 150 milhões de unidades vendidas. O Nintendo Wii tinha o mesmo potencial, mas abandonou a corrida.


Agora, ciente da existência das camadas de mercado, provavelmente você já entendeu por que as vendas do Nintendo 3DS não são um bom sinal. Tudo que a Nintendo fez foi apressar o primeiro grupo, facilmente conquistável com um corte de preço, enquanto continua sem apelar aos outros dois grupos, sobre os quais não tem poder devido à filosofia errada do portátil.

169 comentários:

  1. "deixar um funcionário mais livre não o torna um vagabundo, mas sim mais dedicado e produtivo" - qual a sua justificativa pra considerar isso um "homem-pássaro"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui, http://www.youtube.com/watch?v=u6XAPnuFjJc

      As motivações dos funcionários são diferentes do que os patrões acreditam que sejam, logo, homem-pássaro

      Excluir
  2. "Enquanto isso, o PS Vita foi lançado no Japão e suas vendas estão baixas. Curiosamente, de repente estão falando em fracasso, dois pesos e duas medidas? Porém, mesmo vendendo menos, ele está melhor que o Nintendo 3DS, pois está saudável, tem uma filosofia melhor e um objetivo mais modesto."

    Isso é sério?

    (na última semana,foram vendidos 15 mil Vita e 100 mil 3DS no Japão, sendo que o Vita não tem nem um mês ainda de mercado. Deve ser um lançamento pior até do que o do Wonderswan...)

    E lembrar que ainda não saiu Pokémon ou Mario side-scroller pro 3DS...

    ResponderExcluir
  3. Tentativa fracassada de limpar sua própria barra ao afirmar que o 3DS seria um fracasso. Tente outra vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Previsões não precisam ser defendidas, ou elas acontecem ou não, basta continuar acompanhando

      Excluir
    2. Quando você considerará o 3DS um sucesso?

      (lembrar que a NIntendo deixará de subsidiar o 3DS já a partir do meio desse ano e que Mario 3D Land e Mario Kart 7 já caminham pra ser ten million sellers...)

      Excluir
    3. Se vender mais que o Nintendo DS, como o presidente da empresa estimou, isso sem causar um prejuízo enorme

      Excluir
    4. Não venderá mais que o DS e isso é óbvio.

      Assim como é óbvio que a declaração do Satoru Iwata tem efeito meramente de marketing. Não é como as previsões anuais, que acabam tendo peso nas ações da Nintendo.

      E não será um fracasso, pois gerará um bom lucro pra Nintendo, tendo com jogos +10 million sellers, como pokémon, Mario 3D, Mario 2D, Mario Kart... E o subsídio no preço do 3DS, que é pequeno, deverá acabar ainda esse ano.

      Excluir
  4. O Vita vendeu 18 mil essa semana no Japão. Parece estar estabilizado nesse número ridículo. É questão de meses pra Sony abaixar o preço dele e perder ainda mais dinheiro pra cada Vita vendido. Se as vendas não melhorarem nem com essa "medida desesperada" (também conhecida como medida normal no meio dos eletrônicos), e se não for acompanhada por million seller como Mario Kart ou Mario 3D Land, é provável que a Sony abandone o Vita e se dedique ao PS4. A Sony apresenta prejuízos há 4 anos seguidos e não irá manter um fracasso que sugue ainda mais os já escassos lucros da empresa.

    Na outra via, o 3DS vendeu 85 mil unidades essa semana (apenas no Japão) e sucessos como Mario 3D land ou Mario KArt 7 não dão sinais que vão parar de vender bem. É provável que sejam dois novos jogos com mais de 10 milhões de unidades vendidas. (pra ter noção como esse número é alto, nenhum jogo do PSP vendeu tanto assim... e isso em 7 anos de mercado...). No próximo ano fiscal, a Nintendo lançará Pokémon e Mario 2D que são outros dois sucessos garantidos. É provável que o 3DS, em seu segundo ano de vida, já tenha vendido mais do que o PS3 no Japão. Lembrando que o PS3 tem 6 anos de mercado. Dito isso, e tendo em vista o menor custo pra produzir um jogo de portátil, é provável que FF, MGS, DQ, MH e todas as outras grandes marcas japonesas também aportem no aparelho da Nintendo. Assim, embora o 3DS tenha perdido uma parcela de público pros smarts e afins e provável que ele alcance o grande público que na geração passada comprou o PSP.

    Se fosse pôr em equação, as vendas do 3DS ficariam assim 3DS = (DS + PSP) - (Vita + 3DS). As grandes dúvidas são o quanto os Iphones da vida conseguiram tirar de público do DS e o quanto o Vita conseguirá vender. O meu palpite é que, 1) ao contrário do que os cavaleiros do apocalipse repetem, ainda há um bom mercado pros aparelhos dedicados, sendo que eles só precisam de grandes jogos e de um preço bacana e 2) o Vita venderá muito menos do que o PSP, pois o pessoal que o comprou pra jogar MonHun ou GTA ou FF, provavelmente migrará para o 3DS, já que é provável que essas franquias irão para o aparelho que está vendendo mais e que , dessa vez, consegue reproduzir a experiência que os fãs esperam.

    Por fim, o meu palpite: o 3DS, no final de Abril de 2013, terá vendido 40 milhões de unidades (afastando qualquer rumor de fracasso) enquanto o Vita terá vendido menos de 10 milhões de unidades (mesmo com o eminente corte de preço) o que significará um provável abandono da Sony até Abril de 2015...

    ResponderExcluir
  5. Puxa vida. Me desculpe. Mas falar que um corte de preço só atrai uma determinada faixa de publico é o cúmulo da irracionalidade.
    Um preço mais barato é algo que afeta todos que podem se interessar pelo produto porque o deixa mais atraente no momento que melhora o custo-benefício.
    -
    E como o assunto é videogame, devemos lembrar que um videogame precisa de uma boa base instalada pra que as produtoras continuem a ter interesse em produzir pra ele.
    Em dois meses até agora, o Vita vendeu apenas 600 mil no japão. Beeeeeem menos que o 3DS, no mesmo período. Bem menos do que um videogame de lançamento devia vender. Ainda mais sendo lançado em dezembro.
    -
    Talvez o autor do artigo não esteja preocupado com isso, mas quem viu a história do Dremcast sabe onde isso acaba.
    A forma como as vendas do Vita estão se desenvolvendo está bem parecida. E, caso a sony não tome medidas, é provável que o Vita repita a história do último videogame da sega.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como mencionado, cortes de preço apenas afetam o Tier 1, seriam os hardcores, eles acreditam que o corte de preço é uma oportunidade, pois obviamente já consideravam comprar o console antes.

      O Tier 2 e 3 não encaram cortes de preço dessa mesma maneira, para eles, o preço cair é desvalorização, se algo desvaloriza, eles acreditam que fizeram bem em não comprar e se sentem impelidos a continuar não comprando

      Excluir
    2. A queda de preço não afetou as vendas do 3DS como o lançamento do Mario 3DLAnd e do Mario Kart 7.

      São esses jogos, assim como Pokémon, Mario Side-Scroller, Smash Bros., Animal Crossing, etc, etc, etc que garantem o apelo do 3DS com o tal tier 3. E o preço baixo ajuda, claro.

      Excluir
    3. O primeiro Iphone teve seu preço reduzido em US$200,00 dois meses após seu lançamento.

      Você tem razão, o tier 3 se sentiu impelido em não comprá-lo mais, o que gerou essa grande crise na Aplle que vemos hoje...

      Excluir
    4. Sim, o iPhone perdeu o Tier 3 pelo corte de preço e pelos múltiplos modelos diferentes

      Se essa filosofia da Apple não for consertada, a empresa entrará em crise nos próximos anos

      Excluir
    5. O corte de preço do Iphone foi em 2007...

      Se ela perdeu o "tier 3" por ter um produto com preço mais justo então ela já está em crise há 5 anos...

      Excluir
    6. O Super Nintendo também perdeu o Tier 3, mas você viu a queda da Nintendo durante o Super Nintendo? Não, a queda ocorreu nos produtos seguintes. É o que chamamos de "Maldição do Terceiro Console", que nada mais é do que a pirâmide disruptiva de Christensen.

      Se a Apple não mudar a estratégia dela, ela sobe a pirâmide e consequentemente se abre à disrupção por outra empresa que esteja na base.

      Excluir
    7. "O Tier 2 e 3 não encaram cortes de preço dessa mesma maneira, para eles, o preço cair é desvalorização, se algo desvaloriza, eles acreditam que fizeram bem em não comprar e se sentem impelidos a continuar não comprando"

      Então a Apple fracassará com um novo Iphone porque o primeiro teve seu preço reduzido dois meses após o seu lançamento?

      Você acha que um corte de preço de 2007 fará com que as pessoas considerem os novos modelos desvalorizados?

      Excluir
    8. O que aconteceu quando a Nintendo passou a lançar versões revisadas de seus consoles pouco tempo após o lançamento? Os consumidores passaram a esperar. O mesmo acontece se uma empresa corta preços.

      Satoru Iwata disse ter entendido isso, então os jogos do Wii nunca caíam de preço. Eles poderiam até ser lançados a um preço menor, mas nunca caíam de preço, e com isso eles mantiveram seu valor.

      Aí a Nintendo desaprendeu e lançou a linha Nintendo Selects. Por que eu vou comprar mais caro no lançamento se depois vai estar mais barato?

      Excluir
    9. Por que você é um consumidor e compra pelo hype, simples assim.

      Não existe esse tipo de racionalidade no capitalismo.

      Excluir
    10. Não existe essa racionalidade no Tier 1, hardcores, que só precisam de um empurrão para mergulhar, já que jogos são grande parte de sua vida

      O Tier 2 e 3 são mais maduros e jogos são apenas uma parte complementar de suas vidas. Eles não ficam desesperados se não comprarem um lançamento na primeira semana, podem esperar meses se souberem que o preço vai cair

      Excluir
    11. Consumidor compra pelo hype. Se tiver um preço baixo e ofereça algo que ele quer, ele vai comprar.

      Ninguém vai pensar: "ah não, o preço vai ser reduzido daqui a pouco", "aff, diminuiu o preço, esse produto está desvalorizado", etc.

      Em caso de dúvidas, é só olhar o sucesso instantâneo do Iphone 4S ou dos diversos modelos do NDS.

      o que vale pro 3DS é o que sempre valeu pros videogames: preço baixo e bons jogos. Ou você acha que os atuais 16 milhões de donos do 3DS são do tier 1?

      Excluir
    12. Não acho, tenho certeza. É sobre isso que o artigo fala.

      O único consumidor que compra pelo hype é o Tier 1. Tier 2 e 3 só vão comprar quando o aparelho oferecer "valor excepcional", o que o 3DS não oferece

      Valor excepcional é quando o valor supera o preço, como o DS ou o Wii, não quando o preço é obrigado a abaixar pra se adequar ao valor, como o 3DS

      Excluir
    13. Bom, se o mercado hardcore é suficiente pra comprar 16 milhões de 3DS em menos de um ano, então a Nintendo nem precisa se preocupar com os tiers 2 e tiers 3.

      Daqui a pouco lança Pokémon e gera nova onda de consumidores "hardcore". Depois lança um Mario 2D - novos milhões de consumidores. E depois tem revisão de console - aí acho que os números do 3DS já vão estar em 70 milhões, isso em 3 anos...

      Essa divisão em tiers é errada, pois ignora a subjetividade de cada consumidor. Um cara do "tier 3", pode facilmente perceber o apelo de um Mario 3DLand em um console que custa US$ 170. Ainda mais se ele já tiver um DS e tiver gostado da proposta.

      Qualquer um é sujeito ao hype proporcionado pelo marketing e pelos preços baixos...

      Excluir
    14. Reexplicando o artigo, o mercado hardcore é limitado, vencer o mercado hardcore garante apenas por volta de 50 milhões de jogadores na melhor das hipóteses.

      Isso significa que se seu produto apenas apela ao Tier 1, durante todos os anos de vida dele, ele terá apenas esses mesmos 50 milhões.

      O que a Nintendo fez foi empurrar mais gente do Tier 1 para o produto no primeiro ano através de um corte de preço e então fingir que está tendo sucesso.

      Isso significa que ela vai atingir o limite do Tier 1 mais cedo, e se não apelar aos Tier 2 e 3 o videogame ficará abandonado por volta do segundo ou terceiro ano, da mesma forma que aconteceu com o GameCube.

      O Tier 3 nunca compra Super Mario 3D Land, porque é um jogo feito para agradar ao Tier 1. É também por isso que a venda de jogos como Super Mario Galaxy 1 e 2 somadas ficam um pouco acima dos 15 milhões, enquanto New Super Mario Bros. Wii chega sozinho aos 25 milhões

      Mario 2D é um killer app forte, mas é necessário que ele esteja de acordo com a filosofia do console, o que no caso do 3DS não está. Se um Mario 2D tivesse saído na época do GameCube, não teria salvado o console.

      Excluir
    15. O Mario 3D Land já vendeu 5 milhões de unidades. Mesmo em um console com uma base muito menor ele já está com vendas próximas aos Marios Galaxy. Eu diria que pela primeira vez a Nintendo conseguiu mesclar a plataforma tradicional dos Marios clássicos à jogabilidade do Mario 64. O resultado? Vendas próximas aos Marios side-scrollers e não aos Marios em 3D...

      E a franquia Mario Kart cresceu muito após a versão de DS. Essa sétima versão, por exemplo, daqui a pouco já terá vendido mais do que a versão de Cube. O acréscimo do online fez muito bem ao multiplayer desdse jogo.

      E a Nintendo ainda tem Pokémon Gray na manga. E a revisão do console. E uma nova geração de Pokémon. E o Mario side-scroller. 50 milhões? Esse número deverá ser alcançado já no meio do ano que vem...

      (essa teoria de tiers e mercado casual e hardcore é muito limitada. O que existem são consumidores ávidos pra gastar dinheiro. Se tiver um produto barato ($170) e com boa qualidade (Mario 3D Land e Mario Kart 7) eles irão comprá-lo...)

      Excluir
    16. Como mencionei, previsões não precisam ser defendidas, basta acompanharmos a história

      Excluir
    17. Pois então acompanhemos.

      (vai ser engraçado um cara torcer pro fracasso do 3DS pra provar que estava certo... e acabar triste pelo grande sucesso do 3DS, cujas vendas já estão para superar as dos 5 anos do GC...)

      Excluir
    18. "E a Nintendo ainda tem Pokémon Gray na manga. "

      É engraçado ver gente quebrando a cara assim.

      O erro da previsão desse anônimo simplesmente fortalece o ponto do Rafael Monteiro.

      Excluir
    19. Mas o 3DS ainda tem Pokémon Grey (ou Pokémon- whatever) na manga...

      E o B/W 2 também aumentará as vendas do 3DS. Pode apostar nisso.

      Excluir
    20. Eu sempre digo, antes de ser lançado, Mario não era Mario. Assim como Pokémon não era Pokémon e Monster Hunter não era Monster Hunter

      Eram só mais um jogo surgindo do nada sem expectativa, quando de repente explodiram. Ou seja, não importa ter Pokémon, não importa ter Monster Hunter, importa ser a casa do próximo grande hit

      Quando o PSP perdia pro DS, todos diziam: "Espera até sair Grand Theft Auto" e "Vai ver quando sair God of War"

      Excluir
    21. Mas acontece que Mario, POkémon e Monster Hunter continuam sendo hits e todos sairão para o 3DS.

      É uma situação parecida com a do PS2, que tinha como exclusivos Final Fantasy e Metal Gear, e ainda viu surgir um fenômeno como GTA.

      O provável é que algum novo grande hit saia pro 3DS, pois não há motivos em fazê-lo pro Vita...

      Situação diferente da geração passada, onde certos jogos de PSP (Monster Hunter) seriam impossíveis no DS.

      Essa diferença não existe mais. Pra Sony ter algum exclusivo gigante, ela terá que criá-lo. Olhando pros jogos de PS3, não parece ser o forte dela...

      Excluir
    22. Você só provou que o Nintendo 3DS não é um ambiente propício a novos jogos

      Um portátil que começa logo de cara com jogos como Resident Evil, Metal Gear e Monster Hunter, afasta produtoras que queiram fazer algo novo

      E nenhum jogo do PSP era impossível no DS, já que a diferença entre ambos era apenas gráfica, mas os jogos do DS que utilizavam a tela de toque, eram impossíveis no PSP

      Agora, qual a vantagem do 3DS sobre o PS Vita? Apenas o efeito 3D. O portátil da Sony por outro lado, tem tela de toque multi-touch e um painel de toque traseiro

      Excluir
    23. A diferença gráfica entre PSP e DS tornava impossível a conversão de jogos como Liberty City Stories, Monster Hunter ou MGS Peace Walker.

      Quem procurava jogos com gráficos em 3D iria de PSP facilmente, assim como quem queria novas formas de jogar e nos estilos de jogos ia de DS. Nãa havia concorrência direta.

      E a vantagem do 3DS sobre o Vita são os jogos e o preço. Essas supostas vantagens do Vita, tela de multi-touch e painel de toque traseiro, jamais farão os consumidores se interessarem por ele como um Mario 3D Land ou Mario Kart 7 fazem os consumidores se interessarem pelo 3DS.

      E ter franquias de peso não afasta nenhuma empresa que queira fazer algo novo. O 3DS só tem um ano de vida e muitas franquias novas estão para serem criadas...

      Excluir
    24. Gráficos não tornam conversões impossíveis, vontade sim. Assim como as empresas não têm vontade de colocar uma equipe dedicada para converter jogos para o Wii

      Franquias já consolidadas afastam empresas que queiram fazer algo novo, porque enfrentarão muita concorrência. Às vezes a mesma empresa tem que decidir entre criar algo novo ou lançar uma franquia já conhecida, e obviamente eles optam pelo caminho seguro.

      Nesse ponto, o PS Vita é um ambiente mais propício à criação de novos tipos de jogos, algo que o DS foi antes. A tela de toque e painel de toque do PS Vita não são nada, assim como a tela de toque do DS ou o Wii Remote.

      O que faz diferença é casar filosofia e interface, como o DS e o Wii fizeram. O 3DS tem uma filosofia ruim, então ele tem uma tela de toque, mas a mesma fica esquecida.

      O PS Vita não tem filosofia forte, o que significa que ele irá na direção que o soprarem. Logo, pode surgir um novo sucesso no PS Vita, algo que era extremamente improvável no PSP.

      Excluir
  6. O cara se apressou ao afirmar que o 3DS seria um fracasso e agora faz pior, tenta manter a sua posição por orgulho.
    Tem tantos pontos na sua tese que são dignos de uma criança de 8 anos.
    O console vender mto é como se fosse ruim pra empresa, se fosse assim a Sony estaria lascada pq o que ela subsidiou no PS3 foi mto maior do que a Nintendo subsidia no 3DS.
    Sem contar que o lançamento do PSVita está mto fraco, e o sujeito vê como animador.
    A Sony subsidia o PSVita tbm, então pra ela se dar bem o console tem que vender pouco?
    Talvez seja esse seu ponto, já que os consoles estão sendo subsidiados, quem vender menos está melhor.

    O numero de consoles vendido agora representará o volume do suporte das terceiras.
    E quando uma empresa subsidia um console é pra ganhar nos softwares.
    Fora que a partir de um momento da geração o valor gasto na produção do console cai, e não vai demorar mto pra que a Nintendo pare de ter que subsidiar o 3DS, e depois, começar a lucrar tbm por cada console.

    A Sony sim está numa posição desconfortável com o PSVita, pois já subsidia o console desde o lançamento, se tiver que cortar o preço vai subsidiar ainda mais, mais prejuízo por console, e até ela parar de ter prejuízo com a produção de cada console vai demorar mais.

    Eu creio que a Sony pode fazer algo pra melhorar a situação dela no Japão, mas apenas corte de preço talvez não ajude, tem que sair mais jogos pro público do país.

    Sinceramente, se eu fosse o autor dessa matéria viraria um homem-ave, um avestruz e escondia minha cara (cabeça) num buraco qualquer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O subsídio da Sony ao PlayStation 3 fez com que ela queimasse todo seu lucro do PlayStation 2. Isso é inteligente? Não, é negar o próprio erro. E é o que a Nintendo está fazendo com o 3DS.

      O PS Vita, assim como o PSP, só parecem pesadamente subsidiados, mas não são, a empresa produz peças internamente para manter os custos baixos. Por isso a Sony sempre oferece um hardware superior por preço inferior à Nintendo, porque ela é uma companhia de eletrônicos.

      Sobre por que vender menos é melhor, é a analogia da locomotiva. Algumas semanas atrás previ o resultado de uma corrida de cavalos. Acha que apostei nos cavalos que tiveram maior explosão no início da corrida ou nos que estava descansados e superaram os outros ao longo do percurso?

      Excluir
    2. Nunca um Playstation foi mais barato do que um Nintendo da mesma geração...

      E o GC tinha um hardware melhor que o PS2...

      Excluir
    3. Se comparar apenas poderio gráfico, sim, mas os consoles da Sony sempre tiveram diferenciais técnicos

      No PlayStation 3 é o chip Cell e o Blu Ray

      Excluir
  7. Eu ainda acredito que com o software certo, o console vende. Uma revisão no 3DS que acertasse o desing e a bateria, além de sair jogos como Brain Age 3, Big Brain Academy 2, um nitendogs que mude alguma coisa, New Super Mario Bros. 2, RPGs simples como DQ e FF clássicos, Animal Crossing e Pokemon. Se todos esses jogos sairem com novidades realmente de conteúdo e sem sacrificar a jogabilidade por causa do 3D, não tenha dúvida que o 3DS venderá. Mesmo com um nome ruim e um gimmick ruim.

    Mas acho díficil acontecer

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também achava, até entender que a filosofia do Nintendo 3DS acaba por puxá-lo pra baixo. Mario Kart fez o DS decolar, mas ao GameCube deu apenas um empurrão e acontece o mesmo com o 3DS. Quando o produto faz força pra baixo (3DS), não há força pra cima que consiga levantá-lo suficiente. Ele precisa ser neutro (PS Vita), pra atingir o Tier 2, ou forçar pra cima naturalmente (DS), pra atingir o Tier 3

      Excluir
    2. Acredito que tudo se resuma ao software certo, pois o software certo denota a direção certa ou errada.

      Ainda acredito na premissa de que o console é apenas uma caixa que compramos para desfrutar do jogo. Mario Kart nunca foi um grande killer app como Mario bros, os jogos da familía Wii e Brain Age e derivados. Ele não fez as vendas do N64 ultrapassarem a do PSX. Ele só vende bem aonde é acompanhando pela mãe dos killer app: New Super Mario Bros.

      Por isso que uma direção certa é capaz de romper os indecisos pelo menos. O tier 3 agora é outro e ainda não sabemos quem ainda não joga depois do Wii e do DS e dos jogos de flash.

      E o nome do PSvita consegue ser pior que do 3DS.

      Excluir
    3. Sheridan, acredito que esteja certo em relação ao consumo de recursos por parte do 3DS: para operar como o Ds e o Wii, o 3DS necessita de mais recursos, mais investimento, justamente por se apoiar num console com erros básicos de design como é o portátil. Dessa forma o console passa uma mensagem errada que precisa ser refeita pelo marketing além do desenvolvimento de jogos alocar mais recursos. Sem falar do subsídio pq a nintendo errou ao apostar na sua obsessão no 3d. Já percebeu isso e está tentando remediar a questão.

      Contudo, acredito que esteja errado em relação ao vita. O console mira o alto mercado. Se o PSP conseguiu num dado momento trazer parte do público do PS2 o mesmo não acontecerá com vita. Seu preço é alto, seu memory card é caro. O console gira em torno de produtos de alto mercado e definitivamente, não é neutro. A sony subiu o mercado com o PSvita e vai abandonar parte do público do PSP que será canibalizado pelo 3DS. Basta ver que é um console que não é neutro pela falta de opções de cores, Wii, DS sempre apostaram em pluralidade de cores pois sabiam que existia grupos de público diferente apostando no console.

      Mas um killer app pode aparecer em qualquer console. Pois não de fato não conhecemos o potencial do mercado; um produto pode apelar em certa hora para um novo mercado como para um baixo mercado.

      Excluir
    4. Sim, ele visa um público hardcore oferecendo grandes recursos por preço alto, assim como antes dele o PS3 e antes deste, o PSP. Ambos passaram os 60 milhões mundialmente

      Por essa lógica não me parece tão improvável que o PS Vita também chegue ao mesmo número. Para não mencionar que PS3 e PSP competiram com a Nintendo em sua melhor geração de todos os tempos, com Wii e DS

      Excluir
    5. Há outro fator, as pessoas compravam PSP para ouvir músicas, ver filmes, ou seja, utiliza-se muito mais os recursos multimedia do console e ficava em segundo plano os jogos. Como sei disso? Basta ver o número baixo de venda de software: menos de um quarto do número de software vendido no DS. O portátil da sony tinha um preço atrativo por oferecer recursos multitarefas que poucos gadgets ofereciam.

      Como é a situação hoje? Existem celulares, tablets, e tocadores de mp4 que oferecem serviços digitais tão bons e melhores do que sony, sem falar com melhores tecnologias, preços e funcionalidades mais eficientes.

      Um console custa U$ 250, um mero cartão até U$ 100. Por esse valor pode-se adquirir um melhor tocador de música, tablet e até celular. Todos com especialidade s e funções mais eficientes para o público. Ou seja, o alto mercado de portáteis multimedia que engloba hoje tablets, smartphones e tocadores de vídeo e música é muito mais concorrido do que entre 2004-2007. Dessa forma, acredito que o console se cair no gosto do público venderá entre 40-50 milhões.

      Já o 3DS, caso a nintendo consiga manter o volume de investimento venderá entre 70-110 milhões.

      Excluir
    6. O Vita concorre com o 3DS muito mais diretamente do que o PSP concorria com o o DS ou o PS3 concorre com o Wii.
      criando uma nova identidade que o diferencie do 3DS.Se essa tendência se confirmar, a vida do portátil da Sony não será fácil...

      Excluir
    7. A parcela de pessoas que comprava o PSP como central multimídia era ínfima, desprezável

      E o 3DS e o PSP competem em um Tier 1, Red Ocean, ou seja, os hardcores, que muitas vezes compram mais de um console/portátil

      Essas vendas podem até se canibalizar no início, onde cada um comprará o mais forte, mas no fim da corrida, muitos hardcores terão os dois

      Excluir
    8. O 3DS parece ser o PS2 e o Vita o XBOX. O sucesso dos dois deve ser proporcional a esses meus exemplos.

      E, aliás, como você explica o sucesso do PS2? Ele tinha apelo pros tiers 2 e 3? Ou será que vendeu tanto pelo tal consumismo, "o meu vizinho tem e eu também quero"?

      Excluir
    9. PSone e PS2 não foram sucessos tão grandes assim em matéria de penetração de mercado, pois era basicamente o mesmo público dos últimos vinte anos levando em consideração o crescimento populacional, diferente de Wii e DS que realmente expandiram o mercado.

      O que ocorreu para aumentar tanto os números de vendas foi uma revolução na distribuição mundial dos consoles e produção, graças à estrutura da Sony como uma megacorporação

      O PS Vita e o 3DS estão mais para Xbox 360 e PlayStation 3, dois produtos saturados de oceano vermelho lutando por aquele mesmo público defasado. Porém, o mercado de portáteis é um pouco maior

      Excluir
    10. X360 e PS3 recebem os mesmos grandes system sellers. GTA, CoD, FF, Elders Scrolls...

      O mesmo não ocorrerá com o 3DS/Vita. ]

      Primeiro, porque os grandes jogos de portáteis são da própria nintendo: Mario, Mario Kart e Pokémon.

      Segundo, porque a proposta do Vita faz com que seus consumidores esperem jogos com gráficos parecidos com o do PS3. E é provável que acabem recebendo ports de jogos de 3DS. A frustração será muito grande.

      Terceiro, porque, ao contrário da situação DS/PSP, não há estilo de jogo que seja impossível no portátil da Nintendo. O 3DS consegue fazer grandes jogos tridimensionais, que era a grande vantagem do PSP. Assim, GTA, Metal Gear Solid, MonHun, todos esses jogos que fizeram a fama do PSP deverão ser lançados no 3DS. O Vita, muito provável, repito, ficará apenas com ports que pouco poderão fazer para alavancar as vendas dele.

      E o PS1 e o PS2 expandiram sim o mercado. É só ver as vendas deles nos EUA, pra acabar com o argumento de distribuição mundial, e compará-las com o aumento proporcional da população americana. Não foi simples aumento demográfico, que na verdade pouco influi na massificação de tecnologias, mas sim produtos que se tornaram mmust buy sem nem os consumidores saber o porquê. É o tal do "meu vizinho tem e eu também quero"

      Excluir
    11. O PlayStation 2 teve tanta penetração de mercado quanto o Nintendo 8 Bits, logo, era o mesmo público

      O 3DS ficará dependente apenas de franquias conhecidas, como ocorreu com o GameCube, você não via a Nintendo criando novas franquias, apenas aproveitando as que tinha

      Já o PS Vita não terá esse problema, e como tem filosofia melhor, atrairá novos jogos interessantes, que despertam curiosidade e eventualmente um novo hit.

      Não é importante ter grandes franquias no portátil, mas sim um ambiente propício à criação de novas grandes franquias

      Excluir
    12. Olhando para os lançamentos futuros do 3DS e do Vita eu não diria isso. O mais provável é que os donos do Vita se vejam obrigados a se contentar com ports de jogos de 3DS...

      E comparar o 3DS com o GC não faz muito sentido. O GC vendeu em toda a sua vida 25 milhões de unidades. O 3DS, em menos de um ano, já vendeu mais de 16 milhões. E olhando pro apoio das thirdies, principalmente japonesas, a comparação fica mais descabida ainda...

      E sobre a Nintendo criar novas franquias, aí estão os jogos do eshop e aí está o Kid Icarus Uprising. E, além desses, o Mario 3D Land tem tudo pra se tornar o Mario em 3D mais vendido da história, portanto é provável que se torne uma nova série...

      Excluir
  8. Olha, sem querer ser chato. Mas eu quero muito, mas muito mesmo que o 3DS seja um sucesso. Pois gosto dos seus textos e gostaria de ver o alongamento deles se a sua previsão principal se tornar um erro. Mas eu vou comentar uma parte que, por favor, falou besteira.

    O maior problema do Vita é que apesar de ele atender a demanda dos criadores de jogos, ele não tem perspectiva no futuro, até agora, em jogos, para o jogador. Principalmente o japonês, onde o Vita tem que se findar (Japão).

    Não há, eu disse, não há, tirando um port de Monster Hunter, um jogo system seller. E olha que nem estou fazendo divisão entre os grupos de consumo. Não estou dizendo que isso não possa mudar no futuro, mas, e se não mudar?

    3DS eu ainda encaro como uma quase possível vitória. Dizer que tem que vender o mesmo que o DS é meio equivocado. Óbvio que não pode vender uns 80 milhões de unidades, mas se vender uns 30 milhões a menos, eu acho que já pode se considerar um sucesso a altura. Pois, hoje o cenário mudou. É a mesma coisa SNES e NES. Os dois tiveram ambas as qualidades, mas porque o sucessor vendeu menos? Concorrência e outros fatores. NES VS Master System contra SNES e Mega Drive. DS VS PSP contra 3DS & Vita VS iPad, iPhone, iPod, Mobile etc. (sim, eu coloco 3DS e Vita juntos pois não é nem uma batalha mais de 3DS Vita e eles, é dos dois contra todos esses dispositivos).

    Voltando. 3DS tem alguns jogos certos que ainda não foram utilizados. High Tier: Pokémon principal (no mundo todo), Monster Hunter 4 (Japão), Animal Crossing (Japão em destaque) e Mario 2D (global). Mediun Tier: Dragon Quest Monster Remake (Japão) e Super Smash Bros. (global, mas com menos impacto no Japão do que no resto do mundo). Low Tier e incógnitas: Kid Icarus, Luigis Mansion, etc. E prometeram jogos para o público expandido, vamos ver se cumprem e fazem certo.

    E deve ter mais. Assim como provavelmente o Vita também terá suas armas. Mas como eu disse, e se não tiver ou tiver poucas? O 3DS pelo menos tem essas, é garantido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o Nintendo 3DS fosse um sucesso, aconteceria o contrário, eu pararia de escrever por não estar qualificado para fazê-lo.

      Jogos não são importantes para fazer um sistema vender, tanto PlayStation 2, quanto Wii e DS tiveram line-ups fracos de lançamento, mas venderam bem.

      Consumidores compram videogames baseados na sua cultura e filosofia (futuros artigos), algo que eles não sabem explicar, mas sentem, é a sensação de que aquele console/portátil receberá o tipo de jogo que eles esperam.

      Não é importante que um console tenha Monster Hunter, Call of Duty ou outro título, é importante que ele tenha o ambiente para que um novo jogo desse tipo possa surgir, como aconteceu com Just Dance.

      O problema das vendas do 3DS é que o Presidente da Nintendo declarou que ele deveria vender mais de 150 milhões, e ele está consumindo recursos como tal, causando grande prejuízo à empresa. O GameCube, por exemplo, mesmo sendo muito menos popular, deu mais lucro do que o PlayStation 2.

      O Super Nintendo não vendeu menos por concorrência, mas porque a Nintendo abandonou o Tier 3 conquistado pelo NES (também futuro artigo), assim como está fazendo com o 3DS e o DS.

      Para um produto de Oceano Azul, concorrência é irrelevante, como o DS, que vendeu mais que o GBA apesar do GBA não ter concorrentes, enquanto ele teve que aguentar o PSP

      Excluir
    2. O Playstation 2 em seu primeiro ano recebeu GTA 3, FF X e MGS2. Esses jogos garantiram o seu sucesso.

      O Wii já vinha junto com o Wii Sports. Não à toa é o jogo que vende a filosofia do Wii e ó mais jogado desse console.

      O DS emplacou de vez mesmo com o Brain Age e o Nintendogs. E antes disso ainda tinha a retrocompatibilidade com o GBA.

      Em outras palavras, software vende videogame...

      Excluir
    3. Mulheres compram consoles da Nintendo para jogarem jogos fofinhos. Elas não sabem se esses jogos já saíram ou se vão sair, mas elas esperam ter esses jogos

      Assim como nenhuma mulher compra um Xbox 360 esperando jogos fofinhos

      Excluir
    4. As pessoas comprarm as coisas sem nem saber o porquê. É o tal do consumismo. Se tiver barato e tiver Mario, a mulherada compra fácil.

      Excluir
    5. Coincidentemente, Sean Malstrom fez um post sobre o assunto, consumidores para os quais não é essencial comprar um novo jogo ou novo videogame. Vale lembrar que eles são a imensa maioria, hardcores consumistas são minoria no mercado

      http://seanmalstrom.wordpress.com/2012/02/21/the-two-different-gaming-purchases/

      Excluir
    6. Bem, o que ele diz é sobre ter fome de determinados tipos jogos e não sobre tiers. Assim, o Mario Kart 7 e o Mario 3DLand (basicamente um Mario 2D em um mundo tridimensional) parecem ser muito mais aptos ao sucesso do que ao fracasso.

      E o texto também tem muitos defeitos factuais. Ele critica a vontade dos designers em satisfazer o próprio apetite e não o dos consumidores, mas no texto ele praticamente fala apenas de seu próprio apetite.

      Ele se esquece que os tais puzzles-narratives de Zelda (que na verdade começou no A link to the Past e não no Ocarina...) fazem muito mais sucesso do que os antigos Zeldas. O apetite dos consumidores é por esse tipo de jogo e não pelo antigo, Demons Souls-alike.

      O mesmo ocorre com Metroid. A verdade é que nunca foi uma série de sucesso comercial. O que a Nintendo está tenntando fazer é encontrar um estilo que venda bem, o que os clássicos, os Prime e o Other M não conseguiram.

      Achar que a fome pelo estilo clássico de Zelda e de Metroid é igual a seca pelos marios 2D é incorrer em uma falaha enorme pra um analista, que é por sua vontade sobre a vontade do mercado...

      Excluir
    7. A questão do Zelda é complicada. Veja as vendas de Skyward Sword: não são vendas comparáveis nem a Ocarina , nem The Legend of Zelda Original.

      Zelda e Ocarina venderam números próximos. Mas tem um detalhe importante; como mencionado em Ultimate History of Videogame, na época do lançamento de Zelda a nintendo não conseguiu suprir a demanda pelos cartuchos de Nintendinho. Dessa forma, sabe-se que as vendas foram prejudicadas por um grande fator: falta de matéria-prima para os jogos, o que justificaria uma baixa venda, bem longe do número do Mario e próximo do jogo que mais vendeu da franquia.

      Metroid era um jogo já de nicho, Other M acabou com esse nicho, apenas. Agora Metroid vende para uns gatos pingados.

      Excluir
    8. Metroid sempre vendeu pouco. Por isso o 2 saiu pra gameboy e o 3 demorou um tempão pra sair pro SNES. O que acabou vendendo mais foi o de GC, graças ao hype e marketing criado pela Nintendo. E o Other M não acabou com nada. É só um jogo mediano e nada mais.

      Já Zelda é complicado mesmo. Em primeiro lugar, comparar as vendas do Ocarina com a do primeiro Zelda é errado, pois o NES tinha uma base instalada muito maior do que o N64. O fenômeno gerado pelo Ocarina é inegavelmente maior que o do primeiro Zelda.

      E falar do Skyward Sword também tem que levar alguns fatores em consideração. Primeiro que o público do Wii é sui generis. São pessoas, em geral, muito mais acostumadas com um Just Dance do que com um Zelda. É necessário que os jogos tenham um apelo nostálgico, como o DKR ou o New Mario ou o Mario Kart, pra venderem realmente bem. E o segundo fator é que os jogadores hardcore hoje em dia esperam uma produção técnica mais elaborada, como os gráficos em HD ou voice-acting. Se você analisar esses dois fatores, você percebe que o Skyward fica num estranho beco entre os dois públicos, sendo muito difícil chegar aos números do Ocarina.

      Excluir
    9. The Legend of Zelda: Skyward Sword vende mal porque é um jogo pior, simples assim

      Ninguém além do tier 1, os hardcores, tem paciência de aguentar os Zeldas de Eiji Aonuma, cheios de falhas de design, por isso vende menos, por rejeição do público do tier 2 e 3

      The Elder Scrolls V: Skyrim não está vendendo apenas para hardcores, está vendendo para o antigo público de Zelda, por isso consegue números tão impressionantes, números que deveriam ser de Zelda

      O mercado de jogos é como um restaurante esvaziando que não admite nunca que sua comida está ruim, culpa o cliente que não tem o paladar correto.

      Excluir
    10. Anônimo 12:30 PM (já que não tem nenhuma especificação), você está dando justificativas absurdas sobre o fracasso de Zelda SS. Primeiro, esqueça esse fator nostalgia, isso é uma desculpa que a Nintendo deu para justificar as vendas de NSMB Wii superiores aos Marios Galaxys.

      Segundo, que bobagem é essa de "sui generis"? Esqueça essa história que o público da Nintendo é casual. É o que está subentendido. E o público real da Nintendo reconhece muito mais Zelda do que um Just Dance, como dito por você.

      Terceiro, é como o outro anônimo falou, o primeiro Zelda não vendeu mais porque não tinha oferta e não dá para comparar o fenômeno do primeiro Zelda com o de Ocarina. Obviamente, Ocarina foi o seu primeiro Zelda e possivelmente, aquele com o qual você cresceu. Mas você não pode afirmar que o fenômeno de um foi maior que o outro se você não vivenciou o dois casos. Já procurou se informar sobre isso.

      Quarto, Zelda SS é um fracasso porque a direção que Aonuma dá para a série faz perder os fãs habituais e não cria novos fãs. Com Aonuma, Zelda tem perdido público. E esse Zelda SS, mesmo tendo a base instalada do Wii, está conseguindo vender abaixo dos Zeldas lançados em consoles com base instalada muito menor. Duvido muito, que depois de cinco de produção e com toda a pompa e arrogância que atribuída a esse Zelda, a Nintendo esteja satisfeita com suas vendas.

      Enfim, como o Rafael Monteiro disse, Skyrim está conseguindo pegar o público de Zelda, tanto é que vira e mexe acaba tendo comparações entre eles.

      Excluir
    11. 1) Os Zeldas do Aonuma, como vocês chamam (algo que nem faz muito sentido, pois a série está longe de ser autoral), não são fracassos. Estão muito longe disso. A série tem demonstrado oscilações e não uma queda constante. O Skyward mesmo já vendeu mais de 3 milhões e provavelmente acabe vendendo ainda mais. Pode não ser o que a Nintendo esperava, mas fracasso também é exagero.

      2) O primeiro Zelda foi um grande fenômeno, admito, me expressei mal. Mas ele era inovador e não tinha concorrentes diretos. Era muito mais fácil se destacar. Hoje, Zelda tem que competir com Skyrim, Uncharted, Gears of War, são séries com valores de produção mais alto. Muitos jogadores, ao começar um jogo que busque ser épico, esperam coisas que Zelda não oferece, como gráficos HD ou voice-acting. Veja, não sou eu falando, mas sim o clamor dos consumnidores "hardcore".

      2) O primeiro Zelda está longe de ser um fenômeno minimamente comparável a Mario. O estilo do primeiro Mario foi evoluindo e todo mundo está acostumado com ele. Faz parte da cultura popular. O primeiro Zelda não. É um estilo que nasceu ali e praticamente morreu ali. Tirando um ou outro nostálgico,a verdade é que não há clamores por uma volta às origens. Aliás, essas origens tem pouco ou nada a ver com Skyrim, que faz parte de uma série antiga e de muito sucesso, é até meio estranho achar que o público do Skyrim seja o do primeiro Zelda...

      4)A qualidade de um produto não pode ser medida apenas pelas suas vendas. Não é questão de comida boa ou ruim, mas sim de marketing correto.

      Excluir
    12. Só complementando, o Skyward Sword sequer foi dirigido pelo Eiji Aonuma. O último jogo que ele dirigiu foi o Twilightt Princess, que, se somarmos as vendas do jogo no Wii e no GC, é o título mais vendiodo na franquia. Como assim, "Zelda do Aonuma" é um fracasso?

      Excluir
    13. Nem todo jogo tem que ter apelo para os tais tier 2 e 3. É importante para o portfólio de um console ter jogos de nicho, com preferência de esse nicho ser enorme.

      Zelda e Metroid representam isso pra Nintendo.

      Excluir
    14. Eiji Aonuma é o novo responsável pela série The Legend of Zelda, ele foi produtor em Skyward Sword, não ter sido diretor não mudou muito pois você nota as influências chatas dele em todo canto

      Por exemplo, como em Wind Waker, só troque o mar de água por um mar de nuvens, é um Zelda sem overworld, é um conceito que não se encaixa com o jogo. Imagine um The Elder Scrolls sem overworld, apenas com ilhas flutuantes, é absurdo

      E sim, vendas medem a qualidade de um produto, mas como é uma afirmação muito chocante para hardcores, ganhará um artigo também

      Excluir
    15. Faça um artigo sobre quem é o autor de determinados jogos e você perceberá que há muito exagero no "Zelda do Aonuma" ou no "Gear of War do Clif Blezinski". Esses caras são mais gerentes de produto do que autores. Essa é uma definição que já é usada incorretamente no cinema e vem sendo adotada pela indústria de videogames para promover determinados jogos. Mas é claro, se você quer pensar que o Zelda é do Aonuma e não da Nintendo, fique à vontade.

      E sobre vendas medir a qualidade de um produto estou curioso. É sempre bom lembrar que grandes fênomenos literários ou cinematográficos não foram grande sucesso, embora tenham se tornado paradigmas e determinado toda a produção posterior. Franz Kafka é só um dos zilhões de exemplos. Será que A Metamorfose, que vendeu pouco, é pior do que Pollyanna Grows Up, que foi um grande sucesso em 1915?

      Excluir
    16. 1 - Cara, vamos considerar que esse Zelda gerou uma grande expectativa por parte de Miyamoto e Aonuma, que foi considerados por eles o melhor Zelda já feito; todo o esforço da Nintendo em promover o jogo; o tempo de produção dele; a base instalada do Wii; as vendas dos outros Zeldas, com base instalada menor; as vendas de TP considerando que foi lançado no início do Wii e que Zelda SS seriam uma "evolução" ; alguns jogos concorrentes que a tempos estão a frente de Zelda SS; e o fato que a tempos que Zelda SS saiu dos top de vendas do mundo todo, semanas após seu lançamento. Diante disso tudo, dá para dizer sim que é um fracasso.

      2 - Esqueça isso, os jogos vão muito bem sem isso tudo. Os valores de Skyrim vão além dos gráficos HDs e voice-acting.

      3 - O mesmo se dizia sobre Mario 2D. A Nintendo principalmente, mas quando a Nintendo lançou os NSMB foram sucessos de vendas, sem comparação aos Marios 3D. Quem garante que Zelda não possa seguir o mesmo caminho. As críticas a Zeldas atuais não tem nada a ver com nostalgia, tem a ver com a estrutura do jogo.

      4 - Vendas são muito mais importantes para definir qualidade do que marketing. Se algo vende bem consecutivamente, é por algum motivo. A questão dos jogadores "hardcore" é que eles gostam de definir o que é bom apenas pela sua conveniência.

      Excluir
    17. 1 - Aonuma, Satoru Iwata, Regis Fills-Aime, Miyamoto, tudo o que eles falam faz parte do marketing. Duvido muito que eles realmente achem esse o melhor Zelda. E você estava dizendo que os Zeldas do Aonuma eram fracasso, estavam perdendo público. Agora é apenas o Skyward que é um fracasso? Ou você acha que o Twilight, o Zelda mais vendido de todos os tempos, também é fracasso?

      2 - Skyrim teve muito, mas muito mais, marketing e dinheiro e tempo gasto em produção do que o Skyward Sword. E a base instalada PS360 é maior que a do Wii.

      3 - Quem falava isso de Mario side-scroller? A Nintendo? Mas o GBA basicamente viveu de relançamentos de Marios antigos. Se você duvida da diferença dos fenômenos, faça o teste: peça pro seu sobrinho, acostumado com Skyrim e Call of Duty e Skyward Sword, jogar o primeiro Mario e depois peça pra ele jogar o primeiro Zelda. Qual dos dois você acha que ele vai desistir primeiro? E vou além, peça pro seu amigo hardcore jogar e salvar o primeiro Zelda e vamos ver se ele aguenta a estrutura arcaica daquele jogo...

      4 - Skyward Sword é ruim? Por que você diz isso? Quem comprou gostou do jogo, assim como a crítica especializada, inclusive com nota perfeita na revista Edge. Para ter vendas, mais importante do que ter qualidade é ter apelo para o público certo. O Skyward, infelizmente, não tem o apelo certo para a mairoia do público do Wii...

      Excluir
    18. 1 - Sim, Miyamoto deu uma declaração nesse sentido. E sim, os Zeldas modernos perderam público, principalmente considerando que os Zeldas do GC e N64 não tinham muita concorrência, ao contrário dos outros Zeldas. Zelda SS segue o mesmo esquema. E quando eu me refiro a fracasso digo pelo sentido das expectativas. Duvido muito que a Nintendo tenham expectativas que Zelda SS venda apenas 3M, quando o outros jogos da série, em condições mais desfavoráveis, conseguiram números melhores. Zelda TP não é um fracasso, se aproveitou muito bem de ter sido lançado junto com o Wii. Agora vamos considerar que Zelda SS foi lançado num cenário mais favorável que Zelda TP, se tem tantas qualidade assim porque não consegue números parecidos? A não ser que a Nintendo se contente com as vendas atuais e que suas expectativas fossem essas, aí sim. Mas continuo achando que num cenário muito mais favorável em que Zelda SS foi lançado, conseguir os números atuais é ruim. E isso é culpa do jogo, não do marketing.

      2 - Não dá para justificar vendas apenas com marketing. E Skyrim, individualmente, vende mais do que Zelda SS. E é assim que eu estou contando.

      3 - Eu não sei, mas me refiro que o sucesso de Mario 2D não deve ser atribuído apenas a nostalgia. Qualquer jogo nessa época, trazido para cá podem ser arcaicos, até jogos da geração passada. A questão é a atualização do jogos. Eu vejo NSMB como uma atualização. Um NLoZ pode ter o mesmo.

      4 - Eu não disso que é ruim, mas tem muitas queixas em pontos primordiais do histórico da franquia. Muita gente reclamou de falta do overworld e da linearidade, por exemplo. A questão é que Aonuma dá uma direção a série que desagrada a muitos e atrai poucos. E se o jogo não tem apelo ao público do Wii, o jogo é que está errado. E não estou me referindo a aquela bobagem "casual x hardcore".

      Excluir
    19. Estamos discutindo dois assuntos como se fosse apenas um.

      Uma coisa é a qualidade do jogo. Acessando fóruns de internet, lendo revistas e portais de videogame, vendo o boca a boca do jogo, logo notamos que ele foi aceito como um ótimo jogo sim. Os seus defeitos estão longe de compremeter a experiência como um todo do jogo.

      A outra coisa é seu apelo e suas vendas. A própria Nintendo já admitiu que o público alvo de Zelda (que é diferente do de Mario) espera uma super produção. O Skyward tem essa pretensão, mas não consegue chegar perto do valor de produção de um Syrim por exemplo. Esse mal não atingiu o Twilight, por exemplo, pois foi lançado em outra época, onde sequer as telvisões HD estava difundidas.

      É como o próprio Rafael diz, mais importante do que ter grandes jogos, é necessário que haja um ambiente propício para eles fazerem sucesso.

      E um "New Legend of Zelda" (um jogo sem puzzles, com foco na exploração e nos combates) pode ser uma ótima idéia, principalment se for lançado pro 3DS. Mas seria um jogo bem diferente do primeiro, ao contrário do New Mario, que é a mesma coisa (mas pior) que os outros Mario side-scroller...

      Excluir
    20. Basta pensar, o verdadeiro gatilho para os muitos jogos em progressão lateral de plataforma nessa geração veio das vendas do Mario. Rayman Origins saiu dia desses em caixa, justamente pq Mario vendeu horrores mostrando que tinha um público potencial ávido para consumir plataforma de progressão lateral. Ou seja, um jogo mede seu sucesso não só pelas suas vendas, mas pelos jogos que inspira. Caso de Dragon quest( que acabou inspirando Final Fantasy), COD e os inúmeros shooters, FF VII que foi imitado até dizer chega e ainda é imitado hoje.

      Zelda clássico tinha inúmeros jogos espelho, inclusive alguns concorriam com o mesmo. O zelda moderno não tem jogos que se inspiram nele. Além de vender pouco Zelda moderno não tem capacidade de desenvolver um estilo que provoque jogos parecidos. Skyrim tem muito mais chanche de acontecer isso.

      Excluir
    21. O Zelda clássico não tinha tantos jogos espelho. E muito menos jogos com sucesso sequer similar a ele. O próprio Zelda 2 se distanciou daquele modelo e o A Link to the Past ainda mais, pois foi o primeiro passo do caminho da série que vemos até hoje.

      E Skyrim copia ele mesmo, pois é uma série extremamente antiga e com jogos muito similares.

      Excluir
    22. E os Zeldas atuais, praticamente, não tem jogos espelhos. O único que eu me lembro é Okami, que foi um fracasso de vendas, apesar de ser um ótimo jogo. E repete alguns defeitos dos Zeldas modernos também.

      Excluir
    23. Bom, tenho uma amiga do tier 3 e que tá adorando Twilight Princess. Ela é viciada em Just Dance e agora só quer saber de Zelda.

      Claro. Exceção.

      Excluir
    24. Não Carlos, sua amiga é a regra. The Legend of Zelda: Twilight Princess é uma boa opção para viver uma aventura, há um grande mundo a se explorar

      No entanto, se ela tentar jogar The Legend of Zelda: Skyward Sword, não vai gostar, não há mundo, há muitas interrupções, é chato. Mas tente colocá-la em The Elder Scrolls V: Skyrim e provavelmente você terá uma nova viciada

      Excluir
  9. "O PS Vita, herda mais do legado do Nintendo DS do que o próprio 3DS".

    Era pra rir?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enquanto nos jogos do 3DS a tela de toque fica esquecida e utiliza tecnologia antiquada, no PS Vita ela esta sendo bem usada e incorporou multi-touch

      Excluir
    2. A tela de toque do Vita está sendo bem utilizada em qual jogo exatamente?

      (e lembrar que a maioria dos jogos de DS já usavam o touch como interface complementar, assim como o 3DS está fazendo. O que o fez vender não foi a interface "tocar é legal", mas sim os jogos que conquistaram um grande público. Igual Mario 3D Land e Mario Kart 7 estão conquistando agora...)

      Excluir
    3. Jogos não são importantes para fazer um sistema vender? Ah parou né cara... parou... wii vendou pq? Por causa de Wiisports... se não fosse um jogo q tivesse se dado tão bem com todos, não teria vendido... imagine q o jogo viesse com sonic the secret rings ao invez de wii sport... vai dizer q o wii ia vender? O ps2 e o ds não tinham uma lineup boa, porem o ds não vendeu bem até os jogos bons aparecerem e o ps2 tinha uma tonelada de jogos do ps1 q todos queriam jogar suas continuações no console... cara, tu errou feio com 3DS e ta tentando arrumar desculpa pra tudo... parece comentarista de futebol...

      Excluir
    4. Se eu tivesse errado com o 3DS, as ações da Nintendo não estariam em queda livre e extremamente desvalorizadas, enquanto a empresa previu o primeiro prejuízo em 30 anos

      Excluir
    5. O iene forte não tem nada a ver com isso?

      Excluir
    6. É mais um bode expiatório, a Nintendo já enfrentou a moeda japonesa forte antes sem fraquejar, mas não estava queimando tantos recursos

      Excluir
    7. Conjuntura econômica é bode expiatório?

      Terremoto no Japão é bode expiatório?

      O fato de estar em duas transições de geração, nos consoles e nos portáteis, também é bode expiatório?

      O único problema da Nintendo é o "fracasso" do 3DS (16 milhões de unidades vendidas, dois jogos que já passaram de 5 milhões...)?

      E quais são todos esses recursos que a Nintendo está gastando com o 3DS? Os jogos que ela fez até agora são extremamente baratos, comparando-se com os outros million sellers da indústria. E o subsídio ao hardware, o próprio Iwata já declarou, não é tão grande e no meio desse ano já deverá cessar...

      Excluir
    8. A própria Nintendo já declarou que a principal causa do prejuízo foi o 3DS

      Excluir
    9. Nem sempre terei fonte do que eu falo, mas por sorte lembro que li isso na Eurogamer

      http://www.eurogamer.net/articles/2011-10-28-nintendo-blames-3ds-price-cut-for-huge-loss

      Excluir
  10. ''Jogos não são importantes para fazer um sistema vender''

    ...

    Esse tipo de comentário que faz uma pessoa perder a credibilidade.

    ''tanto PlayStation 2, quanto Wii e DS tiveram line-ups fracos de lançamento, mas venderam bem.''

    Então você está se contradizendo. Primeiro disse que o 3DS vender mais que o DS no primeiro ano não é nada demais. Agora diz que o DS vendeu bem? Então por números fatuais concluímos que o 3DS por enquanto é sucesso.

    ''Não é importante que um console tenha Monster Hunter, Call of Duty ou outro título, é importante que ele tenha o ambiente para que um novo jogo desse tipo possa surgir, como aconteceu com Just Dance.''

    O importante é os dois. Um não é nada sem o outro. Não adianta nada eu ter um sistema para um publico e não oferecer serviços para ele. Assim como não é bom eu oferecer um serviço para um publico que não quer ele.

    ''O Super Nintendo não vendeu menos por concorrência, mas porque a Nintendo abandonou o Tier 3 conquistado pelo NES (também futuro artigo), assim como está fazendo com o 3DS e o DS.''

    Sim, em partes concordo, mas ai você esqueceu-se de ler o: entre outros fatores etc. Já que, além disso, que você citou, o Mega Drive comeu mercado do SNES nos EUA. Isso não há nem como contestar, está na história, Sheridan, tanto que o SNES só foi dar uma hiper reviravolta com DKC do SNES.

    ''Para um produto de Oceano Azul, concorrência é irrelevante, como o DS, que vendeu mais que o GBA apesar do GBA não ter concorrentes, enquanto ele teve que aguentar o PSP.''

    Comece a ler novas teorias. Estão começando a citar algumas que no futuro próximo (talvez no presente já) o oceano azul se tornará impossível de se fazer em alguns tipos de mercado. Pra você que gosta deve ser um prato cheio (se já não leu). E o mercado de entretenimento eletrônico de massa é um dos que mais se enquadra nisso.

    ResponderExcluir
  11. A Estratégia do Oceano Azul será sempre atual enquanto vivermos no capitalismo e os seres humanos forem humanos, como Shakespeare

    Não tenho interesse em ter credibilidade, prefiro estar certo

    ResponderExcluir
  12. Muito interessante sua analize. Quando foi anunciado o 3DS, eu logo procurei candidatos para comprar meu DS. Eu ia vender só o portátil, os jogos eu guardaria para "usar" no 3DS. Mas quando foi anunciado que o 3DS não rodaria os jogos de DS eu logo dei 10 passos pra trás e desistir de fazer isso. Logo pensei "Que porra de ideia foi essa de fazer um 3DS igual um DS?". Caso as coisas melhores, eu penso em comprar o 3DS, sem me livrar do DS.
    Meu primo comprou um 3DS quando foi aos Estados Unidos (lá tava bem barato) e comprou outros 3 jogos. O problema é que ele não sabia da diferença entre os consoles e comprou um jogo do 3DS e 2 do DS. Sinto é pena dele e dos mal informados. Talvez por casos assim que tão falando que a Nintendo está planejando mudar o nome do Wii U.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o Nintendo 3DS roda os jogos do Nintendo DS, só o contrário que não acontece

      Mas sim, a marca confunde muito os consumidores

      Excluir
  13. Console q mais rapido chegou aos 5 milhoes de unidades no Japão... com certeza, o coitado do 3DS é um sucesso ao contrario...oh wait....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O artigo fala exatamente por que isso não é um bom sinal

      O DS teve essas vendas no seu primeiro ano? Não, vendeu até menos que o GameBoy Advance. Mas no fim de sua vida era o portátil de maior vendagem da história

      As mesmas pessoas que achavam que o DS era "o portátil errado na hora errada" são as que agora acham que o 3DS é um sucesso

      Excluir
    2. Ah sim... boas são as vendas do X360 no Japão... se abusar até o fim do ano o 3DS passa o PS3 por la... e vc vai achar q ta tudo ruim...

      Excluir
    3. Como já mencionado, o bom é que previsões não precisam ser defendidas, basta esperar

      Se o 3DS continuar vendendo nesse ritmo, superará o DS e aí eu não entendo nada de jogos. Se as vendas cairem "inexplicavelmente", tá aí a explicação

      Excluir
    4. No Japão vai dar uma pequena queda no meio do ano, como qualquer videogame sempre dá, e depois vai crescer MUITO no fim do ano, com Pokémon, MonHun 4 e Mario 2D.

      E no outro ano vai acontecer a mesma coisa, sendo que vai ter revisão de console e Smash Bros.

      E no outro ano, já estamos em 2014, vai ter DQ XI e um novo Pokémon.

      Ainda nesse ano, no Japão, ele passará o PS3. No próximo ano será a vez do Wii ser ultrapassado. E em 2014, o PSP ficará para trás. Daí em diante, o aparelho da Nintendo terá três anos pra alcançar as grandes vendas do DS. Olhando agora, e olhando as alternativas, não é impossível de acontecer.

      Já no resto do mundo ultrapassar o DS é uma missão quase impossível. Será necessário criar outro fênomeno surpreendente, assim como foi Brain Age, Niintedogs ou MonHun no Japão. Mas mesmo se não chegar as vendas do DS, ele ainda presentará muito decentes, muito acima das previsões apocalípticas "a Nintendo vai falir".

      O sucesso do 3DS não é dependente de ultrapassar o DS. Isso não é uma corrida. O importante é ele dar lucro pra Nintendo. Como o próprio Iwata já disse, a Nintendo deixará de subsidiá-lo no meio desse ano. Portanto, se ele conseguir vender umas 110 milhões de unidades no mundo todo e for casa de grandes million sellers, a Nintendo já ficará feliz da vida.

      (e o 3DS parece ser um ótimo aparelho pra vender os grandes sucessos da Nintendo. Mario 3D land é provável que se torne o Mario em 3D mais vendido desde o Mario 64. E o Mario Kart 7 já está em sua habitual corrida aos 25 milhões. E nese ano teremos Mario em 2D e Pokémon, dois sucessos inevitáveis)

      Excluir
    5. Duas coisas podem acontecer com o 3DS e ambas são ruins. Primeiro, ele vende bem, mas consome recursos da Nintendo, como atualmente, ou segundo, ele vende mal e se desvaloriza

      Não existe para o 3DS a opção de vender bem sem esforço, como existia para o Wii e o DS, não existe mais impressora de dinheiro.

      Isso porque o Wii e o DS nunca foram um luxo da Nintendo, uma escolha, eles eram a solução para uma crise na indústria, a espiral de destruição do oceano vermelho

      A empresa antecipou a crise e saiu majestosamente por cima, porém, talvez por arrogância, decidiu ignorá-la e agora amarga um preço alto

      Se o Nintendo 3DS vender menos que o DS significa que o mercado encolheu, algo que a própria Nintendo disse que seria mortal alguns anos atrás

      A Nintendo está em sua pior posição em décadas, isso é um fato, as ações estão desvalorizadas a nível de épocas pré-GameCube e a empresa já perdeu muito dinheiro por isso

      Excluir
  14. Não adianta Sheridan. Console que mais vendeu rápido na história do Japão (isso AINDA levando em conta que são sistemas vendidos ao consumidor, e não despachados as lojas). Superando o seu argumento de GBA.

    Só uma curiosidade, Sheridan: se o 3DS se provar um sucesso como o DS, você explicará provavelmente por quais motivos? Tenho quase certeza que serão os jogos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wii e DS não venderam tanto quanto ele e foram enormes fenômenos. Você não vê o mesmo frissôn acompanhando estas vendas do 3DS, isso porque são vendas infladas

      E eu atribuo o sucesso do Wii e do DS à filosofia e ao oceano azul, assim como atribuo o fracasso do 3DS à filosofia e ao oceano vermelho

      Excluir
  15. bom, se o 3DS vendeu menos que o Wonderswan, então o vita está pior ainda! Sim! Veja o gráfico abaixo das 10 primeiras semanas do 3DS em comparação com o Vita! Mesmo o 3DS iniciando em uma época do ano que não se vende muito, e os japoneses preocupados com terremoto, tsunami e calamidade nuclear, ainda assim o 3DS mandou nessas 10 semanas melhor que o Vita, e olha que nesta época ambos custavam o mesmo preço.

    3DS em vermelho e Vita em verde

    http://i127.photobucket.com/albums/p138/thasmurf123/chartgo.png

    http://i127.photobucket.com/albums/p138/thasmurf123/12.png

    Em 10 semanas o 3DS já tinha vendido 950k enquanto o Vita ainda está nas suas 570k, e comparando semana por semana ainda não teve nenhuma em que o vita tenha vendido mais que o 3DS, ou seja se o 3DS estava morto feat. enterrado no começo de carreira, oq podemos dizer do Vita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Vita é o console errado na hora errada. O público que a Sony havia criado com o PSP a Nintedo engoliu com o 3DS. Os lançamentos de MonHun, Resident Evil e Kingdom Hearts decente são só o início...

      Excluir
    2. O Vita veio do PSP, esse é o patamar que ele precisa alcançar pra não ser um fracasso, ele tem metas modestas e não precisa de muito

      Já o 3DS veio do DS, veio de um sucesso sem igual no mundo dos jogos, e o que aconteceu? Ele teve péssimas vendas. Isso significa rejeição do público

      Como o PlayStation 3 que é um fracasso porque perdeu todo aquele público do PlayStation 2 pelos seus próprios erros

      Excluir
    3. O 3DS alcançar o DS é difícil.

      o Vita alcançar o PSP é impossível.

      Excluir
    4. Sugiro continuar acompanhando, pode se surpreender

      Excluir
    5. O PSP e o DS escalaram montanhas diferentes.

      O PSP prometia experiências próximas às dos consoles de mesa, enquanto o DS buscava atrair o público através de uma interface inovadora. Assim, se você quisesse jogar um GTA como você jogava no PS2 o ideal era o PSP; se você queria curtir as franquias da Nintendo e jogos inovadores, então o DS era o caminho. Não houve uma competição de verdade.

      O Vita e o 3DS é uma situação diferente.

      Eles competem pelo mesmo público, que são pessoas que buscam uma experiência portátil mais elaborada do que a que encontram nos smartphones. Ou então irão atrás das grandes franquias, dos grandes system-sellers. Assim, para escolher entre o Vita e o 3DS o consumidor olhará pra qual deles tem mais jogos que o agradam. A vantagem do 3DS, graças às franquias da Nintendo e ao forte apoio das thirdies japoneses, parece indiscutível. É como se o 3DS fosse o PS2 enquanto o Vita fosse um GC ou um XBOX (com a desvantagem da Sony não ter o poder financeiro da Microsoft e não ter franquias de peso como a Nintendo )

      E os altos números do PSP são decorrentes de duas vantagens que o Vita não terá. Em primeiro lugar, o sabor da novidade, jogos com gráficos 3D em um portátil, o que fez os primeiros anos do PSP serem muito fortes (embora não tenha sido o suficiente pra manter as vendas no Ocidente, fazendo com que o portátil tivesse uma morte prematura). E em segundo lugar, Monster Hunter, que foi responsável por alavancar as vendas do PSP no Japão. Com o 3DS sendo capaz de fazer grandes gráficos (a vantagem do Vita nesse aspecto passa desapercebida pela maioria dos consumidores. Novamente, não é igual o DS/PSP) e possuindo a franquia Monster Hunter, por enquanto com exclusividade, é difícil não enxergar um futuro pro Vita que não seja o do fracasso.

      Excluir
    6. A Nintendo abaixou o preço do 3DS (algo que a Apple também havia feito com o primeiro Iphone, mas tudo bem) e por isso ela fracassou.

      Se a Sony abaixar o preço do Vita, ela também terá fracassado, contrariando sua expectativa?

      Excluir
  16. A nintendo tem problemas aparentemente maiores com o 3DS do que a sony com o Vita. Mas teoria e prática normalmente se distanciam. Ainda que seja um produto mais neutro não há garantias de sucesso maior, pois o console é apenas um caixa pela qual se chega aos jogos. Dessa forma o 3DS se esforçando pode garantir vendas muito superiores ao vita, dada a política de alto mercado da sony.

    A sony quer ter o mesmo prestígio da apple com seus produtos, quer que seus consumidores tenha o mesmo frisson. Mas se esquece que o enfoque principal da empresa da maça é ser um produto multimedia para depois ser um produto que tem jogos, situação inversa da sony: O vita é primeiro um console de jogos para depois ser uma central multimedia. E ela se esforça para ter um robusta experiência com vita, sem se preocupar primeiro em ter um experiência portátil. Acredito que o vita vai vender bem na sua real estréia, entre 180-320 mil no mercado americano, mas a longo prazo pode vir a não se sustentar se continuar mirando o alto mercado, tão somente.

    O preço alto, os memory card caros, jogos a $ 50,00 são todas políticas que se focam em alto mercado, mesmo que a sony tenha um console teoricamente neutro, sua direção é dada pela sua política, logo é verificada pelos lançamentos dos jogos. Jogos de console, com exceção de alguns gatos pingados.

    O 3DS tem erros básicos de design( telas assimétricas, um só analógico, bateria com pouca vida útil, enfoque demasiado no 3d em detrimento de todos os outros features) que atrapalharam o desempenho do portátil no começo da sua vida. Tudo isso mais o preço alto afastaram grande parte do público do videogame, coisa que a nintendo percebeu e promete remediar.

    Caso a nintendo produza decentemente Brain Age 3, New Super Mario Bros. 3DS, Animal Crossing, Smash Bros e outros grandes jogos com enfoque em serem jogos portáteis e a sony mantenha a política de alto mercado com enfoque em jogos de console, o 3DS talvez pode ter um desempenho similar ao DS e o Vita inferior ao PSP.

    Mas são muitos "ses", veremos a seguir como as empresas se comportarão

    ResponderExcluir
  17. Até concordo, mas, tipo. Se o 3DS, que é líder, está condenado, então a figura é BEEEEM pior para os outros sistemas.

    Acho que seu único ponto fraco é ignorar isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em um mercado de Oceano Vermelho, competição direta, ser líder tem muitos custos

      Por exemplo, o PlayStation 2, apesar de líder, não deu tanto lucro para a Sony quanto o GameCube deu para a Nintendo

      É como pegar o vácuo do seu competidor

      Excluir
    2. A Nintendo não subsidiava o Cube.

      E o Cube tinha Mario, Zelda, Mario Kart e Smash Bros., jogos da própria com vendas multi-milionárias.

      A situação do Vita é o oposto disso...

      Excluir
    3. Nintendo e Sony tem exigências diferentes sobre hardware. Para a Nintendo, subsidiar hardware é muito prejudicial, para a Sony, nem tanto, já que ela é uma empresa de eletrônicos

      Se a Nintendo continuar queimando dinheiro para fazer o 3DS parecer um sucesso, a Sony conseguirá lucrar mais com o PS Vita do que ela

      Excluir
    4. Subsidiar é ruim e ponto final. No PS1 e no PS2 isso era amortizado pelas altas vendas de software. O Vita, se seguir o padrão do PSP, sofrerá pra vender jogos. Assim, o prejuízo da Sony será enorme, muito maior do que o da Nintendo, que pelo menos tem seus próprios jogos com garantias de vender mais que 5-10-15 milhões de unidades...

      E se as vendas do Vita continuarem no atual patamar (horrível, muito abaixo do que o 3DS em seus piores dias) é provável que a Sony se veja obrigada a derrubar ainda mais o preço do Vita, o subsidiando ainda mais. E se isso não for acompanhado com grandes jogos (como o 3DS teve o Mario 3DLand e o Mario Kart 7) é provável que a Sony desista de seu aparelho, assim como a Sega fez com o Dreamcast ou a Nintendo com o Virtual Boy...

      Excluir
    5. Subsidiar é uma estratégia, no caso de uma empresa específica do setor de jogos, como a Nintendo, é muito ruim, pois não é a praia dela

      Independente de vender muitos jogos ou não para compensar, você está queimando parte dos seus recursos, é necessário pensar o que você fez de errado pro seu portátil insistir em afundar, como ocorreu com o PSP

      No entanto, a Sony opera em prejuízo há anos, assim como a Microsoft. Eles jogam um jogo diferente e estão interessados em monopólios. A Sony liga de ter perdido dinheiro e liderança com o PlayStation 3 sendo que ganhou o mercado de Blu-Ray? Provavelmente não

      O PS Vita não atrapalha a Sony em nada, tudo que ela precisa fazer é deixar ele ali parado, sentar e esperar. Cortar o preço seria um movimento errado

      Já o 3DS, está causando um grande prejuízo na Nintendo, apesar dos fãs enaltecerem as vendas, sentar e esperar não é uma opção para eles

      Excluir
    6. A Sony está com 4 anos de prejuízos seguidos. E o Playstation 3 é muito culpado nisso, pois pela primeira vez a família Playstaion não serviu para balancear as finaças da Sony, mas sim pra derrubá-las ainda mais. O monopólio do Blu-Ray não é o suficiente, pois está longe de ser um mercado tão lucrativo quanto foi o DVD ou o CD-ROM. Estamos na era da distribuição digital, afinal.

      Se a Sony quiser apenas sentar e esperar pra ver o que vai acontecer com o Vita o que ocorrerá é ele cair na obscuridade. E se ela tentar forçar muito o mercado, tentar competir de igual pra igual com a Nintendo, a tendência é que o Vita seja mais um peso pra Sony, derrubando ainda mais suas já caídas finanças.

      Já no caso da Nintendo e do 3DS, a tendência é o oposto. O fluxo natural - lançamento de um Mario 2D, Pokémon, segundo modelo, diminuição nos custos de produção do hardware (o próprio Iwata anunciou o provável fim do subsídio já no meio desse ano...) - são capazes de manter as finanças da Nintendo no azul...

      Excluir
    7. Duas vezes a Sony competiu diretamente com a Nintendo, com o PlayStation One e o PlayStation 2, ambos superando em muito o Nintendo 64 e o GameCube, respectivamente

      Então não faz sentido a Sony não conseguir bater de frente com a Nintendo, já que ela tem um histórico de bastante sucesso nisso. Ela não poderia vencer o Wii e o DS, mas o 3DS não tem nenhum de suas forças

      Subsídio não é a única forma de se queimar recursos, a Nintendo precisa de mais do que alguns jogos bons para se garantir, porque se o 3DS for um novo GameCube, mesmo que dê lucro, não irá recobrar o valor das ações da empresa, que estão muito desvalorizadas

      Excluir
    8. PS1 e PS2 tinham grande apoio exclusivo das thirdies. N64 e GC quando foram lançados enfrentaram os consoles da SOny já com uma base instalada enorme. Essas duas características, que deram grande vantagem pra Sony, pertencem agora ao console da Nintendo. É essa a diferença parece estar te escapando...

      E a Nintendo é uma empresa sólida, com mais de 10 bilhões de dólares de reserva. Ela não é tão dependente do mercado de ações, como é uma Zynga ou uma THQ. Se ela se preocupasse tanto com suas ações, bastaria anunciar jogos pra smartphones que o lucro seria imediato. Mas o negócio da Nintendo é o longo prazo, que é quase o oposto da gangorra do mercado de ações...

      Excluir
    9. PlayStation One e PlayStation 2 fizeram grande sucesso com apoio das Third Parties, mas o Nintendo Wii foi um grande sucesso mesmo enquanto elas o rejeitavam, logo, não é um fator determinante.

      Não são quantas ou quais empresas apoiam você, mas sim o tipo de jogo que lançam, se são de acordo ou não com a filosofia do seu videogame. Jogos como Madworld não fizeram nada pelo Wii, ao contrário de títulos como Just Dance

      A Nintendo era uma empresa sólida, não é mais. Ninguém corta o salário de seus mais altos funcionários porque acha bonito, é uma bandeira laranja, de que algo está muito errado na empresa.

      Qualquer empresa com capital no mercado de ações depende dele para se manter valorizada. Satoru Iwata não faz essas conferências para investidores por diversão.

      A Nintendo teve uma desvalorização a longo prazo nos últimos anos de mais de 80%. O ex-presidente, Hiroshi Yamauchi perdeu entre US$ 300 a US$ 500 milhões em um único dia. Nenhuma empresa sólida se desvaloriza 80% em poucos anos

      Excluir
    10. O Hiroshi Yamauchi é dono de muitas ações da Nintendo. Esse dinheiro que ele "perdeu" é mero reflexo da desvalorização das ações. Quem acompanha esse mercado, sabe como ele é instável. Esses dias mesmo, o Eike Batista havia perdido alguns bilhões que ele "possui".

      A verdade é que os investidores da Nintendo querem dinheiro rápido. O que eles querem é que a Nintendo produza pra Smartphones. Entretanto, como a Nintendo é uma empresa sólida, ela preza pelo longo prazo e não pela pressão de momento dos investidores. Aliás, se a prioridade fossem as ações, ao invés de cortar o salário de seus executivos (medida que pouco afeta o grosso das finanças) ela iria anunciar Pokémon pra Iphone...

      Óbvio que o mercado de ações é importante. Porém, novamente, o que diferencia as grandes empresas das empresas inflacionadas é a forma de reagir a esse mercado instável, a pressa em ganhar dinheiro rápido ao invés de investir no longo prazo...

      E a comparação do Wii com o Vita é no mínimo rídicula. A própria Sony disse que o foco de seu portátil são adultos acostumados com a marca Playstation. Essas pessoas esperam grandes franquias, grandes jogos e, até agora, não tem sinais que vão receber algo do gênero. Já o Wii era pro tal do Oceano Azul, pro grande mercado, pra pessoas que nem sabem quem é o Wesker ou o Cloud ou o Solid Snake...

      Excluir
    11. O primeiro PlayStation vendeu exatamente para o público que não sabia quem eram os personagens famosos, vendeu em títulos casuais e diferentes, tinha um ambiente propício para a criação de coisas novas. Surgiram Crash Bandicoot, Twisted Metal, Grand Theft Auto, etc

      Anunciar que a Nintendo começaria a lançar jogos para smartphones ou jogos sociais para Facebook poderia animar os investidores no início, mas logo no primeiro relatório financeiro os faria se questionar por canibalização

      A desvalorização da Nintendo mostra que a empresa não está bem. A Nintendo é instável por não conseguir manter sua linha de sucessos, não o mercado

      Excluir
    12. Twisted Metal e GTA estão longe de terem representado grande sucesso pro PS1.

      O que fez o sucesso do primeiro videogame da Sony foi 1) a reciclagem de ideias passadas, como Crash Bandicoot (que nada mais é do que um jogo de plataforma 2D em um mundo 3D, longe de representar algo novo)ou Gran Turismo e 2) o apoio das grandes thirdies, sobretudo japonesas (e por isso jogos como Resident Evil ou exclusividades como Final Fantasy ou MGS). O PS1 não representou uma revolução como o Wii. Ele apenas deu continuidade à expansão do mercado iniciada no NES e conseguiu monopolizar esse mercado.

      E acionista não pensa no longo prazo, não tem questionamentos mais profundos. O que eles querem é dinheiro rápido. E por isso há essas crises financeiras e por isso há tantas empresas promissoras que morrem com pouco tempo de vida...

      Excluir
    13. O que faz o sucesso de um videogame não é o que você acha que faz. Em cada esquina você encontrará um hardcore com uma opinião dizendo qual é o verdadeiro motivo de algo, sendo que não tem qualquer embasamento para afirmar

      O sucesso de uma plataforma é determinado pelo seu poder de penetração em cada uma das três camadas de mercado através de sua filosofia, porque se ela não tiver potencial de atingir todos, nunca chega ao sucesso devido às consequências. Como quando o GameCube garantiu exclusividade de Resident Evil.

      O Nintendo 3DS é como um foguete pesado demais, fazendo força para baixo. A Nintendo queima mais combustível e as pessoas acreditam que ele está indo bem, mas esse combustível fará falta depois, pois ele continuará empurrando para baixo.

      Enquanto isso, o PlayStation One não fazia esforço nenhum, ele simplesmente ficou parado, sem filosofia forte e acabou sendo levado às alturas por nomes novos que não existiam na geração anterior, como Twisted Metal e Grand Theft Auto, que você descartou apesar de terem vendido muito bem

      E o mercado de ações é um investimento a longo prazo, não curto prazo, se você tentar movimentar capital especulativo irá se afundar em impostos e taxas

      Excluir
    14. Acho que a discussão já está virando uma grande digressão. Estamos discutindo mercado de ações e o sucesso do PS1 (dois assuntos que eu não concordo com você) ao invés do tema inicial, que era o 3DS x Vita.

      Enfim, voltando: você realmente acha que o Vita será mais lucrativo pra SOny do que o 3DS pra Nintendo? Que o 3DS fracassará e o Vita prosperá?

      Só pra deixar minha opinião: o 3DS não venderá igual o DS. Mas isso não significará um fracasso. Ele deverá vender cerca de 120 milhões de unidade e emplacar million-sellers o suficiente para garantir as finanças da Nintendo.

      Já o Vita, infelizmente, dadas as más escolhas da Sony, fracassará. A tela capacitiva, a placa de toque traseiro, a grande capacidade técnica... nada disso será capaz de atrair os consumidores sem grandes jogos. E dificilmente sairá algo de muito apelo pro Vita, pois o 3DS tem uma base instalada 10 vezes maior e a nintendo deverá monopolizar novamente o mercado.

      O sucesso do 3DS será um pouco inferior ao do DS. Já o Vita deverá ter vendas similares ao Game Gear, claro um número total maior, mas um market share tão ridículo quanto o portátil da Sega...

      Excluir
    15. Está tudo conectado e boa parte da história é cíclica e piramidal. As filosofias se refletem nos jogos, que se refletem nas vendas, que se refletem nos lucros e então se refletem nas ações

      Boa filosofia > bons jogos > boas vendas > bons lucros > ações em alta. Se você não puder apontar a razão correta do sucesso do PSOne, como poderia apontar a razão do sucesso ou da falha do 3DS?

      O PSP vendeu 60 milhões com mais ou menos o mesmo nível de vendas do PS Vita atual. Parece tão difícil assim que o PS Vita chegue aos 60 milhões? Eu não acho

      Já o Nintendo 3DS não tem penetração significativa no Tier 3, o que significa que ele conquistará boa parte do Tier 1 durante toda a sua vida, por volta de 50~60 milhões, e molhará um pouco o bico do Tier 2, com mais uns 20 milhões. Note que jogos como Nintendogs+Cats não venderam no Nintendo 3DS

      O GameGear teve vendas totais de pouco mais de 10 milhões, ínfimo para os mais de 100 milhões do GameBoy. Porém, o DS vendeu 140 milhões e o PSP vendendo 60 milhões.

      O PSP só foi um fracasso porque queria vender mais que os portáteis da linha GameBoy e mais que o DS, pois tirando isso é o portátil de maior vendagem que não seja da Nintendo

      Estranhamente, você não vê a Sony cutucando a Nintendo o tempo todo, como eles faziam na época do PSP vs DS. Porque o objetivo do PS Vita não é superar o 3DS

      Já o objetivo do 3DS é superar a linha GameBoy e o DS. Soa familiar?

      Excluir
    16. Não vou alongar mais a discussão. Mas você diz que o Vita tem o mesmo nível de vendas do PSP. Você não poderia estar mais enganado. As vendas iniciais do Vita são (MUITO) inferiores às do 3DS que eram inferiores as do PSP. E eu acho curioso que antes você dizia que as vendas do 3DS eram similares às do Wonderswan, como se as vendas iniciais fossem o mais importante, e agora o discurso parece ser o contrário.

      Mas de qualquer forma, aguardemos o fracasso do 3DS e o sucesso do Vita...

      Excluir
    17. Há gráficos mostrando que o Vita estava vendendo mais ou menos o mesmo que o PSP no início de carreira

      O erro é querer comparar as vendas de todos os produtos como se fossem a mesma coisa. As vendas iniciais baixas do 3DS são um sinal de algo ruim, mas as vendas iniciais baixas do DS eram sinal de algo bom

      Saber diferenciar é que faz uma analista ir além de dizer que agora o 3DS é um sucesso e o PS Vita está fadado ao fracasso

      Excluir
    18. O PSP tinha a proposta de ser uma grande central de multimídia e ter jogos com ótimos gráficos tridimensionais. Falava-se que ele poderia substituir o Ipod e que jogos como GTA ou Need For Speed seriam grandes sucessos.

      Então surgiu o Iphone e engoliu a vantagem de ser um tocador multimídia. E depois surgiu o 3DS e engoliu as franquias tridimensionais que fizeram sucesso no PSP.

      Assim, o Vita, no mercado atual, é um produto desnecessário. A tela multi-touch, o painel de toque traseiro e os gráficos melhores do que os do 3DS são pouco atrativos para o consumidor casual e mesmo para boa parcela do mercado hardcore. O Vita é o portátil errado na hora errada.

      (e os gráficos que existem comparam as vendas do Vita ao Gamecube ou ao do Dreamcast. O PSP vendia muito mais, ainda mais em seu início. Como o portátil da Sony é subsidiado, assim como o console da Sega era, o seu futuro deverá ser mais próximo ao do DC do que ao do GC...)

      Excluir
    19. Não sei qual informação você viu, mas na minha, o PS Vita estava no mesmo caminho do PSP e eu não tenho por que duvidar das fontes

      Novamente, o que você acha que faz sucesso ou qual você acha que é a proposta de um console, não importa para as suas vendas. Achar que o PSP se deu mal porque o iPhone roubou as funções multimidia é como achar que vai chover porque o céu está escuro

      Todas as franquias que o 3DS pegou do PSP foram as franquias que fizeram o PSP vender mal frente ao DS, que são o mesmo motivo do 3DS vender mal frente ao DS

      O DS não tinha as grandes franquias, mas tinha um ambiente propício para novos jogos. Hoje em dia, o 3DS herda o legado do PSP, já o PS Vita não tem as grandes franquias e tem um ambiente propício ao surgimento de novas, ele herda mais do legado do DS

      Excluir
    20. Gráfico feito pelo pessoal da GAF utilizando os dados da Media Create (corresponde ao Japão, único lugar que temos dados suficiente para fazer qualquer tipo de análise):

      http://i.minus.com/iINXE6p5wrqDw.png

      O PSP teve vendas constantes em suas primeiras 20 semanas. Já o Vita, estando apenas dez semanas no mercado japônes, apresenta um resultado pífio, inferior ao do 3DS em seu início. Os números do PSP são mais próximos aos atuais do Wii, que já está em final de carreira. Novamente, o seu padrão de vendas se assemelha muito mais ao do Dreamcast do que ao do PSP...

      E o DS tinha grandes franquias sim, como New Mario, Mario Kart, Pokémon e Dragon Quest...

      Excluir
    21. Esse gráfico é de vendas cumulativas, o que dá uma impressão errada. Eu vi um gráfico de vendas semanais.

      O DS não recebeu nenhuma dessas franquias no início, diferente do 3DS. O DS viu o surgimento de títulos como Nintendogs, Brain Age, Super Princess Peach, para os quais não há equivalente no 3DS

      Excluir
  18. 4.5 milhoes contra 2.3 do DS ...
    Quase 80% mais software que o DS no mesmo periodo ...
    Vai falir! Que bom é fazer previsão né... dane-se, se acontecer eu sou o bonzão, se não, sou só mais um que tentou a sorte na internet... Os numeros japoneses tbm são excelentes... tenta outra........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olhe o que você mesmo escreveu. Vendeu 4.5 milhões contra 2.3 do DS. O Nintendo DS foi o maior fenômeno do mundo dos jogos, com 150 milhões de unidades vendidas

      Quer dizer que o Nintendo 3DS não está seguindo o mesmo caminho do Nintendo DS

      Eu só preciso esperar a história acontecer

      Excluir
    2. Não há relação direta entre as vendas iniciais e as vendas finais. Não é porque vende mais no início que venderá mal depois. E nem o contrário.

      A verdade é que o início do DS não foi muito bom e só engrenou depois do lançamento de Nintendogs, Brain Age e do DS Lite.

      E o lançamento do 3DS também não foi muito bom, mas engrenou antes que o DS, com o corte de preço e, principalmente, os lançamentos de Mario 3D Land e do Mario Kart 7.

      Não dá pra dizer que o console será um "fracasso" (só dá pra usar essa palavra entre aspas quando se fala atualmente no 3DS) ou um sucesso devido às vendas iniciais do console...

      Excluir
    3. Claro que há relação direta, porque o mercado tem tamanho limitado até que alguém o expanda, algo que o DS e o Wii fizeram, mas o 3DS não

      O 3DS vendeu o dobro do DS no seu primeiro ano, para essa proporção continuar, ele teria que vender 296 milhões nos próximos seis anos, isso parece um cenário provável?

      Tudo que a Nintendo fez foi apressar o Tier 1, os hardcores, para comprarem logo o 3DS. Hardcores que o comprariam no segundo ou terceiro ano, compraram agora, essas vendas farão falta mais tarde.

      E dá sim pra prever muita coisa com as vendas iniciais. Por exemplo, as vendas do DS, que foram menores que as do GameBoy Advance.

      São vendas típicas de um produto disruptor, como documentado por Christensen, cuja característica marcante é ter um primeiro ano incerto.

      Excluir
    4. E o Iphone vendeu muito bem em seu primeiro ano.

      Assim como o Nintendinho.

      Ou o Gameboy clássico. Ou o Gameboy Advance. Ou o Wii.

      E claro que o 3DS não vai manter essa proporção 2:1. Mas isso não quer dizer que ele venderá muito bem...

      Excluir
    5. EDIT: Não quer dizer que ele não venderá muito bem...

      Excluir
  19. O Rafael tem razão, a nintendo vai falir:

    http://www.gamesradar.com/nintendo-doomed-not-likely-just-take-look-how-much-money-its-got-bank/

    lol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seria necessário um conjunto de fatores pra levar uma empresa com tanto dinheiro em caixa à falência, mas a Nintendo parece estar se esforçando

      Desvalorização das ações, queimar muito dinheiro para empurrar o 3DS, queimar muito dinheiro para empurrar o Wii U

      Recessão na economia mundial, crise no mercado de jogos (a qual ela própria previu), disrupção por outra empresa

      Não é à toa que Christensen escreveu muito sobre "como grandes empresas podem falir"

      Excluir
    2. Se a Nintendo manter o ritmo de desvalorização e perdas desse ano fiscal, a Nintendo realmente vai falir...

      Mas só em 2052. Isso me leva a velha piada sobre Nietzche, Deus e a Morte...

      Excluir
    3. Erros custam caro, as perdas da Nintendo agora podem ser só a ponta do iceberg

      Não sei por que é tão mais fácil acreditar em um site que fez uma simples operação matemática do que na teoria de um professor de Harvard Business School

      Excluir
    4. Este professor de Harvard analisou a situação da Nintendo? Ou é você quem está analisando?

      A verdade é que a situação da Nintendo é de uma empresa com 10,5 bilhões de dólares no banco (dá pra comprar três Valve, a empresa do Steam...), e que teve o primeiro ano com prejuízos depois de 30 anos no mercado. Estes prejuízos foram provenientes de um lançamento frustrante do seu console portátil e da entressafra de seu console de mesa. Achar que esse ano é uma tendência pra Nintendo e ignorar o enorme crescimento do 3DS me parece um equívoco enorme. Mas como você mesmo disse, previsões não precisam ser defendidas.

      Aliás, segue gráfico comparando as receitas de Nintendo, Sony e Microsoft no mercado de consoles desde 1981:

      http://i590.photobucket.com/albums/ss342/captainchaos_01/cumulativetotals_low.jpg

      A Microft aguenta essas perdas enormes, pois possui o monópolio em outras áreas. Mas e a Sony? Até quando ela aguentará prejuízos de mais de 1 bilhão por ano (já são quatro anos seguidos)? Uma sugestão pra um novo artigo: a Sony vai falir...

      Excluir
    5. Christensen escreve sobre disrupção, sobre grandes empresas subindo pirâmides disruptivas quando então perdem sua colocação para novatas, como aconteceu com a Nintendo e a Sony na época do Nintendo 64 e PlayStation, e às vezes vão à falência

      As famosas empresas que "não tem como falir", acabam indo à falência do mesmo jeito e foi necessário um estudo para descobrir como isso acontecia já que elas acabavam falindo mesmo fazendo tudo "certo" do ponto de vista econômico. Christensen provou que o "certo" era algo diferente.

      Satoru Iwata disse ter lido o livro de Christensen e o utilizou de inspiração para criar o Wii e o DS, os quais salvaram a Nintendo. Porém, logo depois a empresa abandonou a estratégia vitoriosa para voltar a se colocar em cheque. Por que? Não sei, pode ser ego

      Se a confiança na Nintendo estivesse alta, as ações refletiriam isso, as pessoas comprariam agora em baixa esperando valorização nos próximos anos. Mas o mercado acredita que a Nintendo irá queimar mais dos seus lucros e reservas do que multiplicá-los, deixando as ações em um patamar péssimo, o mais baixo dos últimos anos.

      Nintendo, Sony e Microsoft, jogam jogos diferentes. Eu sou analista do mercado de jogos, eu posso dizer quando uma empresa de jogos vai mal, mas não posso dizer quando Sony e Microsoft como um todo, tirando suas divisões de jogos, vão mal. Então não posso afirmar que elas vão falir

      Excluir
    6. Previsões não precisam ser defendidas. Você diz que o 3DS fracassará e o Vita será um sucesso. Eu digo o contrário. Vamos esperar pra ver o que vai acontecer...

      (e o bom é que o Vita já se demonstrará um fracasso, na sua concepção, em poucos meses, já que a Sony se verá obrigada a reduzir o preço dele. Então, não aguardaremos tanto.)

      Excluir
    7. Em nenhum momento eu disse que o PS Vita será um sucesso, ele só não será danoso e nem mesmo um fracasso, pois venderá tanto quanto o PSP, sem as ambições de ser um Nintendo killer.

      Se a Sony cortar o preço dele estará apenas perdendo dinheiro à toa, pois ela só precisa esperar. O DS também teve um corte de preço precipitado que não o ajudou em nada, mas que não o taxou de fracasso.

      Excluir
    8. Ok. Então sua previsão é que o Vita venderá o mesmo que o PSP? E já que o corte de preço não será sinal de fracasso, teremos que esperar ele sair do mercado, algo que deverá ocorrer em três anos.

      Enfim, deixe o tempo mostrar quem está certo...

      Excluir
  20. Deixe-me apenas eu te informar sobre uma curiosidade que você fez questão de desdenhar (de certo pelo ego inflado, de achar que os textos são ótimos e do dono da verdade):

    Há alguns mercados em que o Oceano Azul não mais poderá ser aplicado. Vou dar um exemplo simples.

    Imagine o café e três empresas que controlem todo o sistema (estou simplificando, OK): Uma delas está à beira da falência por causa da competição com as outras duas. Então essa empresa para se salvar lança sabores revolucionários de café: mentolado, com maracujina pra acalmar, frutas vermelhas etc. BOOM! A empresa decola (lembrou de uma?).

    Só que as outras duas fazem depois de um tempo a mesma coisa. Uma delas faz um pouco melhor e acaba voltando a ser líder. Então a empresa que explodiu pensa: o que poderia fazer? Mas... Nesse tipo de mercado não há mais muito que melhorar. Acabou. Fudeu. Chegou um ponto que não existem mais estratégias mirabolantes. Não existe Oceano Azul ou Vermelho, é uma teoria de embarcações em mares normais, quem tiver mais recursos sobreviverá (leia-se: já que não pode-se mais oferecer ao consumidor um produto de ruptura, inovador, você usa seu dinheiro na única coisa que os economistas concordam que da certo se você fizer certo: marketing. Mas para isso tu precisará de grana). As embarcações sobreviverão de acordo com a estratégia da empresa. Ela até pode sobreviver, mas se quiser ser gigante será destroçada, então terá que ser pequena, não grande, pois não conseguirá competir. É a teoria dos níveis de Embarcações que navegam por obrigação nos mesmos Mares e enfrentam as mesmas condições. A que tiver seu barco ancorado sobreviverá. A que tiver um transatlântico sobreviverá. As outras não.

    No setor de tecnologia está acontecendo à mesma coisa. Hoje em dia está cada vez mais difícil produzir uma interação nova e revolucionária. Mais difícil ter um monte de jogos exclusivos, todos tem a maioria e etc.

    No final tudo vai ser igual. Só vai mudar é quem pode, pode. E pode fazer marketing. Tem até uma empresinha ai que a minhoquinha gosta muito e que sabe fazer marketing como ninguém. =)

    Claro, isso não é uma regra 100% estável, segura e de fácil manutenção. Mas reflita um pouco sobre ela que talvez você sugue um pouco mais de saber e sabedoria (ou o que quiser procurar). Quem sabe sua tese de doutorado não seja de mercados onde não existe nem oceano azul, vermelho, violeta ou arco-íris?

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tanto A EStratégia do Oceano Azul quanto The Innovator's Dilemma e The Innovator's Solution abordam a questão da concorrência e do benchmarking, seus concorrentes "emparelhando"

      Por exemplo, existe essa percepção que outro concorrente pode simplesmente vir e copiar você e então o seu Oceano Azul acaba, mas isso não ocorre. Christensen documentou esse fenômeno interessante onde o disruptor nunca pode ser vencido por um Oceano Vermelho. É o que vemos hoje com a Apple e o Android.

      Isso significa que se uma empresa criou um Oceano Azul com algum novo produto que atentava para o não-consumo, como o Nintendo Wii ou o Nintendo DS, ele não pode ser derrubado por um concorrente tentando copiá-la, como o PS Move ou o Kinect, apenas as próprias decisões da Nintendo podem matar seu Oceano Azul, como ela descuidadamente fez

      Mas consideremos a hipótese de que em algum ponto os concorrentes conseguissem atacar o mercado da Nintendo, tornando-o um Oceano Vermelho. A Estratégia do Oceano Azul basicamente diz que você pode gastar todos os seus recursos que angariou no seu Oceano Azul para se defender, ou seja, perder dinheiro, ou buscar então um novo Oceano Azul

      As estratégias de retorno "certo" às quais você se refere, como marketing e investir dinheiro, levam ao motto do estudo levantado pelo The Innovator's Dilemma: "Por que grandes empresas falham fazendo tudo certo".

      Excluir
  21. Eu vi que esse artigo rendeu.
    Não imaginava que o autor, depois de todo esse tempo e acontecimentos, ainda conseguisse enxergar indícios de fracasso no portátil da Nintendo.
    Só estou postando aqui para pedir um esclarecimento de uma das afirmações que vi no texto, ou comentários. A de que software não vende hardware. Gostaria que o autor, apresentando uma análise específica do mercado de games, e não somente nos estudos das teorias do Oceano Azul e do The Inovattor's Dillema, chegou a tal conclusão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É necessário entender a disrupção de The Innovator's Dillema para entender o que acontece no mercado de jogos o tempo todo

      Não são os jogos atuais ou os consumidores atuais que fazem um console ser sucesso ou fracasso, é o resto do público, tier 2 e tier 3, que são muito mais numerosos que esse tier 1.

      O tipo de jogo que surgirá e o quanto ele agregará valor ao seu produto, dependem da filosofia do console e da empresa. Se Gears of War saísse pro Wii, não iria satisfazer seu público, se Super Mario Galaxy saísse pro Xbox 360 ou PlayStation 3, não iria satisfazer o público deles

      Ou seja, quando as pessoas dizem "o importante são os jogos", "Gears of War é importante" e "Super Mario Galaxy é importante", há fatores fundamentais sendo ignorados, e que mostram que eles não são importantes

      Um dos mascotes que liderou o PlayStation à vitória, foi Crash Bandicoot, que não existia antes e só nasceu devido à filosofia daquela plataforma, com a qual ele também estava de acordo

      Você não precisa de Crash Bandicoot, Gears of War ou Mario, você precisa do solo fértil onde o próximo sucesso possa brotar. Colocar vários vasos de flores em terra infértil não cria um belo jardim

      Excluir
  22. Respostas
    1. Tivemos um problema com a nova interface do Blogger, se possível, poderia postar o comentário novamente? Perdoe o incômodo =/

      Excluir
    2. Tudo bem.

      Eu não sei se você entendeu o meu questionamento, já que respondeu como se eu tivesse perguntado da fama dos jogos e seus personagens. Porém, concordo que cada console, aparelho, instrumento, o que for, tem seu público alvo que é atraido pela imagem que lhe é percebida.
      O que quero saber é, por que software não vende hardware?
      Ainda, não vi nenhum exemplo de alguém que compra, um video game se não for pensado em seus jogos.
      Para usar a mesma teria dos tiers, poderia dizer que, para o grupo do tier 1, apenas o potencial da existência pode ser o suficiente. Mas, já a partir do 2 e 3 deve haver algo concreto, o produto já deve tá disponível.

      Excluir
    3. O tier 1 compra com base nos jogos que já existem e que foram anunciados, apenas para o tier 1 software vende hardware e eles são ignoráveis

      Tier 2 e tier 3 compram videogames por sua imaginação. São aquelas pessoas que compram um videogame e depois encostam. Elas não perderam o interesse nele nem são casuais, o problema foi que nenhuma empresa captou a imaginação deles.

      Apesar do tier 2 e tier 3 poderem ser levados a comprar um videogame por um título isolado, como Wii Sports, Wii Fit ou Just Dance, eles esperam que haja um próximo jogo para eles. Quando o próximo jogo não vem, eles consideram que a empresa falhou em atendê-los.

      Ou seja, eles compram baseados na expectativa de jogos que eles mesmos imaginaram ou deixam de comprar baseado em experiências anteriores com sua imaginação tendo sido ou não realizada

      Por isso o padrão deles parece tão errático e imprevisível do ponto de vista do software

      Excluir
  23. Não acho a filosofia da Nintendo errada, eles querem inovar pra trazer novos jogadores. A da sony também não é errada porém não é original, nunca foi, eles só estão melhorando gráficos e tirando ideias a partir da Nintendo como sempre fazem. O único problema é que a Nintendo já teve problemas no passado com Nintendo 64, os gráficos eram difíceis de se montar e não teve muitos jogos, e a maioria eram de esportes, então eles procuram mais criar hardware que facilitem o desenvolvimento de jogos, do que placas de vídeo potentes para dificultar o desenvolvimento.

    ResponderExcluir
  24. Rafael,


    quando falei que o PSvita sofreira por causa do alto mercado multimedia, você disse que não. Mas, ironicamente, depois das vendas pífias até no mercado japonês( que celulares e tablets tem uma altíssima penetração de mercado), inclusive. Até o Malstrom está falando isso. Apostei com um operador de bolsa colega meu, e ganhei uma grana. Agora estamos apostando quem chegará mais perto dos números absolutos dos consoles, em todos mercados.

    Voltando, disse que o 3DS canibalizaria as vendas do PSP sobretudo no japão e todo aquele alto mercado multimedia não compraria o vita pq eles equipamentos multimedia mais eficientes.

    Por enquanto é isso que estão acontecendo. Mas a nintendo pode voltar-se para o seu universo destrutivo 3d e a sony acertar algum hit, pois só foi preciso muitos Monster Hunter para vender o console. Mas ela perdeu todo alto mercado multimedia para os tablets e smartphones.


    Meu texto na época: O comentário em fevereiro



    Texto do malstrom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente Malstrom nem sempre está certo, algumas pessoas até acreditam que seja mais de uma pessoa escrevendo o blog dele e por isso haja algumas divergências e contradições.

      Por exemplo, achar que o PS Vita e o PSP vendem ou deixam de vender significantemente por funções multimídia vai contra ensinamentos básicos de Christensen e eu descarto facilmente a hipótese, assim como normalmente Malstrom descartaria também. Seria como culpar a queda dos jornais pela internet, algo que ele mesmo vai contra.

      Se você apenas apostar quem venderá mais, não necessariamente apostará no vencedor, pois a percepção de sucesso é muito distorcida na indústria.

      Por exemplo, em uma análise do primeiro trimestre do ano fiscal, abril - maio - junho, já que o ano fiscal termina em março, um analista disse que o 3DS estava vendendo bem, que o PSP é um highlander por continuar vendendo e o PS3 é um concorrente de peso para o Xbox 360.

      O que todos tinham em comum nesse relatório? 3DS, PS3 e PSP deram prejuízo para as suas respectivas empresas. Agora, e o PS Vita? Ele deu lucro. Sabe o que o analista disse? "Não deu lucro o suficiente". Apesar de ser o único da matéria que realmente deu dinheiro, era colocado para baixo.

      Kaz Hirai, presidente da Sony Corporation, disse que as vendas do PS Vita estavam exatamente onde eles esperavam que estivessem. Poderia ser só papo, mas a falta de um corte de preço mostra que eles têm um certo planejamento e direção.

      Excluir
    2. VOce não esta considerando a situação macroeconômica. E se pegando em lances pontuais para não admitir que esta errado. As vendas do vita estão medicrre sim, não adianta tentar esconder isso com falas do presidente da sony, pois o que um presidente fala reflete na empresa, nunca um presidente assumiria um fracasso se ainda esta apostando num produto. O pepita não da lucro relativo ainda, esta enganado novamente. Todo desenvolvimento do vita sugou tanto o dinheiro da sony que demorara 3 anos para a sony começar lucar com os portátil.

      Não vai contra no sentido que disse, o foco do portátil era ser um centro multimédia, como sao todos os consoles sony. E nia época era eficiente dessa maneira, entender do que as pessoas precisam e o básico do autor e vc parece não perceber o celular nas ruas, como o panorama histórico mudou e assim esses fratures só pioram a situação do vita. Ou seja recomendo vc reler toda literatura reconstrutivista que esta em contato, pois esta aplicando de forma errada para justificar sus analise errada. Ainda bem Que não trabalha diretamente com só mercados.

      Excluir
    3. Todos acham que sabem o que faz um produto vender, o difícil é aceitar que aquilo que você considera essencial, não é necessariamente o que faz o público querer algo

      Por exemplo, entupir um videogame de recursos multimídia, ficar fazendo benchmarking com telefones celulares, só o torna mais caro e menos atraente, praticante de todas as artes e mestre de nenhuma, típico pensamento de Oceano Vermelho.

      Uma das primeiras regras de A Estratégia do Oceano Azul é: "Pegue tudo que é considerado essencial e jogue fora". Muitas pessoas não entenderam por que o iPad não tinha câmera, mas a parcela que não comprou por causa disso foi ínfima.

      Excluir
  25. ainda mantém a previsão do fracasso do 3DS?

    nos atualize ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, mas não há nada de novo acontecendo nessa questão. Nintendo continua perdendo dinheiro para fazer o 3DS vender.

      Excluir
  26. OK. 3DS já passou o número de unidades vendidas do Wii no Japão e do N64 mundial e conta com uma das maiores (se não for A maior) e mais variadas bibliotecas do mercado. Pokémon X e Y e Monster Hunter 4 vendem igual água. Muitos jogos de peso chegando como Zelda A Link Between Worlds e Super Smash Bros. E agora, ainda é fracasso? E o Vita?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. - O 3DS está com um abismo de vendas em relação ao DS (mas não vendia mais que o DS?)
      - Pokémon X & Y tiveram um lançamento abaixo de Black & White, estão 1 milhão atrás das versões do DS, já estão em 5º lugar no top de vendas
      - Monster Hunter 4 em 7º, sem superar a performance da versão do PSP
      - Nintendo postou mais um trimestre de prejuízo
      - Continua confiando nos mesmos jogos de sempre, incapaz de criar novas franquias
      - Sssa semana o PS Vita superou as vendas do 3DS com o lançamento do PS Vita TV e God Eater 2.

      Então eu não estou vendo por que de tanta alegria em comemorar um portátil que está indo tão pior do que seu antecessor e afundando a empresa, enquanto a Sony continua ganhando dinheiro com o PS Vita e não demonstra nenhum sinal de desespero.

      Excluir
  27. Mais de 3 anos se passaram, onde será que o dono do post enfiou a cara? Heheheh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda estou aqui e continuo dizendo que o 3DS não é um sucesso. Está abaixo da meta de vendas da Nintendo, dá prejuízo e o abismo em relação às vendas do Nintendo DS continua enorme

      Excluir
    2. Ele explicou a torta e à direita, quase fez mímica, mostrou vários pontos, fez diversos comentário, você quer que ele desenhe?

      Excluir
    3. Rafael, você poderia fazer o desenho desse post que mostra os consoles englobando os Tiers de novo, só que com consoles atuais?

      Excluir
    4. Não existe uma pesquisa de mercado sobre a quantidade numérica de cada Tier, mas com base nos videogames mais vendidos de todos os tempos nós fazemos uma aproximação grosseira.

      Cada Tier possui aproximadamente 50 milhões de consumidores, o Tier 1 de hardcores que adoram seu produto, o Tier 2 de indecisos sobre o produto e o Tier 3 de quem não sabe sobre seu produto.

      O Nintendo DS vendeu 150 milhões de unidades, consideramos então que ele pegou os 3 Tiers. O Nintendo Wii vendeu mais de 100 milhões, acreditamos que ele pegou quase todo o Tier 1, boa parte do Tier 2 e um pouco do Tier 3.

      Se a Nintendo tivesse mantido sua estratégia de sucesso com o Wii ele poderia ter chegado a 150 milhões, mas ela desistiu dele em 2009. Os números totais de 50 milhões são através de toda a vida útil de um console, então não significa que todo console que vendeu 50 milhões atingiu apenas o Tier 1.

      O Nintendo 3DS vendeu por volta de 50 milhões, a vasta maioria é de Tier 1 que a Nintendo empurrou apressadamente com um corte de preço. Pessoas que só compraria o 3DS em 1 ou 2 anos, compraram antes, ela sacou antecipadamente esses clientes. Provavelmente uns 10 milhões são de Tier 2 e praticamente nada de Tier 3.

      Basta pegar as vendas totais de cada console para ver aproximadamente até que Tier eles chegaram. No entanto, é preciso considerar o efeito da globalização, a qual só ocorreu após o primeiro PlayStation.

      Excluir
  28. Muito obrigado Rafael por sanar minhas dúvidas.

    ResponderExcluir