Lomadee

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Top 25 Jogos de PS Vita

Recentemente o site de jogos IGN fez um Top 25 de jogos do PS Vita e tenho que dizer que fiquei impressionado com as más escolhas da lista. Fiquei tão chocado que resolvi fazer o meu próprio Top. Confira as 25 posições, com direito a um extra no final e algumas ausências justificadas.

Veja também: Top 25 Jogos de PS Vita - Parte 2


25- PlayStation All-Stars Battle Royale



Uma clara cópia barata de Super Smash Bros. com um elenco muito menos carismático e uma mecânica menos funcional. PlayStation All-Stars Battle Royale tinha tudo pra dar errado e realmente deu, virando jogo da cestinha de barganhas. Não significa no entanto que não dê para se divertir um pouco com Kratos, Drake e figuras clássicas como Parappa. O fato de receber personagens extras depois de pronto também foi legal, já vendê-los, não.

24- Big Sky Infinity


Pouco conhecido jogo de nave, Big Sky Infinity te apresenta um percurso aleatório a cada nova partida com zonas diferentes e até chefes. Independente do caminho que você faz, ganha dinheiro para melhorar sua nave e cada vez tentar durar mais. Seria bem menos atraente se não tivesse gráficos tão agradáveis e boa música, além de narração, que às vezes solta piadas como "Não universo... VOCÊ bote suas mãos pra cima".

23- Guacamelee!


Muitos provavelmente colocariam Guacamelee! em uma posição mais alta, mas apesar de gostar do jogo, fico feliz que tenha comprado em promoção. Guacamelee! é o seu tradicional "Metroidvania", onde a cada nova área completada você ganha um novo poder que te ajuda a acessar vários outros locais. O jogo é divertido, competente, tem uma boa temática mexicana de luchadores e dia de los muertos, mas em nenhum momento surpreende.

22- Killzone Mercenary


Apesar de gostar bastante de FPS, eu não gosto muito dos FPS tradicionais. Eu troco facilmente um Call of Duty, Battlefield ou Killzone por Goldeneye 007 do Nintendo 64. Porém, Killzone Mercenary me surpreendeu bastante, por justamente me agradar. É um jogo bastante divertido e bem produzido considerando que foi feito para um portátil, contando ainda com um bom modo online. É definitivamente o FPS do PS Vita, para qualquer um que goste do gênero.

21- Plants vs. Zombies



Não importa em qual plataforma eu esteja, eu jogarei Plants vs. Zombies. É um dos melhores jogos dos últimos tempos e sempre dá pra começar uma nova partida. Eu zerei nos smartphones, no DSi Ware, no Nintendo DS (versão mais completa), no Chrome, no Xbox 360 e onde mais surgisse eu jogaria. A versão do PS Vita une alguns dos melhores elementos, com gráficos em alta resolução porém com portabilidade e boa tela de toque. Isso tudo com extras das outras versões.

20- Jet Set Radio



Um clássico do Dreamcast refeito para a atual geração. Você pode jogar Jet Set Radio no Xbox 360, PlayStation 3 e PC, mas no PS Vita há a vantagem da portabilidade. O jogo é sobre uma gangue de patins pichando a cidade por dominância e acaba escalando para uma aventura ainda mais louca. Algumas coisas ficaram datadas, mas o jogo ainda é muito bom e merece atenção.

19- New Little King's Story



Quando eu comprei New Little King's Story eu pensei que era um novo jogo da série, uma sequência até, mas ele é na verdade uma releitura de The Little King's Story do Nintendo Wii, o que me decepcionou um pouco. Ainda é um ótimo jogo, pois já era bom no Wii. Consertaram algumas coisas óbvias, outras não, mas refizeram um pouco o visual, o que me incomodou um pouco. Mas novamente, ainda é um ótimo jogo.

18- Retro City Rampage


Retro City começou como uma versão de GTA 3 para Nintendo 8 bits e virou algo um pouco diferente. O jogo manteve a ideia de andar pela cidade e tocar o terror, mas adicionou muitas missões e estágios alternativos, cheios de referências à cultura pop e jogos clássicos. Está disponível em outras plataformas também, mas se encaixa melhor no PS Vita.

17- Zero Escape: Virtue's Last Reward



Eu não sou um grande fã de Visual Novels, então era pouco provável que eu comprasse Zero Escape com meu próprio dinheiro, mas ele acabou vindo na PS Plus e se provou agradável. Sequência indireta do jogo 999, Zero Escape mistura grandes pedaços de diálogo com puzzles do tipo "saia dessa sala". Conforme a história evolui ela começa a ficar bem interessante e os puzzles começam a exigir FAQs para preservar seus cabelos. Está disponível também para Nintendo 3DS.

16- Spy Hunter


Outra incrível surpresa foi Spy Hunter, disponível no PS Vita e 3DS. Baseado em um clássico de outrora, Spy Hunter coloca você no controle de um super carro espião, daqueles tipos que caem na água e viram um barco (literalmente). O jogo é extremamente divertido e traz o tipo de diversão Arcade, rápida e intuitiva, que se espera de um portátil.

15- Ultimate Marvel vs. Capcom 3


Um dos jogos que não podia faltar no meu PSP era Marvel vs. Capcom, o problema é que na época ele era emulado do fliperama, já que não tinha o jogo pro portátil. No PS Vita isso foi resolvido fácil. Ultimate Marvel vs. Capcom 3 foi um dos meus primeiros jogos e não saiu do aparelho por muito tempo. A jogabilidade frenética e rápida aliada àquela linda tela OLED é um casamento perfeito.

14- Army Corps of Hell


Poucas pessoas conheceram esse jogo, mas a Square Enix achou que ele era bom o bastante para trazê-lo para o ocidente. Army Corps of Hell te coloca no papel do próprio Satã, comandando um exércio de demônios tentando retormar sua coroa no inferno e lutar contra o céu. A atmosfera do jogo é incrível e é regada por Heavy Metal japonês que combina muito bem com a temática.

13- Spelunky


Spelunky é uma mistura de divertido e cruel que no início irrita um pouco, mas se torna um bom desafio com o tempo. Seu objetivo é passar por várias fases e pegar um tesouro, mas há tantas coisas pra darem errado no meio da aventura que é pouco provável que a maioria sequer consiga. A questão é que há também muitas coisas que podem dar certo e ninguém sabe como uma partida de Spelunky vai se desenrolar, sempre incentivando jogar uma partida a mais, é viciante.

12- Gravity Rush


Gravity Rush é o tipo de jogo que é uma agradável surpresa e um dos poucos com estrutura de console no PS Vita. Nele você tem uma heroína que controla a gravidade, Kat, com mecânicas interessantes de combate, exploração e dimensões paralelas. Pra variar um pouco, a personagem tem uma boa personalidade e se envolve em situações interessantes. A única parte ruim é que a história levanta um grande mistério mas deixa a conclusão pra sequência, que já recebeu um teaser recente.

11- Sonic & All-Stars Racing Transformed


Mario Kart sempre teve seus clones, mas nunca muito relevantes. Porém, enquanto Mario Kart culminou no Wii e DS, o apressado Mario Kart 7 no 3DS escorregou feio, deixando um vácuo. A sumo Digital aproveitou bem esse espaço com Sonic & All-Stars Racing Transformed. Enquanto o conceito de carros que se transformam foi bem chupinhado do jogo da Nintendo, a ideia de que as pistas também se transformassem foi uma bem-vinda e interessante inovação, que faria muito bem se fosse copiada por Mario Kart.

10- Muramasa Rebirth


Muramasa era um ótimo jogo no Nintendo Wii, não por causa de seus belos gráficos 2D desenhados, marca registrada da Vanillaware, mas por ter uma ótima jogabilidade no combate. Outras partes do jogo têm seus defeitos, mas o forte combate sempre o manteve em alta. Os controles do PS Vita são bem melhores para jogá-lo do que os do Wii e a portabilidade incentiva sessões curtas que ajudam muito a amenizar os outros problemas e alcançar o número de horas necessário para conseguir todas as espadas e fazer todos os finais. O jogo também recebeu alguns DLCs com conteúdo extra, nada muito legal, mas adições sobre o original.

09- Lumines Electronic Symphony


A série Lumines já era bastante divertida no PSP e só ficou melhor no PS Vita. Em Lumines, quadrados coloridos estão sempre caindo na tela, compostos por 4 peças, sempre de 2 cores. ao formar quadrados, ou formas maiores, de 4 peças ou mais de uma mesma cor, eles são eliminados da tela. Porém, o que torna a experiência realmente viva são as músicas, bem escolhidas e que alteram o ritmo da própria jogabilidade, tornando mais fácil ou mais difícil eliminar os quadrados.

08- Ragnarok Odyssey


Já na onda de clones de Monster Hunter, Ragnarok Odyssey tentou usar o nome do popular MMORPG para criar seu próprio jogo. Porém, enquanto Monster Hunter é lento e calculado, Odyssey é frenético e divertido, trazendo um sentimento que lembra muito mais o clássico Phantasy Star Online do Dreamcast. E ainda é uma ótima pedida mesmo para jogadores que pretendam ficar offline, diferente da série da Capcom.

07- The Walking Dead


The Walking Dead já está disponível em outras plataformas, mas não há dúvida de que é um dos melhores jogos da geração. No PS Vita por um preço extremamente acessível você leva todos os episódios da série e ainda o episódio especial 400 Days. O nível de escrita do jogo é algo superior a tudo na indústria atualmente, e torna-se mais impactante por acatar as escolhas do jogador em uma linda experiência conjunta.

06- Soul Sacrifice


Outro clone de Monster Hunter que acabou se tornando algo bem além, Soul Sacrifice convida jogadores a criarem um personagem mago cuja evolução depende do que ele escolhe salvar ou sacrificar. É possível sacrificar vidas de inimigos ou partes do seu corpo para criar magias, ao custo de deformidades físicas permanentes. Diferente de Ragnarok Odyssey, este fica bem melhor online, mas ainda é bom o bastante offline.

05- Uncharted: Golden Abyss


Não sou um grande fã da série Uncharted e a demo de Golden Abyss passava a impressão que o jogo era horrível. Porém, ao recebê-lo de graça na PS Plus, ele acabou se provando uma boa opção no portátil. Os tiroteios não são muito agradáveis, mas a aventura como um todo é incrivelmente prazerosa. Também é um dos jogos que traz os melhores gráficos do PS Vita.

04- Earth Defense Force 2017 Portable


O que dizer da série Earth Defense Force, que já conheço há tanto tempo e considero pra caramba? Originalmente lançado para o Xbox 360, essa versão portátil traz tudo que tornou o jogo popular, como batalhas com insetos gigantes, armas devastadoras e cidades a serem transformadas em pó. Tudo isso na palma da sua mão, com um personagem extra que realmente muda o jogo todo e a adição de um modo online? Facilmente uma das melhores opções no aparelho.

03- Touch My Katamari



Já há algum tempo a franquia Katamari chegou a um ponto onde não consegue seguir em frente, após a saída do criador da série, Keita Takahashi, da Namco Bandai. Touch My Katamari foi a primeira tentativa de realmente fazer algo novo com a série e funcionou. Usando a tela de toque do PS Vita é possível agora mudar a forma da sua Katamari, adicionando novas mecânicas de jogabilidade. O conceito principal continua o mesmo e funciona bem no PS Vita.

02- Need for Speed: Most Wanted



A Criterion e a Electronic Arts foram das mais ambiciosas produtoras no PS Vita, como quando anunciaram que Need for Speed: Most Wanted seria lançado para o portátil no mesmo formato dos consoles. Most Wanted foi um dos melhores Need for Speed dos últimos anos e sua estrutura de pequenas missões e exploração de mundo aberto caíram como uma luva para um videogame portátil. Apesar de a tela ser pequena a emoção das corridas é grande, tornando-o um jogo que eu não larguei até terminar.

01- Mortal Kombat




Street Fighter 4 pode ter ressuscitado o gênero de luta 3D e tem seus méritos, mas sem dúvida foi o novo Mortal Kombat que trouxe o melhor pacote para jogadores. Além de um jogo de luta divertido, ele ainda encaixa um modo história que engloba toda a mitologia de Mortal Kombat, com origens de personagens e cenários, como nunca antes na franquia. Há ainda uma torre (duas no Vita) com missões que caem bem para um portátil. A versão PS Vita peca severamente nos gráficos, mas compensa em conteúdo extra e por incluir personagens extras como Kratos, Freddy Krueger, e outros vendidos por DLC.

Grand Master - Ninja Gaiden Sigma 2 Plus


Simplesmente não tem nada tão bom quanto Ninja Gaiden 2 em qualquer plataforma. A versão PS Vita tem alguns problemas em relação à do Xbox 360, mas particularmente acabou sendo a minha preferida, pois a do Xbox 360 por sua vez tinha outros problemas. O combate de Ninja Gaiden 2 é como passar uma faca quente na manteiga, só que uma manteiga com garras que tenta te matar de vez em quando. É facilmente o melhor jogo de ação da geração, convertido para um portátil e com extras. O único defeito é que não há um sucessor à altura para depois de terminá-lo.

Ausências justificadas

Assassin's Creed 3: Liberation - Não sou fã da série, mas parece um ótimo jogo
Dragon's Crown - Ainda não joguei, pegarei quando houver promoção. É da mesma produtora de Muramasa Rebirth
Hotline Miami - Ainda não joguei, sai em outubro na PS Plus
Jogos da série LEGO - Ao invés de serem ports dos consoles, são ports melhorados do 3DS
Persona 4 Golden - Não acho que a série Persona seja para qualquer um
Sly Cooper: Thieves in Time - Não conheço a série (cadê um Sly Cooper Collection?)

Acha que mais algum jogo deveria estar na lista? Deixe nos comentários.