Lomadee

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Se um jogo parece com um filme, ele está errado.


Acima O Paciente Ingl... oh wait!

Sim, a premissa de que os jogos "cinematográficos" são a evolução natural dos jogos é totalmente errada e vou lhes explicar porque. Se traçarmos uma linha evolucionista na comunicação e entretenimento  podemos começar com os livros na sua forma mais básica. Tecnologia mais antiga sendo ela o papel e a tinta (que um dia já foram absurdamente caras e escassas), depois com a invenção do radio tivemos a quebra de fronteiras com o som. Falar e ouvir é muito mais rápido e imediato que escrever e ler. Novas formas de narrativas foram criadas entorno do som. Após o som tivemos a junção dele com a imagem e obtemos o cinema. Mostrar e ver é muito mais rápido e fácil de entender que apenas falar e ouvir. O segundo passo foi em direção a interatividade. Fazer e não apenar assistir. suas ações fazem parte do meio, o espectador não é apenas passivo. O mesmo pode se dizer da Web 2.0 que seria o passo atual, mas vamos nos atentar aos jogos. Eles são o fim da linha dessa evolução, pelo menos até agora.

Um jogo, diferente de todos os outros, possui um diferencial: O usuário participa ativamente das ações. O desenvolvedor de um jogo deve dar as ferramentas necessárias para que o individuo possa interagir com o computador. Rebater uma bola ou atirar em um alvo. São ações reflexivas e básicas. As ferramentas foram sendo sofisticadas e conteúdos novos e extremamente empolgantes foram criados para a interação. Que tal ser um ouriço super veloz? Ou um robô que precisa salvar o mundo? As ferramentas dadas são excitantes mas não mais que o mundo que são inseridos. Essa construção Ferramenta X Mundo fez com que os jogos e tornassem desafiadores e apaixonantes. Mas aí veio o 3D.

Metal Gear Solid do PS1 até que começou bem, aí veio o Raiden...

Voltando mais no tempo do cinema mudo, a industria sofreu uma crise! Com a nova tecnologia do som junto com a imagem e os diálogos finalmente possíveis em tempo  real Hollywood começou a imitar seu irmão mais velho, a Broadway. Filmes ao invés de utilizarem técnicas de câmera e iluminação passaram  copiar cenas estáticas e longas dos espetáculos teatrais e musicais. O publico rejeitou. Era uma versão malfeita. A tentação era levar o glamour da Broadway aos cinemas. Fracassaram. Não souberam o que fazer com a nova tecnologia. O 3D tem o mesmo feito na industria de jogos. Com a nova tecnologia os desenvolvedores poderiam finalmente se transformar em cineastas e passaram a copiar Hollywood. Afinal agora é possível manipular ângulos, dar expressões faciais e incluir vozes. Em troca disso tiraram a essência dos jogos, de serem baseados nas ações do jogador. Dessa vez tudo gira em torno da historia criada pelo desenvolvedor. Ele está no controle e o pobre jogador é sua marionete.

Pobre Ramirez! Um retrato do jogador marionete.

O 3D é a tecnologia mal compreendida assim como o som foi para o cinema. A idéia gira em torno que o 3D garante mais imersão e de certo ponto não está errada, mas o que é imersão? Apenas algo artificial que te coloca dentro do jogo? A imersão é subjetiva e ela pode ocorrer até em um livro que não salta as palavras em seus olhos para isso, nem te enche de imagens super realistas. Um jogo antigo, feio e simples pode ser imersivo se representar bem o que ele deve ser: uma ferramenta para um mundo. Se as ferramentas falharem ou o mundo não responder a imersão é quebrada. O 3D ainda enfrenta falhas como posicionamento confuso de câmera, falta de foco, ângulos pouco intuitivos. Isso tudo ajuda a quebrar a imersão e o tiro acaba por sair pela culatra.

Se um jogo parece com um filme então ele é estático, pouco interativo e linear. Tudo o que tira a imersão e o poder das mãos do jogador. Se ele é assim então é um jogo ruim.

5 comentários:

  1. Posso colocar no fórum o seu texto?

    ResponderExcluir
  2. dando os créditos e sem alterar o conteúdo, pois seria anti-ético, fique a vontade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq diabos roubaria conteúdo, pode ficar sussa....

      Sempre esqueço que estou anônimo.

      Excluir
  3. Excelente texto!! Parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. mesmo Heavy Rain? eu achei o jogo incrivel pelo fato de que voce controla as açoes do personagens na historia que é dada para voce...e dependendo dessas açoes o jogo te da outros finais....ta certo que nao é algo que voce tem controle 100% de tudo q realmente acontece mas eu acredito que ainda sim é um jogo muito bom!

    ResponderExcluir