Lomadee

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Por que o PlayStation 4 Pro é perfeito

No mesmo dia que a Nintendo apareceu de surpresa no evento da Apple para revelar Super Mario Run para iPhone (Android em 2017) a Sony havia marcado um evento mais tarde para revelar o PlayStation 4 Pro, algo que seria como um PlayStation 4.5 e iniciaria uma nova onda de upgrades para consoles.

Deparado com esses dois anúncios eu já estava pronto para declarar a morte da indústria dos videogames, já que tanto Nintendo quanto Sony pretendiam destruir seus valores. Mas então algo inesperado aconteceu. O PlayStation 4 Pro acabou por provar-se tudo que ele precisava ser: simplesmente perfeito.

Ok, vamos aos poucos, pois há uma questão aqui. O PlayStation 4 Pro não precisava existir, era algo que a Sony não precisava ter feito e o PlayStation 4 ficaria melhor sem ele. A Sony poderia ter ido de A a B em linha reta sem problemas, mas ela preferiu dar uma pirueta no meio. Arriscado, desnecessário, mas uma aposta que se pagou.

Uma vez que ela já havia anunciado o PlayStation 4 Pro, na época PS4 Neo, e já havia decidido correr esse risco, havia uma chance de aproximadamente 90% de ela estragar tudo. Esses 10% restantes de eles conseguirem fazer tudo certo eram tão improváveis, que apesar de eu sempre mencionar aqui no Blog, eu nunca acreditei que a Sony acertaria.


Bom, eles acertaram e agora temos que levá-los mais a sério. Alguém na Sony parece saber o que está fazendo e isso os torna jogadores mais espertos do que esperávamos. O PlayStation 4 Pro é de uma precisão quase cirúrgica e vai ganhar uns milhões a mais para a Sony sem alienar sua base atual.

Vamos relembrar exatamento do que estamos falando. Meados do ano, temos rumores de um novo PlayStation 4 e um novo Xbox One, os quais seriam mais poderosos que os modelos originais. Muitos rumores estão rodando e na E3 tanto Sony quanto Microsoft confirmam esses consoles.

Aparentemente a ideia era fazer como a Nintendo faz com seus portáteis, como por exemplo do GameBoy para o GameBoy Color, do Nintendo 3DS para o New Nintendo 3DS ou mesmo a evolução de smartphones como o iPhone. Isso seria o fim do ciclo de vida dos consoles, eles precisariam ficar sendo atualizados o tempo todo para rodar os jogos mais recentes.

Porém, enquanto a Microsoft claramente afirmava isso com seu novo videogame, codinome Xbox One Scorpio, que será mais poderoso que o Xbox One atual (e até o PS4 Pro) e pretende acabar com o conceito de "gerações", a Sony estava bem quieta. A Sony confirmou seu "PS4 Neo", mas não falou nada sobre ele. Esse foi o primeiro sinal de que algo estava diferente e certo na estratégia da Sony.

O público não quer várias versões de um mesmo aparelho para ficarem confusos quando vão às lojas sobre qual comprar. Não querem novas versões "mais potentes" que tornam as versões que eles acabaram de comprar inúteis. O público não liga se vai ter gráficos melhores ou um FPS mais estável, eles só querem ter certeza de que fizeram uma boa compra.


Quem comprou um Xbox One e viu a grande maioria da indústria apoiar o PlayStation 4, não sente que fez uma boa compra. Porém, se o PlayStation 4 Neo fosse um novo console mais poderoso, também não sentiriam que fizeram uma boa escolha ao comprar o PlayStation 4, se sentiriam enganados, traídos.

Em outras palavras, essa competição acabaria por espantar esse cliente, que não quer ficar fazendo más escolhas e se sentirá enganado por ter dado seu voto de confiança a alguma das empresas. É assim que se cria desinteresse na indústria de jogos, "enganando" seus clientes com produtos que alienam os anteriores.

Por exemplo, eu comprei um Nintendo 3DS, depois disso havia outro Nintendo 3DS com tela maior, eu o comprei também. E então a Nintendo anunciou mais um Nintendo 3DS, o New 3DS, que é capaz de rodar jogos que os meus 3DS comuns não. Eu não comprei esse e eu não pretendo mais comprar um próximo produto da Nintendo em seu lançamento.

Quando fiz a escolha de comprar o videogame, eu não pretendia comprar o modelo mais simples, ele era o único modelo disponível e eu fiz isso duas vezes. Ainda assim a Nintendo me excluiu de suas futuras ações com um terceiro modelo. Eu não posso jogar Xenoblade Chronicles ou jogos de Super Nintendo porque eu não tenho o modelo mais novo. O que já é frustrante em um portátil, seria enfurecedor em um console.


Agora voltemos ao PlayStation 4 Pro. Ele foi anunciado e o que aconteceu? Eu não quero um. Você não quer um. Ninguém quer um. E isso é perfeito. A Sony conseguiu anunciar um console que ninguém quer e com isso o público que comprou o PlayStation 4 padrão não sente que perdeu nada.

"Pera, você está me dizendo que ninguém quer o PlayStation 4 Pro e que isso é uma coisa boa?". Sim, exatamente. O PlayStation 4 Pro será um produto de nicho para jogadores mais hardcore e para usuários com grande poder aquisitivo, que tenham TVs 4K. Para todos os outros, ele traz um upgrade irrelevante.

Até mesmo no nome a Sony acertou: PlayStation 4 PRO. "Pro" significa "Eu não preciso disso" para o consumidor comum. É como um mouse gamer Razer, uma mesa digitalizadora Wacom, um fone de ouvido Turtle Beach, não são feitos para o público casual, são produtos que superam em muito a necessidade de um usuário comum.

Tivesse a Sony usado qualquer outro nome, as pessoas ficariam confusas e sem saber se precisariam do novo PS4. Ela teria alienado sua base com nomes como PlayStation 4 Neo, PlayStation 4 Plus, New PlayStation 4, PlayStation 4 SP, PlayStation 4 Scorpio, mas não com Pro e isso é de uma precisão incrível.

O PlayStation 4 Pro dará alguns milhões fáceis para a Sony graças a esse novo público de nicho e alta renda que ela conseguiu fisgar com essa jogada arriscada. Para o resto do público, videogames continuam sendo a mesma caixa que precisam trocar apenas a cada geração, sem precisar fazer upgrade frequentes como smartphones ou PCs.

Já o Xbox One Scorpio, mais poderoso que o PlayStation 4 Pro, vai ser um fracasso justamente por tentar acabar com o conceito de gerações, além de alienar o público que ainda deu um voto de confiança ao comprar o Xbox One padrão.

2 comentários:

  1. Eu não vejo esse anúncio como uma coisa boa pra indústria. Tudo bem, estou de acordo com o que foi dito no texto, já que se propuseram a fazer, fizeram certo.

    Esse produto nada mais é do que um movimento para tentar aquecer o mercado, vendendo hardware no meio de uma geração e tirando mais dinheiro do consumidor. Mas esse nem é o principal problema.

    O ps4 pro foi anunciado como um produto destinado a competir com pc's, ou seja, a propria sony não sabe mais como tirar valor excepcional de suas plataformas e admitem que se trata apenas de um pc mais fraco. Esse movimento só mostra como estão perdidos.

    A microsoft por outro lado, embora tome decisões erradas, saiu vencedora. A empresa nunca quis ganhar o mercado de jogos, apenas fazer a sony se perder.

    Conseguiram.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa não é, mas não é ruim também, é um anúncio irrelevante para a indústria, não muda sua estrutura, não é diferente do anúncio de um GameBoy Color, por exemplo.

      Apesar de a Sony dizer que o PS4 Pro compete com PCs, isso é mentira. Não sei se ela diz isso por desinformação, para que a Microsoft continue buffando o seu Xbox One Scorpio, ou por ela mesma não saber, mas o PS4 não compete com o PC.

      O PS4 Pro já será lançado aquém dos PCs da mesma época em gráficos e quem preza realmente pelos melhores gráficos possíveis no PC nunca compraria um PS4 de qualquer jeito, mesmo que os gráficos fossem melhores. Esperariam o PC superar em 6 meses a 1 ano.

      O PS4 Pro vai vender apenas para quem tem uma TV muito boa e queria um videogame para ela. A Sony conseguiu mirar com precisão em um público de nicho e com dinheiro para gastar.

      Por isso não a vejo como perdida, ela está liderando a geração e ainda deu uma pirueta para ganhar mais dinheiro.

      Excluir