Lomadee

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Review: Abzû é um Journey embaixo d'água menos chato


Um jogo que eu estava esperando bastante para o PlayStation 4 e PC era Abzû, criado por algumas das mentes que fizeram Journey, um jogo que eu acho chato pra caramba. O resultado é incrivelmente semelhante para a surpresa de ninguém, mas eu fiz questão de me desapontar pessoalmente mesmo assim pois é um estilo de jogo que eu gosto bastante. Abzû consegue ser menos chato que Journey, mas não muito diferente.

Quiere ser Journey y su mama no lo deja

As semelhanças com Journey são imensas. Em Abzû o jogo começa ao colocar você no papel de um mergulhador sem qualquer contexto. Não existe limite de oxigênio e há um belíssimo mundo ao seu redor para explorar. Aqui começam as diferenças para Journey, pois o mundo submarino de Abzû é muito mais belo e vivo do que o deserto por motivos óbvios.

Os controles são bem suaves e mantém o movimento agradável. Conforme você nada pode se acoplar a certos peixes para nadar junto com eles, apenas por diversão. Não há objetivos realmente no jogo, basta nadar para a próxima área até algo simples bloquear seu caminho. Você pode precisar procurar um pequeno drone aquático enterrado no chão ou ativar uma alavanca, mas nunca chega a ser algo desafiador.


A maior parte da história é vastamente abstrata e não atrapalha muito. Aparentemente seu mergulhador está reativando algum tipo de tecnologia ou magia antiga relacionada aos animais marinhos e eventualmente encontrará uma tecnologia oposta que fará o contraponto. Infelizmente praticamente não há antagonização no jogo e isso faz bastante falta, pois em nenhum momento você se sente em perigo ou em um momento tenso.

Borbulhas_de_amor_-_Fagner.mp3

A beleza de Abzû é tanta, mas tanta, que de certa forma funciona contra si mesma. O jogo é tão bonito em todos os momentos que sua beleza se torna um pouco esperada, "taken for granted" seria a expressão correta para descrever a sensação em inglês, mas infelizmente não há uma tradução boa o suficiente dela para o português.

Vamos ser claros, Abzû é um jogo lindo de se olhar. Os gráficos têm um estilo de desenho animado com texturas limpas e as animações dos animais são ótimas. É difícil se surpreender no entanto quando você está sempre esperando ser surpreendido. Ao adentrar um lugar belíssimo em Abzû, ele tinha menos impacto do que eu esperava pois todos os locais eram belíssimos, como se o jogo estivesse tentando demais ser belo.


A música é minimalista e só surge pra valer durante as grandes cenas do jogo para dar mais emoção com cantos agitados. Isso também pareceu um pouco esperado demais e seria legal ter outras músicas mais relaxantes para ouvir durante os momentos mais calmos do jogo.

Conclusão

Assim como Journey, a jornada de Abzû tem pouquíssima interação do jogador e poderia ser absorvida da mesma forma ao simplesmente assistir um gameplay no YouTube, porém há mais chances para curtir o ambiente e relaxar do que no melancólico deserto. O jogo pode ser terminado em pouco mais de uma hora e os colecionáveis são ignoráveis, mas existem formas de vida para interagir e sem dúvida apenas nadar já é bem relaxante. Como jogo, no entanto, Abzû oferece bem pouco.

6/10

Um comentário: