Lomadee

sábado, 4 de abril de 2015

GTA 5: Por trás da propaganda

Mais uma matéria de jornalismo sério, sem rabo preso, investigando o que tem por trás da propaganda de GTA 5



14 comentários:

  1. Respostas
    1. É meu primeiro vídeo gravado no meu PlayStation 4 novo, foi mais pra teste

      Excluir
  2. ¬¬ eu vim aqui por uma matéria e encontrei uma piada. É foi boazinha. Mas ainda preferia a matéria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por trás da propaganda de GTA 5 tem um bom jogo, o que é raro. Mas por trás do enorme sucesso de GTA 5 tem uma crise, como mencionado no artigo sobre crise econômica.

      http://www.nabaladadomariobros.com/2014/03/preparem-se-crise-economica-chegou-aos.html

      Excluir
  3. Apesar da brincadeira, ainda olho pra GTA com desconfiança. Amigos dizem que a vibe do game está muito diferente dos títulos anteriores, com mecânicas polidas dignas de um game que evoluiu. Porém eu olho e vejo "farofa", mas estamos falando de uma farofa que não me convence de que valha o seu preço.

    Sobre a crise, eu tenho perspectivas bem pessimistas, principalmente na área dos conceitos. Penso que em breve veremos algo semelhante a crise do período "pré-Nintendo" lá em milnovecentos-e-antigamente.

    A propósito, parabéns pelo blog. Não lembro como cheguei aqui a um bom tempo atrás, mas volta e meia sempre retorno para dar uma olhada nas matérias. Essa é a primeira vez que posto, e torço para que hajam mais e mais materiais inspiradores vindos de vocês. Sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode definir melhor a farofa? Eu vejo GTA 5 sob uma lente muito positiva, como um elegante retorno muito bem-vindo a valores clássicos da série. GTA 3, Vice City, San Andresa e GTA 4 não haviam conseguido captar tanto a essência de GTA 1 quando GTA 5 fez.

      Agradeço pela preferência =)

      Excluir
    2. Então Rafael, antes de eu começar a explicar meu ponto de vista, deixo claro que é apenas uma impressão que tive, pois ainda não botei as mãos nele. Agora, vou explicar o meu termo "farofa" srsrr...

      Na adolescência joguei um bocado de Vice City, San Andreas mais ainda. Quase uma década mais tarde, tentei jogar novamente o SA, e salvo engano, concluí duas ou três missões sob muito stress. Esse ir do ponto A ao B, tocando o terror no trânsito e sobrevivendo aos tiroteios com as limitações da mecânica de combate, tudo isso no maior clima de anarquia. Acabei desistindo rapidinho de revisitar aquela boa lembrança que tinha de GTA.

      Um amigo disse sentia GTA 5 como se fosse um "Max Payne 3 em mundo aberto" de tão fluído que o jogo está, e também falou sobre estratégias, decisões a serem tomadas, e uma série de detalhes adoráveis que não vimos nos títulos anteriores. Meus olhos brilham ao ouvir isso, mas logo passa o encanto quando vejo as piruetas automobilísticas. srrsrs

      Talvez eu esteja olhando pra GTA 5 sob a lente errada. Vou ver se descolo um "test drive" com alguém que tenha o game.

      Excluir
    3. Recomendo fortemente o GTA 5, considero a verdadeira evolução desde o GTA 1 e GTA 3. Finalmente acertaram a jogabilidade dos tiroteios que era uma das coisas mais irritantes antigamente

      Excluir
  4. Rafael, tenho lido o site ( excelente! Nunca vi reflexões tão sobre o mundo do games) e confesso que nao estou conseguindo enxergar com perfeição a distinção entre os conceitos: cultura arcade/cultura PC com jogos casuais e hardcores. Todo jogo hardcore pertence a cultura PC? Se um jogo volta-se ao publico hardcore nao há como defender que ele traga valores arcade, correto? Como se classificaria Zelda? Nao vejo Zelda como um game voltado ao púbico casual, mas sim a hardcore. Mais uma vez parabéns pelo seu blog inspirador

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que o adjetivo depois do "tão" fosse positivo

      A divisão entre arcade / PC não estão diretamente ligadas a casual / hardcore, nem gostamos muito de usar casual / hardcore porque são palavras com muita carga, como jogos casuais parecerem o mesmo que jogos idiotas ou jogos hardcore parecerem jogos difíceis.

      O que muda do jogo arcade para o PC está nos seus valores. Se o jogo busca tentar fazer você se divertir com suas mecânicas, é arcade, se tenta te imergir em outro mundo seguindo obrigatoriamente uma história como um filme, é cultura de PC. Não que sejam as únicas características das culturas, mas é uma forma fácil de discernir.

      O público hardcore joga muito, mas não necessariamente é bom no que joga, já que muitos desses jogos são fáceis disfarçados de difíceis. Já o público casual joga pouco, mas também não necessariamente é ruim, pois podem se especializar nos jogos que gostam. Você pode ser muito bom na campanha de Resident Evil e perder para sua irmã no Tetris.

      Jogos como Call of Duty e Battlefield, são da cultura PC, tem marketing direcionado para o jogador hardcore, mas a própria campanha é muito fácil, há até recursos de mira automática. No entanto, fazem grande sucesso devido ao modo online, o qual tem valores arcade, o qual atrai casuais também.

      Enquanto Call of Duty e Battlefield são jogos da cultura PC com suas campanhas, FPS mais antigos como Doom e Duke Nukem 3D eram arcade, apesar de terem suas origens no PC. O mesmo acontece com The Legend of Zelda, que era arcade em sua origem no NES, mas foi aos poucos se tornando um jogo de cultura PC.

      Até Ocarina of Time o jogo mantinha seus elementos arcade, já enfraquecidos, como no combate. Em Majora's Mask não há mais elementos arcade, o combate é deixado de lado e seu progresso está ligado a você seguir um script, típico da cultura PC. O mesmo problema aparece em Wind Waker e Skyward Sword. Atualmente The Legend of Zelda está em crise devido a ter se transformado um jogo da cultura PC.

      Excluir
    2. Muito obrigado pela explicação, Rafael! Tinha botado "reflexões tão profundas sobre o mundo dos games", mas o ipod touch 2 geração, ja antigo, em que digitava suprimiu o "profundas" rsrs

      Enfim, sou fã de seu blog! Antes frequentava determinados sites/fóruns sobre videogames que estavam me causando uma certa insatisfação, já que nesses locais os assuntos eram tratados de forma fanática, parcial, cegando, desta forma, as pessoas.

      Cheguei aqui no blog através de um artigo que versava sobre o fracasso do N3DS, e deste então passei a ler diversos artigos. Aqui, diferentemente de todos os outros ougares, há uma excelente base teórica (diversas vezes você citou obras que apresentavam relação com os temas tratados), além de uma análise extremamente crítica. Parabéns!!

      Excluir
    3. Agradeço a preferência =)

      Infelizmente os grupos de videogames são extremamente nocivos e avessos a surgimento de ideias. Há muitos fóruns que proíbem a postagem dos meus artigos porque faz os usuários reagirem de maneira agressiva

      Excluir
  5. Opa Rafael, Tenho um canal no youtube sobre gaming, mostly Destiny. E publico alguns lances que talvez voce goste. Meu PT é ruim, e moro em Los Angeles tem muito tempo, por isso gravo em ingles, mas to adicionando legenda em Pt, como é o caso do Hitler Rant sobre o novo DLC de destiny. Enfim, se quiser fazer uma collab ou achar algo interessante pra postar no tech tudo, sinta-se a vontade. Obrigado. youtube.com/c/maskd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo, é raro eu fazer vídeos, mas se tiver alguma ideia específica, pode me chamar

      Excluir