Lomadee

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Qual o segredo de The Legend of Zelda: A Link Between Worlds?

Nas últimas semanas eu estava jogando The Legend of Zelda: A Link Between Worlds para o Nintendo 3DS, até terminar o jogo, fazer uma review para o site TechTudo (recomendo ler se quiser saber mais sobre) e então pegar alguns extras também. Para minha surpresa, o jogo é ótimo, mas como isso é possível?

Os últimos dois capítulos na série The Legend of Zelda foram os piores de todos os tempos: The Legend of Zelda: Skyward Sword para o Wii e The Legend of Zelda: Spirit Tracks para o Nintendo DS.

Então quando Um novo Zelda foi anunciado para o Nintendo 3DS, a nossa primeira reação no blog foi: "Por que The Legend of Zelda: A Link Between Worlds vai falhar?". Mas havia um ponto importante que ainda estava indefinido.


Quem vem estragando a franquia The Legend of Zelda ultimamente é o diretor Eiji Aonuma, escolhido pelo criador da série, Shigeru Miyamoto (péssima escolha). E qual o principal problema de Aonuma? Ele caiu na armadilha de ego, é obcecado por controle, pela sua visão, e nós que reclamamos que os jogos estão ruins estamos atrapalhando sua genialidade.

Se Eiji Aonuma tivesse participado ativamente da produção de A Link Between Worlds, seria possível prever que o jogo seria ruim, como de costume. Porém, eu pensei comigo mesmo... por que alguém tão egocêntrico se esforçaria em uma sequência de A Link to the Past, quando poderia se dedicar ao remake de sua própria "obra-prima", The Legend of Zelda: Wind Waker HD.

Em outras palavras, enquanto Aonuma estava distraído se excitando com o remake de seu próprio jogo, outra pessoa estava tocando o projeto de A Link Between Worlds. Essa pessoa, bem mais competente, é praticamente um herói e transformou o jogo no que ele virou hoje.

Uma vez que você pega o jogo, começa a jogar e não o larga mais. Os primeiros minutos e os primeiros dungeons são agradáveis, rapidamente você pega uma espada e um arco, se ocupando em enfrentar inimigos assim como no The Legend of Zelda original.

Dá pra ver vários toques de Eiji Aonuma no jogo, mas a sensação é de que você invadiu a casa dele quando ele não estava, ao invés de escutá-lo fazendo um discurso, como Skyward Sword parecia. Há NPCs ridículos, NPCs com diálogos desnecessários e nos primeiros minutos Link parece um office boy glorificado, como ele sempre parece em jogos do Aonuma.


Mas é tudo muito rápido, muito portátil, muito Minish Cap. Eu não passei mais do que 5 minutos com baboseiras do Aonuma, como pegar um item, levar a algum lugar e conversar, e logo depois já estava de volta aos combates. E a melhor parte, sem um coadjuvante dizendo "TALVEZ ALGO VÁ ACONTECER SE ATINGIRMOS ESSAS ESFERAS BRILHANTES SEM MOTIVO ALGUM!".

Então eu pensei, quando chegar a LoLrule as coisas devem ficar piores, com essa história de virar um desenho na parede, mas não.  Chegar em LoLrule foi como entrar no Nether em Minecraft. Monstros começaram a chutar meu traseiro e a interação com NPCs caiu para praticamente zero.

Eles simplesmente te dão sete dungeons para conquistar, além dos dois iniciais (mais do que nos The Legend of Zeldas recentes) e é sua escolha em qual ordem enfrentá-los. Eu tentei entrar em um certo dungeon e os monstros me deram uma canseira, eu precisei sair antes que me matassem, conseguir mais corações, potes para guardar fadas, armadura e espada melhores, para então voltar.

Há momentos ruins no jogo, mas eles não duram muito. A maior parte é uma delícia, especialmente nas horas finais, enfrentando dungeon após dungeon. Eram 4 da manhã e eu ainda pensava em enfrentar mais um dungeon antes de ir dormir. Em momento algum passava pela minha cabeça largar um pouco o jogo.

The Legend of Zelda: A Link Between Worlds foi um acidente incrivelmente feliz nessa era de trevas sob o comando de Eiji Aonuma, e é um ótimo motivo para comprar um péssimo portátil.

19 comentários:

  1. Que milagre você gostar pela primeira vez de um jogo de 3ds. Ta ai, Você me convenceu a comprar este Zelda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é raro eu gostar de um jogo do Nintendo 3DS, é raro o Nintendo 3DS ter um jogo bom

      Excluir
  2. Faz tempo que o Aonuma não é o diretor. Ele é o produtor. Tem que rever essa sua info aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não quis dizer que Aonuma foi diretor nos projetos, mas que a posição oficial dele na Nintendo é diretor

      Não que faça diferença, já que o pessoal muda de posição o tempo todo

      Excluir
  3. Claro......o 3ds não é um bom portátil.........bom é o Vita! Cada uma que a gente houve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho os dois e é raro mexer no 3DS. Comprei The Legend of Zelda, joguei sem parar, ótimo jogo, mas terminei... voltei pro Vita. Não tem outro jogo do mesmo nível no 3DS pra dar continuidade

      Não tem muita coisa interessante no 3DS em geral, você tem que sempre ficar esperando a próxima franquia da Nintendo sair, e às vezes ela nem é muito boa, como aconteceu com Pokémon X & Y

      Por exemplo, o que tá vindo pra 2014? Kirby, Yoshi, não são jogos excitantes. Enquanto no Top 25 pro PS Vita eu tive que cortar jogos fora, eu ainda não consegui selecionar 25 jogos pro Top 25 do 3DS

      Excluir
    2. Nossa, cara, o fanatismo atingiu níveis alarmantes agora, sério mesmo. O Vita é um portátil morto, não à toa é chamado por todos de VITANIC. Mal tem jogos aquela merda. A única coisa boa são o gráficos, mas o que o jogador faz com isso se NÃO TEM AS PORRAS DOS JOGOS? Certeza que para montar esse seu top 25 do vita vc teve que pegar todos os jogos do console. hahaha

      Só vou te falar uma coisa, cara... se o 3DS não tem jogos bons, o que está fazendo ele ser o console mais vendido da geração atual? Ninguém prefere o Vita, só você. E ninguém além de você considera os jogos do 3DS tão ruins assim. Só em 2013 foram vários jogos muito bem avaliados pela crítica e pelo público.

      Bom, quanto ao The Legend of Zelda ser um "acidente de percurso", acho que você não tem a menor ideia do que tá falando. É mera especulação sua dizer que o jogo deu certo pq o Aonuma o deixou nas mãos de outras pessoas. Não tem nada em lugar nenhum dizendo que o Aonuma não esteve envolvido na elaboração do conceito do jogo, essa informação você simplesmente retirou da sua cabeça e jogou para o mundo em forma de um "belíssimo" texto de merda.

      Excluir
    3. Pesquisas mostram que quem tem um Vita está satisfeito com ele, eu inclusive gosto mais do Vita que do 3DS. Comprei o 3DS primeiro e só quando os jogos decepcionaram, troquei.

      A questão, pra Sony e pra Nintendo, é que as pessoas não veem necessidade de ter um portátil, estão perdendo relevância frente a tablets e smartphones. O 3DS não está indo bem e o mercado está encolhendo. O concorrente dele não é o Vita, é o DS, e está perdendo.

      Os jogadores casuais do DS foram pra smartphones e tablets por incompetência do 3DS. Quem sobra são os fãs assíduos da Nintendo, aqueles que apenas compram franquias Nintendo. Isso espanta as outras empresas.

      Já o público do PS Vita está gastando bem com tudo. Jogos indie que são vendidos barato no Steam, saem por US$ 14,99 no Vita e as pessoas estão felizes de pagar.

      Como disse em outro comentário, empresas evitam lançar jogos japoneses no 3DS porque o lucro não compensa o custo. No Vita estão buscando todo tipo de jogo japonês, porque estão vendendo bem e está lucrativo.

      Veja os jogos mais vendidos do Vita em dezembro de 2013 e encontrará 8 novas franquias, além de Need for Speed e The Walking Dead. Se eu tivesse que escolher onde lançar um jogo, seria na plataforma com essas vendas.

      Se o Vita está morto, mostre as produtoras fugindo dele como faziam no GameCube. Ao invés disso, vai ver que Minecraft sai no Vita em 2014, não no 3DS. Por que o "vencedor" está de fora do maior fenômeno dos jogos atualmente?

      Neste momento estou jogando Terraria no PS Vita, esperando por Minecraft, ótimos jogos. Já no 3DS, terminei Pokémon X decepcionado, zerei Fire Emblem e achei fraco, joguei Sonic: Lost World e foi péssimo, encomendei Amazing Spider-Man (não tem digital) pra ver se valia uma posição no Top 25 e não vale.

      Seus jogos bem avaliados, muitas vezes não valem a pena, só têm apoio da mídia. Luigi's Mansion: Dark Moon, bem avaliado, é um jogo fraco. Pode fingir que pego no pé do 3DS e que só eu não gosto, mas e os números? Todos vêm vendendo muito pouco. Até jogos que eram fenômenos, como Pokémon, estão abaixo do seu normal.

      Outro ponto que não faz sentido achar que eu só pego no pé do 3DS é que eu tenho coerência para avaliar, não tenho duas medidas. Os maiores lançamentos de ambos em 2013 seriam Zelda: A Link Between Worlds e Tearaway, e posso afirmar que Zelda foi ótimo e Tearaway foi fraco, apesar de as notas da mídia insistirem que Tearaway vale o mesmo que Zelda.

      Aqui não é guerra de fanboys. Há jogos bons e há ruins, e a Nintendo relaxou demais depois do Wii e DS, está lançando jogos fracos no 3DS e Wii U. A Sony investiu nos desenvolvedores indie, que não são a solução, mas quebram um galho. A Nintendo rejeitou esses indies antes ao barrar The Binding of Isaac.

      A maioria dos jogos da Nintendo não conseguem competir com um Hotline Miami. É simples e divertido, enquanto jogos Nintendo estão empesteados de tutoriais, muito texto, tirar gatinhos de árvore, etc. Mas Hotline Miami não tem chance contra um jogo Nintendo de verdade, como Zelda: A Link Between Worlds. Porém, novamente, Zelda é um só, não tem nada pra manter o ritmo depois. Isso tudo sem botar Minecraft na equação.

      Sobre Zelda ser acidente de percurso, você pode achar que só tive sorte, mas venho "tendo sorte" desde que abri o blog. Aviso que o jogo vai ser ruim no primeiro trailer, às vezes com 30 segundos de CG, como Ninja Gaiden 3. Se eu não soubesse o que estou fazendo, acho que já teria errado.

      Para você algumas coisas que eu vejo podem não ser evidentes, como o estilo de quem faz o jogo. Posso afirmar quem fez ou deixou de fazer algo em um jogo. Sei onde Aonuma esteve presente e disse que queria fazer as coisas de certa forma e sei onde ele não olhou ou não se incomodou de mexer. Eiji Aonuma está ausente em 85% do jogo e isso que o torna tão bom.

      Por que depois de Spirit Tracks e Skyward Sword, os dois piores capítulos da franquia, eu apostaria minhas fichas em um novo Zelda? No portátil que só pego no pé? E coincidentemente ele acaba sendo um dos melhores jogos do ano?

      Excluir
    4. Então você está dizendo que os 42 milhões de unidades de 3DS vendidas no mundo são de fãs assíduos da Nintendo. Que as 3 milhões de cópias de Luigi's Mansion: Dark moon são "muito pouco"... cara, você está brigando contra os números, isso é bizarro. Beleza, o DS vendeu muito mais que o 3DS, mas você quer o que? Fenômenos são fenômenos, o DS foi um. ÓBVIO que seria muito difícil o mercado não encolher depois de uma geração de portáteis como a passada. Foda é continuar com a mente em 2011, continuar dizendo que as vendas do 3DS são inexpressivas, que os videogames estão perdendo público para os smartphones e tablets por incompetência da Nintendo. O próprio Vita, que segundo vc é um ótimo portátil, está vendendo BEM menos que o PSP. Quais são seus argumentos sobre vendas x qualidade agora?

      Bom, quanto a você ver a trailer de um jogo e "adivinhar" que ele será ruim, ou que a pessoa x não está envolvida no desenvolvimento de um jogo, só posso te dizer que você tem que se colocar menos no centro do universo e considerar que tudo o que vc diz é só a sua opinião no meio das opiniões de aproximadamente 7 bilhões de pessoas diferentes no mundo. Você diz que Luigi's Mansion: Dark Moon foi um jogo fraco, e eu te digo que não, não é um jogo fraco. Eu tbm joguei, também posso dizer tanto quanto você sobre a qualidade do jogo. Você diz que o Aonuma não esteve envolvido diretamente no desenvolvimento do jogo, mas repito, se você não está falando isso de acordo com alguma fonte segura, você está tirando da cabeça. E se está tirando da cabeça, há uma considerável probabilidade de você estar ERRADO.

      Excluir
    5. Sim, o público do 3DS atualmente é de fãs assíduos da Nintendo, pois os únicos jogos relevantes do portátil são os jogos da própria. Luigi's Mansion: Dark Moon vendeu menos que o original, sendo que um era um título fraco do falido / já nasceu morto GameCube e o outro era um título muito bem avaliado no "sucesso" 3DS. Nos Estados Unidos vendeu quase metade do original. Se fosse bom assim, teria vendido mais.

      O Vita e o Wii U estão vendendo menos que PSP e GameCube, mas eles são piores do que PSP e GameCube? No máximo cometeram os mesmos erros, não deveriam estar vendendo absurdamente menos. O mercado está se retraindo, a crise econômica chegou mais cedo e os Smartphones e Tablets vão começar a canibalizar os portáteis, assim como o PC vai canibalizar os consoles.

      O DS vendeu o que vendeu no meio de uma crise econômica, enfrentando desconfiança e com um concorrente forte, pois o PSP chegou a vencê-lo no primeiro ano. E ainda assim o DS vendeu mais que o GameBoy Advance, um portátil com monopólio em período de economia forte.

      É fácil jogar a palavra fenômeno, como se fosse sorte, a Nintendo tivesse acertado na loteria, mas eles sabiam o que faziam na época, abandonaram a estratégia e fizeram bobagem. Por isso o 3DS não vai vender mais que o DS, não porque foi um fenômeno que não poderia ser replicado. E o próprio Satoru Iwata disse que a intenção era o 3DS vender mais que o DS.

      Esse é o problema, a função do 3DS é vender mais de 150 milhões de unidades, para a qual ele vai falhar miseravelmente. A função do PS Vita? Você viu a Sony falar sobre isso em algum momento? Viu ela lutando pelo mercado com unhas e dentes? Não, ela parece ter lançado o portátil e esquecido dele.

      Se a Sony não mexeu no Vita, é porque ele está cumprindo sua função, seja ela qual for. Assim como o PS3 deu muito prejuízo mas serviu como cavalo de troia para o blu-ray, o PS Vita pode ter alguma função secundária, como ser uma ponte dos desenvolvedores indie.

      Para um jogador hardcore o PS Vita é um ótimo portátil, mutio melhor do que o 3DS. Porém, jogadores hardcore são menos de 1/3 do mercado, não vai me ver falando que o PS Vita vai vender mais que o DS ou que será um fenômeno. Ainda assim, o solo dele é mais fértil que o do 3DS e isso está se pagando em jogos. Por isso quem tem um está satisfeito. Em 2014 o PS Vita terá Minecraft, Binding of Isaac (rejeitado pela Nintendo), enquanto o 3DS terá Kirby e Yoshi.

      O que você chama de adivinhação, eu chamo de análise técnica. O que eu digo não é opinião, é análise, eu não posto o que eu acho, eu posto o que eu sei. Eu posso dizer quem fez ou não fez algo em um jogo, é experiência, conhecimento, técnica.

      Você não conseguiria dizer isso, pois não tem embasamento técnico, assim como não tem embasamento para atestar a qualidade de Luigi's Mansion: Dark Moon. Você poderá apenas falar se gostou, se não gostou, se viu valor agregado, não saberia o que procurar tecnicamente.

      E essa é a questão, até agora eu não errei, sobre vários aspectos de vários jogos diferentes. Você pode achar que é opinião, sorte, adivinhação, mas se eu estivesse tirando coisas que não existem da minha cabeça, já teria errado antes.

      Excluir
    6. Nossa, cara. Você se acha. Coitado de você.

      Excluir
    7. Claro que eu me acho, se eu venho acertando constantemente há anos, por que não me acharia? Eu sou muito bom no que eu faço.

      E como eu uso toda a minha experiência? Eu fico dizendo o quanto eu sou incrível por acertar e fico esperando adoração? Não, explico como eu faço para prever para que as pessoas aprendam e possam fazer o mesmo.

      Qualquer um seguindo o que eu explico pode ser tornar tão bom quanto eu, e talvez até melhor

      Excluir
    8. Deixando de lado os ataques pessoais ...

      Suspeito que a razão para que os argumentos do Rafael, a respeito do 3ds ser um portátil melhor que o vita, pareçam confusos e até mesmo contraditórios está na própria filosofia dos seus jogos e como o mercado reage a elas.

      Malstrom mesmo diz que o 3ds e o Wii U seguem a filosofia dos jogos de gamecube, enquanto o Wii e o Ds seguem a filosofia de jogos do NES.

      Porém, quando analisamos o numero de vendas totais dos consoles, é perceptível que videogames que seguem a filosofia do gamecube só atingem o público hardcore da nintendo, como você diz que o 3ds faz. Enquanto consoles da Sony, por exemplo, atingem o publico hardcore como um todo, fazendo com que esses consoles da nintendo tenham um desempenho pior em vendas do que os concorrentes da sony ou da microsoft.

      É inegável o sucesso do Ds sobre o PSP, pois o público do Ds era muito maior. Mas se os jogos do 3ds seguem a filosofia do gamecube, por que ele está vendendo mais que o portátil hardcore da sony? Se o público hardcore da nintendo não é o suficiente para vencer a concorrência nos consoles de mesa, porque nos portáteis ela está ganhando em números totais?

      Isso sem contar as falhas no design do 3ds, como a adição do efeito 3d.

      Para mim, e também possivelmente para o Anônimo, embora eu não fale por ele. O que escrevi acima parece contradizer o que você diz. Talvez se você explicasse o que está errado no meu raciocínio, ficasse mais fácil de entender o que você quer dizer.

      Excluir
    9. Portáteis Nintendo vendem mais que consoles porque nos portáteis ela foi disruptora e líder invicta. Na pior hipótese, um portátil ruim sem filosofia, como o GameBoy Advance, atinge 100 milhões de unidades.

      O teto do GBA era 100 milhões, ele chegou ao seu máximo. O teto do DS ninguém sabia qual era. Ele chegou a 150 milhões, mas a Nintendo o abandonou sem realizar seu potencial, assim como o Wii.

      O 3DS já está bem atrás do DS em vendas e esse abismo só tende a aumentar. Vejam esse gráfico de novembro de 2013 onde a linha 0 são as vendas do DS e a linha laranja é o 3DS. Laranja acima da linha significa que vendeu mais, abaixo da linha, menos

      http://imgur.com/OU47y8b

      No início, quando a linha fica bem acima, foi o corte de preço. Jogadores hardcores que iriam adquirir o portátil em algum momento da vida dele, correram para comprá-lo, inflando números. Nesse ponto a Nintendo encheu a boca para falar que o 3DS vendeu mais que o DS. Ela não diz mais isso.

      Muitas pessoas acham que o 3DS não deve ser comparado com o DS, mas a função dele era superar o DS, o próprio Satoru Iwata havia dito. Apenas quando o portátil afundou nos 6 primeiros meses, eles revisaram suas ideias.

      O 3DS vendeu em 2011 mais de 13 milhões, em 2012 mais de 14 milhões e em 2013 aproximadamente o mesmo que 2012, porém um pouco menos. A meta de 2013 era vender 18 milhões, mas o portátil não cresceu nada.

      Se pensarmos em quais os piores videogames da Nintendo, podemos dizer que foi o GameCube com suas vendas abismais? Mas ele foi o embrião do Wii. Nos anos 2000 eu criticava a cultura do PlayStation 2 e enaltecia a do GameCube, mesmo com as péssimas vendas.

      O PS2 gerou o mico do PlayStation 3 de US$ 599, enquanto o GameCube gerou o Wii. Se pensarmos no futuro que a filosofia de um videogame inspira, os piores videogames Nintendo foram o Super Nintendo e o GameBoy Advance.

      Ambas plataformas alienaram a base do seu público e ao fazer isso permitiram a entrada de um concorrente, no caso o PSOne e o PSP. Assim como o 3DS permitiu a entrada dos smartphones e tablets.

      Vendendo quase 15 milhões por ano, em 7 anos o 3DS chegará a 100 milhões como o esperado e muitos acharão isso uma vitória, um sucesso. Porém, o DS foi um passo para frente e o 3DS está sendo um passo para trás.

      O 3DS também está ganhando um boost da crise econômica, pois as pessoas não estão podendo arriscar ou comprar plataformas secundárias, como o PS Vita. A crise está afetando tanto o Vita quanto o Wii U, pois ambos estão vendendo abaixo do que qualquer falta de qualidade poderia causar.

      A Nintendo está perdendo relevância, mercado e dinheiro tentando fazer o 3DS parecer um sucesso. Malstrom e eu continuamos dizendo que ele não está bem apesar de várias outras dizerem que está. Mesmo quando o próprio Satoru Iwata diz que o portátil está vendendo abaixo do esperado, as pessoas continuam dizendo que é um sucesso.

      Quando previ que o 3DS iria falhar, avisei que ele iria falhar vendendo tanto quanto o GBA. Ou seja, mesmo vendendo 100 milhões o 3DS continua sendo um fracasso. Por uma coisa que mencionei na época neste parágrafo:

      "Não é o competidor que diz a hora certa de entrar no mercado, são as empresas sobre as quais ele quer causar uma ruptura. Com tantas mensagens confusas, falta de foco, preços caros, surge o espaço para um novo portátil tomar as rédeas do mercado com facilidade."

      O novo portátil acabou sendo o mercado mobile, que roubou os principais consumidores da Nintendo: crianças. A longo prazo isso será uma dor de cabeça, pois os pequenos não estão mais sendo educadas com Mario, mas com Minecraft.

      Números de vendas dizem qual o melhor, para o grande público, macro escala, não dizem qual o melhor para você, indivíduo, micro escala. Em uma crise econômica você deve arriscar pegar um PS Vita e ver se gosta ou comprar um aparelho da empresa que nunca perdeu uma geração nos portáteis?

      Porém, vendas não podem prever o melhor futuro. O Xbox 360 foi um ótimo console nessa geração, e o poder que demos a ele fez com que o Xbox One tentasse tirar todos os nosso direitos.

      Excluir
  4. Voltei pra esse tópico só pra comentar que sim, Minecraft vai ser lançado pra 3DS em 2014 e não só pro Vita. Sua previsão caiu por terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vi anúncio de Minecraft para o Nintendo 3DS. Vi algumas conversas de executivos que talvez busquem essa parceria e programadores falando como poderiam fazer para o jogo funcionar, ainda assim de maneira extremamente limitada, sem todos os recursos. Tudo isso sem nenhuma confirmação, se foi feito um anúncio oficial, pode me mostrar.

      Minecraft sai para o PS Vita agora em agosto. Será a mesma versão do PlayStation 3, e será cross-buy, o que nos lembra novamente outro problema da Nintendo, o de ter que comprar múltiplas versões do mesmo jogo.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Quer dizer que você tá lá jogando o Zelda, daí percebe e AFIRMA: "isso aqui tem a mão de fulano, isso aqui não ". Cara, essa foi a coisa mais surreal que eu já li nos ultimos tempos! Um game (ainda mais nos moldes da série Zelda) é feito por dezenas de pessoas, não tem nenhum sentido o que você diz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há muitas pessoas envolvidas no desenvolvimento de um jogo, porém há pessoas-chave responsáveis por certas decisões. Por exemplo, se você souber o estilo de criação de Eiji Aonuma é completamente possível perceber suas influências no jogo.

      Por que isso seria surreal eu não sei.

      Excluir