Lomadee

sexta-feira, 10 de junho de 2011

A Filosofia Hacker e a Indústria de Jogos

Recentemente a indústria de jogos iniciou uma guerra contra os hackers e eles tem respondido à altura. Se por um lado temos processos contra alguns hackers individualmente, por outros temos ataques como os que tiraram a PlayStation Network do ar por tanto tempo. Sabemos por quais motivos as empresas se defendem, mas por que os hackers as atacam?


Hacker é a classificação dada a qualquer pessoa que tenta subverter os processos dos computadores, fazendo com que eles realizem funções que não deveriam. No entanto, isso não significa necessariamente fazer algo errado, um hacker pode até melhorar a performance de um computador "enganando-o" para fazer coisas de maneira diferente.

A palavra hacker já tem um peso negativo pois normalmente só é ouvida quando se fala de algum crime cometido por um hacker. Ter o conhecimento não significa usá-lo de forma errada. A palavra hacker seria como a palavra "armado". Bandidos armados cometem crimes, mas forças de ordem e até cidadãos também andam armados. Hackers são pessoas armadas de conhecimento.

Quando todos andam armados na Internet, ela torna-se um velho-oeste, e é daí que vem as classificações dos hackers. Como nos filmes antigos de bang-bang em preto e branco, você tem os mocinhos de chapéu branco, os White Hats, e os bandidos de chapéu preto, os Black Hats.

Black Hats são hackers considerados criminosos, que utilizam seus conhecimentos para roubo de dados, fraudes, invasões e todo tipo de atividade danosa à terceiros. White Hats no entanto, poderiam ser divididos em outras duas categorias.

Há hackers que visam estar sempre dentro da lei e da ética, estes normalmente trabalham em firmas de segurança para combater hackers Black Hats. Estes estão completamente dentro do sistema e de suas regras.

No entanto, questionavelmente dentro dos White Hats, há hackers que quebram a lei, desde que acreditem estar agindo com uma moral por trás. Enquanto os Black Hats claramente são criminosos e os White Hats dentro da lei são obviamente pessoas de bem, este terceiro grupo fica numa área cinzenta.

O terceiro grupo segue princípios da filosofia hacker, como liberdade de pensamento e programação, obtenção de conhecimento gratuitamente, defesa de direitos constitucionais, entre outros.

Enquanto fora da lei, muitas das ações desses grupos nos fazem questionar se a lei está com a razão. Sempre podemos nos lembrar da história de Robin Hood como um exemplo de desobediência civil, quando as leis páram de estar de acordo com as necessidades da população.

Por exemplo, enquanto estão errados por violarem a lei, poderíamos considerar hackers anti-éticos quando derrubam os sistemas de governos ditatoriais?

Grupos desse terceiro tipo, como o grupo hacker Annonymous, costumam alegar ataques para chamar a atenção para questões importantes, como protestos ou brechas de segurança das quais Black Hats possam se aproveitar.

Eles foram os primeiros a tirar a PlayStation Network do ar por quarenta e oito horas, apenas para depois alegarem que não prosseguiriam com o ataque pois viram que os maiores prejudicados por isso eram os usuários da rede.

Mais tarde a PSN foi atacada por hackers Black Hats que roubaram dados de usuários. O grupo Annonymous negou autoria desse ataque, dizendo que não era condizente com sua filosofia.

Muitas alegações desses grupos são realmente válidas, como quando a Sony removeu a função Other OS do PlayStation 3 deliberadamente, ação pela qual ela sofre processos hoje em dia, já que uma empresa não pode remover a função de um produto, ou como quando a empresa teve acesso à milhares de endereços de IP em um processo civil contra o hacker George "Geohot" Hotz, direito concedido pela corte da Califórnia, ação que pode ter violado dezenas de leis sobre privacidades e tratados internacionais.

Muitas vezes os hackers tem como alvo essas grandes empresas, quando afirmam que elas praticam "Feudalismo Corporativo", pois devido ao seu tamanho e recursos acabam conseguindo escapar com atitudes que prejudicam o consumidor, o qual fica preso sem opção, pois todas as empresas praticam isso em algum nível, não apenas a Sony.

Independente de concordar ou não com os motivos desse terceiro grupo, é necessário saber que não são eles, nem os outros White Hats, que prejudicam os jogadores e roubam seus dados, mas sim os Black Hats, os quais são realmente criminosos e nem mesmo partilham dos ideais da filosofia hacker.

3 comentários:

  1. Falamas da filosofia harcer to muinto curioso.

    ResponderExcluir
  2. Mesmo tendo um PS3 em casa e sentido falta da PSN, eu apoio o trabalho do grupo Anonymous.

    A Sony jamais deveria ter acesso aos ips de quem acessou o blog do hacker GeoHot, muito menos entrar numa guerrilha tao ferrenha contra hackers, nao eh assim que se combate falta de seguranca e pirataria, sendo que o proprio GeoHot ja afirmou em entrevista ser contra pirataria, o Jailbreak do PS3 permite que voce possa usar aplicativos caseiros funcao desbloqueada no PS3, sem falar o Linux que tinha na versao antiga (tenho o PS3 Slim) que todos reclamaram quando a Sony o removeu.

    Se compramos alguma coisa (desde um videogame ate um smartphone) temos direito de usufruir o maximo da capacidade, a Apple que o diga que adora restringir os consumidores a utilizar apenas seus produtos, esse tipo de atividade hacker tem meu total apoio, nao as atividades que visam apenas roubar dados de usuarios, fraudes, etc.

    E que fique claro, eu sou contra PIRATARIA, fazer jailbreak no Iphone, PS3, etc nao deveria acarretar no fim da garantia ou banimento da conta online (justamente por esse motivo que nao fiz jailbreak no meu PS3), muitas empresas ainda tem a mesma visao desde os anos 50, nao querem acordar e ver que o mundo mudou, o mercado mudou, e o publico nao eh tao "adestrado" como antes!

    ResponderExcluir
  3. Tava buscando algumas infos e deparei com o texto, como um vampiro de conhecimento o li... Muito bem colocado sobre o velho-oeste e pessoas armadas...

    by P11n1sh3r

    ResponderExcluir