Lomadee

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Nintendo e a Espiral da Morte


Algum tempo após o meu artigo de que a Nintendo poderia falir, o site Games Radar fez uma pequena nota dizendo "Estaria a Nintendo condenada? Pouco provável. Dê uma olhada em quanto dinheiro ela tem no Banco", que um usuário trouxe ao meu conhecimento nos comentários.

Eu mencionei: "Erros custam caro", mas depois enquanto lia The Innovator's Solution na sala de espera do médico pensei que seria interessante explicar por que eles custam caro, mais precisamente, como funciona uma "Espiral da Morte", que mais parece um golpe de Cavaleiros do Zodíaco.

Em um negócio, há dois tipos de dinheiro de investidores: dinheiro bom e dinheiro ruim.

Dinheiro bom é impaciente para lucrar, ele exige que você tenha um produto lucrativo que possa vender de maneira saudável. Esses investidores são pacientes para crescimento, eles esperam para que sua empresa cresça naturalmente no seu ritmo, seu maior interesse é lucrar enquanto isso.

Dinheiro ruim é impaciente para crescimento, ele quer ver sua empresa crescendo muito, e muito rápido, não importa como. Mas estranhamente, esses investidores têm grande paciência para lucrar. Eles não se incomodam de não lucrar, e até perder dinheiro agora, desde que acreditem que vão ganhar no futuro.

Uma Espiral da Morte (Morra, Seiya!) ocorre quando a maior parte dos investimentos da empresa são dinheiro ruim, ou o dinheiro bom se torna dinheiro ruim, o que também é possível. Ela ocorre em 5 passos que são mais ou menos assim:

1- Sucesso


Obviamente é preciso haver um sucesso. Sucessos como o Nintendo DS ou o Nintendo Wii, geram interesse dos investidores. As ações da empresa começam a subir devido ao sucesso, ela se valoriza.

2- Hiato de crescimento (Growth Gap)


O que acontece quando as ações não param de subir? O valor do futuro crescimento é agregado à venda.

Imagine que eu tenho ações que valem R$ 10 e eu acredito que elas se valorizarão a R$ 2, me dando R$ 12. Eu só as venderia se alguém me pagasse R$ 13, e esta pessoa que pagou R$ 13 provavelmente está esperando R$ 14.

A única forma disso dar certo, é se realmente render R$ 14 ou mais. Isso porque se render menos, haverá um hiato no crescimento, uma lacuna entre o que a empresa cresceu e o que os investidores esperavam que ela crescesse.

Se a empresa crescer R$ 12, as ações cairão e os investidores perguntarão ao CEO: "Como você pretende atingir R$ 16 no próximo ano?". Então acontece o Passo 3.

3- Dinheiro bom fica impaciente


Os investidores esperavam que a empresa crescesse mais do que ela cresceu. Agora eles querem que você cresça mais rápido do que cresceu antes, estão impacientes por crescimento, mas não mais por lucro, veja que ironia, o dinheiro bom está virando ruim.

Só existe uma forma do preço das ações não despencar. Prometer maior crescimento. Nessa fase, as ideias que poderiam salvar a empresa, ideias disruptivas, são rejeitadas, porque não oferecem essa taxa de crescimento exagerada. Nesta fase, a criação do Nintendo DS seria rejeitada.

O Nintendo DS era uma ideia que podia salvar uma empresa, mas ele foi bem humilde, desajeitado, a Nintendo nem sabia se iria dar certo, anunciava como um terceiro pilar. Uma empresa cujos investidores estão impacientes, não pode se dar a esse luxo, eles precisam de um produto agressivo.

4- Executivos toleram perdas temporárias


Está começando a ficar familiar? A empresa convence seus investidores que para ganhar dinheiro, é preciso gastar dinheiro. Agora a transformação do dinheiro bom em dinheiro ruim fica completa, pois eles ficam pacientes pelos lucros, para poderem atingir o crescimento que desejam.

E eles ainda fazem os investidores acreditarem que quanto mais dinheiro investirem, maior será o retorno, então quanto mais a empresa investir nessa fase, melhor. Essa é a fase da fornalha movida a dinheiro.

5- Prejuízos se acumulam, empresa se retrai


Convencida de que precisa gastar muito dinheiro, a empresa investe uma quantidade enorme de dinheiro agressivamente sem qualquer garantia de lucro, além da ilusão de que quanto mais investir, mais irá ganhar.

Porém, um produto que não oferece qualquer valor excepcional não poderá gerar o crescimento necessário. Agora não só a empresa não está obtendo lucro suficiente, como ela gastou mais do dinheiro que tinha. O hiato de crescimento está agora maior do que era no passo 3!

Ela tenta voltar então para a estratégia que estava dando certo, ela se retrai e começa tudo de novo a partir do passo 4. Ela promete crescimento maior, promete investir mais. O dinheiro ruim não tem pressa de lucro, se ilude novamente com a promessa de crescimento.

Os passos 4 e 5 são repetidos até a empresa estar completamente destruída. Parece algo muito óbvio e que nunca aconteceria na prática, mas só parece óbvio para nós que estamos vendo de fora.

Muitos dos melhores CEO não conseguiram fugir da Espiral da Morte, pois qual seria a opção no Passo 3? Você pode dizer que não vai atingir sua meta de crescimento e o preço das ações cai, ou você diz que pretende atingir sua meta e para tanto vai investir dinheiro.

O rombo aumenta exponencialmente, pois a única coisa que você pode dizer quando não atingir a meta é que não foi investido o bastante e então investir mais.

21 comentários:

  1. Bem, vamos ao texto. Nele vc tenta aplicar uma teoria que versa sobre mercado disruptivo, portanto não sustentador . A teoria é válida se o fato tem as seguintes características: se for um produto novo disruptivo e nos seus primeiros anos. O wii e o ds já tem mais de cinco anos, não é um produto novo já e a nintendo se focou infelizmente agora no mercado clássico, portanto não mais disruptivo. Dessa forma não se pode dizer que a nintendo está nessa espiral da morte que vc, ao interpretar errado o texto, quer nos fazer acreditar.

    Potencialmente a nintendo pode estar em perigo, mas realmente é sony e microsoft e suas respectivas divisões que estão em via de extinção: na verdade toda a sony e a divisão de games da microsoft.

    Aqui vai um trecho que já invalida sua teoria inteira por terra:"Concluímos que o melhor dinheiro durante os primeiros anos de um negócio é paciente com o crescimento, mas impaciente com o lucro... a outra categoria de capital - que é impaciente com o crescimento, mas paciente com o lucro - tende a condenar os inovadores a uma marcha sem retorno pelo corredor da morte, se for investido nos primeiros estágios"

    O circustância da nintendo não se aplica a teoria, vc olhou apenas os atributos da mesma e deixou de lado a circustâncias para validar a teoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Espiral da Morte ocorre justamente em um mercado sustentador, quando a empresa abandona a disrupção. Wii e DS foram disruptivos, mas o Nintendo 3DS é sustentador

      Sony e Microsoft também são sustentadoras, mas não são empresas puramente de jogos, podem ter quanto prejuízo quiserem e depois serem socorridas pela matriz

      Dinheiro ruim não é ruim apenas nos primeiros estágios, pois ele sempre vai contra a disrupção, a qual é essencial para o crescimento

      Excluir
    2. Espiral ocorre quando a empresa no começo do sucesso de seu produto, COM ESSE PRODUTO, abandona sua política.

      Vocë esta tentando aplicar num produto estruturalista uma teoria de processo reconstrutivista, está tentando reenquadrar a teoria onde ela não versa.

      Excluir
    3. A Espiral da Morte é um processo da empresa, não do produto, Capítulo 9 em The Innovator's Solution, página 235

      Excluir
    4. A matriz da SOny tem prejuízos bilionários a quatro anos seguidos. É difícil ela socorrer qualquer coisa...

      Excluir
  2. eeee rapa, vamo toma uma cerveja e jogar atari resolve logo tudo hehehehehe

    ResponderExcluir
  3. Indo um pouco mais além, tirando o foco da empresa e focando nos produtos, eu acredito que a nintendo também não tenha um bom prospecto, na minha opinião como fã, no ano passado a nintendo destruiu completamente 2 de suas 3 melhores franquias, as 3 são obviamente Mário, Pokémon e Zelda, e me refiro as duas últimas, as versões Black & White mostram o descaso dos produtores com os fãs e com a franquia em si, com pokémons ridiculos que parecem zombar de nós fãs que acompanham a evolução da série através dos anos, e com relação à Zelda, pra mim o golpe de misericórdia foi o anúncio da tão esperada cronologia oficial dos games, onde todos esperavam uma sucessão épica ou a possibilidades de novos games que fariam a conexão entre sagas, foi apresentada apenas uma linha reta de 2 ou 3 sagas e então todo o resto se transformavam em 3 tipos de realidades alternativas onde você escolhe qual faz mais sentido. Sinceramente nem mesmo a nintendo está se levando a sério, não posso dizer que tenham destruído a franquia de Mario, mas, sério, outro Mário Party?
    Adorei o Post, Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pokémon vende tão bem como sempre. Aliás, o B/W vendeu mais que a geração passada.

      E Zelda, embora o Skyward tenha vendido bem menos que o Twilight, demonstrou continuar viva ano passado, sendo que o remake do Ocarina de 3DS vendeu muitissimo bem. As vendas do Skyward parecem ter sido devido ao jogo não se encaixar na filosofia do Wii, oumesmo problemas com o jogo em si. A franquia, a marca, continua forte como sempre foi.

      Não tente aplicar seu gosto ao mercado, pois não é assim que funciona...

      Excluir
    2. Não cara, Zelda SS vendeu muito aquém das expectativas, por causa do jogo mesmo. Não é problema com Wii, sua filosofia, ou seu público. A culpa é de Aonuma, que a cada Zelda, mantem elementos que o tornam chatos, enquanto que capa elementos essências da série. A série está perdendo fãs, e enquanto ele estiver a frente com suas ideias imbecis, a série continuará a perder fãs.

      Excluir
    3. Ok. O Aonuma estava envolvido no Twilight Princess. O Twilight Princess é o jogo mais vendido de toda a série. Como faz?

      Excluir
    4. Twilight Princess vendeu bem por mtos motivos. Ele é melhor que Skyward Sword, tinha uma aurea de Ocarina of Time nele (sem link fada e mundo aberto). Mas o principal motivo foi o fato dele ter saido no lançamento do Wii. Com a febre do inicio do Wii graças ao Wii Sports e Wii Play, as pessoas compravam jogos em busca de experiencia divertidas, Twilight Princess era uma desses jogos. Um exemplo de jogos beneficiados pela febre do Wii foi Deca Sports, o primeiro vendeu quase 3 milhões enquanto a continuação não chegou a 1 milhão. O publico obviamente viu como o jogo era ruim e dispensou a continuação.

      Excluir
    5. Além do mais, como explicar que o principal Zelda do console, que tem uma série de fatores favoráveis não ter conseguido números parecidos com os de outros consoles que estavam em momentos muito piores.

      Excluir
  4. Uma coisa que alguns não entendem é que a Nintendo não é uma empresa tão dependente das ações. O sócio majoritário continua sendo o Hiroshi Yamauchi, herdeiro do fundador da empresa. Por isso ele "perdeu" 300 milhões de dólares quando houve a queda das ações no ano passado.

    A Nintendo é uma empresa grande não por causa dos valores de suas ações. Não é uma Zynga ou uma ponto-com da vida. Ela se sustenta preservando suas marcas e guardando dinheiro no banco (10 bilhões de dólares!) e não fazendo o jogo de meia dúzia de investidores...

    ResponderExcluir
  5. Cite uma empresa grande que tenha falido nos últimos 50 anos. Não vale bancos e outras empresas envolvidas em falcatruas fiscais.

    E veja que por empresa grande eu me refiro a uma com 100 anos de existência, 10 bilhões de dólares livres no banco, líder em uma área em expansão, que possui grandes propriedades intelectuais (no caso Mario, Zelda, Donkey Kong, Pokémon, etc) e que pertence majoritamente aos herdeiros de seu fundador, não sendo, portanto, tão suscetível às variações do mercado de ações.

    Por favor, responda. Se não conseguir, ignorarei esse seu artigo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por favor ignore, área de comentários não é pra fazer refém

      Excluir
  6. Você sabia que as ações da Nintendo valem a mesma coisa que as da Microsoft e as da Sony?

    Você sabia que uma empresa não é apenas o valor de suas ações, mas também a de suas marcas e a de seus produtos?

    Você sabia que a Nintnedo não é tão dependente do mercado de ações?

    Se fosse, bastaria a Nintendo anunciar Mario e Pokémon para smartphone e facebook. É isso que os investidores querem. Se ela fizesse, as ações subiriam a níveis absurdos em pouco tempo.

    Mas por que ela não faz? Simples, a maior acionista continua a família Yamauchi, que prefere ver uma empresa sólida, que guarda dinheiro no banco e preserva suas marcas a seus produtos, do que uma que busca o crescimento rápido possível com o mercado de ações.

    Falir? Não, essa hípotese nunca passou minimamente pela Nintendo nos últimos 30 anos...

    ResponderExcluir
  7. A Nintendo está na espiral da morte e a Sony está na queda livre da morte.

    6 bilhões de dólares de prejuízo e 10 mil funcionários mandados embora...

    http://www.reuters.com/article/2012/04/10/us-sony-idUSBRE83907220120410?type=companyNews

    "Sony e Microsoft também são sustentadoras, mas não são empresas puramente de jogos, podem ter quanto prejuízo quiserem e depois serem socorridas pela matriz"

    Acho que não, hein...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O setor financeiro da área de jogos da Sony e Microsoft não são importantes ou interessantes porque são apenas uma fração da empresa e não têm filosofia

      Não é como a Nintendo, onde seu financeiro está diretamente ligado ao seu desempenho e filosofia em jogos. O fato do PlayStation 3 ou Xbox 360 estarem indo bem ou mal em nada influi no desempenho da Sony ou Microsoft como um todo

      The Innovator's Dilemma também fala sobre compra de empresas. Por exemplo, se a Sony perdesse mais ainda seu valor de mercado, dificilmente iria falir, pois logo seria comprada por outra empresa. Sua estrutura é muito boa para ser jogada fora.

      Em que isso afetaria a filosofia da Sony ou Microsoft em criar jogos? Em nada. O próximo God of War seria igual, o próximo Halo seria igual, não é algo interessante

      No entanto, quando o que importa em uma empresa são os seus valores, o seu material humano, como levantado por Christensen, não adianta comprá-la, pois ela já se destruiu. Essa seria a Nintendo. E é fácil ver um exemplo de como seria isso quando olhamos para a Rare.

      A Microsoft adquiriu junto com a Rare, todas as suas franquias, mas a Nintendo só a vendeu quando todo seu valor já havia se destruído. A Rare podia continuar criando seus jogos, mas eles não tinham mais a mesma aura

      Tanto se a Nintendo falisse, quanto se ela fosse comprada, nunca mais teríamos um Mario ou um Zelda de verdade. Isso sim seria arrasador e é interessante discutir

      Excluir
    2. Nunca alguém compraria a Sony, pois sua estrutura é péssima e a marca apenas de desvaloriza. Falta foco e por isso a demissão de 10 mil pessoas e a promessa de fechar alguns setores da empresa.

      A Nintendo é o inverso. É uma empesa extremamente focada, com uma marca extremamente querida e franquias muito consagradas. Ninguém compraria pois o seu valor é muito alto. Ainda que ela tivesse um desempenho negativo por tantos como a Sony, ainda assim ela valeria muito. Nesse caso, é possível que fosse criada uma holding que a manteria viva.

      A comparação com a Rare é indevida. A aura da Rare era muito devido à Nintendo. É igual a Retro Studios hoje em dia.

      No caso da Nintendo, ainda que ela se juntasse a outra empresa o valor equalidade de suas franquias (a como comparar com as franquias da Rare?)permanceria. Ao invés de olhar pra Rare, olhe pra Marvel ou pra Blizzard, que são exemplos mais próximos da realidade da Nintendo.

      Excluir
    3. Nem a Nintendo tem conseguido fazer um "Zelda de verdade". É só olhar para Zelda SS.

      Excluir
    4. Na verdade eu acho mais provavel que os jogos da Nintendo melhorassem em caso de uma "falência". No foco de recuperar a empresa, focariam nos valores antigos porque deram certo no passado, e eliminariam as coisas q deram errada da atualidade. A Nintendo já fez isso e resultou no Wii.

      Excluir